“Brasileirão começa a se definir”

Pouco a pouco, as definições vão se estabelecendo na tabela de classificação do Brasileirão. Apesar das poucas alterações ocorridas com os resultados da rodada 34, as que aconteceram foram significativas e possivelmente difíceis de serem revertidas, como no caso do Flamengo que perdeu a vice-liderança.

Daqui em diante, dificilmente a equipe será a única responsável pela sua ascensão ou queda na tabela de classificação. As colocações tendem a oscilar ou manter-se de acordo com uma combinação de resultados, o que torna este final de campeonato interessante e emocionante para aqueles que o acompanham.

Este ano o campeonato está se mostrando equilibrado, pois faltando apenas quatro rodadas, a briga pelo título ainda possui três equipes com chances reais de obter o título: Palmeiras, Santos e Flamengo. Para o Atlético Mineiro que é o quarto colocado ainda há chances matemáticas, mas uma possível derrota para o Palmeiras, no confronto direto na próxima rodada poderá lhe tirar essa chance.

Como faltam poucas rodadas, dificilmente uma equipe terá ascensão meteórica, ou seja, o esqueleto do campeonato já está se desenhando, mas mesmo assim o G6 composto pelos times que disputarão a Copa Libertadores da América, também não está definido. Matematicamente há chances para os todos os times posicionados até a metade da tabela, mas tudo depende da combinação dos resultados de todos os jogos.

É claro que o desempenho de cada equipe traz indícios se há potencial ou não para conseguir seu objetivo. Por exemplo, no caso do Corinthians o cenário não é nada animador, pois tem apresentado desempenhos irregulares, coroado com a péssima atuação no clássico contra o São Paulo, na última rodada.

O Flamengo é outra equipe que infelizmente entrou em viés negativo, com oscilações severas nas últimas três rodadas e perdeu a posição de vice-líder, com tendência a cair se não melhorar sua performance. Foram três empates e uma derrota da equipe carioca que combinados com os resultados obtidos pelo Santos nos últimos dois jogos, contra Palmeiras e Ponte Preta, selaram as alterações na tabela.

O Santos, que vem apresentando maior regularidade quando joga em casa, contra a Ponte Preta, nesta rodada, deixou de lado este estigma que o acompanha e conseguiu vencer jogando melhor que sua anfitriã em alguns momentos da partida. Dorival Junior teve papel importante na última vitória, pois as substituições de jogadores possibilitaram à equipe praiana, virar o placar, após oscilação ao ter tomado o gol.

Desta forma, o Palmeiras se viu obrigado a vencer o Internacional para não ter sua vantagem na liderança reduzida para três pontos. Por outro lado, o Inter se afundou um pouco mais, passando a depender também de resultados de outros times, além de, é claro, vencer seus adversários para fugir do rebaixamento.

A sequência do líder Palmeiras para as próximas rodadas não é fácil. São dois jogos em casa, contra o Botafogo e contra a Chapecoense, e dois jogos fora, contra o Atlético Mineiro e contra o Vitória. Mas mesmo assim, acredito que há mais chances para o Palmeiras obter o título deste ano, pois além da diferença de 6 pontos, está melhor qualificado nos critérios de desempate.

A sequência de jogos do Santos é na teoria, mais complicada porque joga em casa a próxima rodada e a última. Nas rodadas 36 e 37 joga fora de casa contra o Cruzeiro e contra o Flamengo que tem suas metas bem definidas e dificilmente não farão tudo para vencer.

Para o quinto e sexto colocados na tabela de classificação, o desafio será mais difícil para o Atlético Paranaense que joga na próxima rodada contra o Fluminense no Maracanã, em confronto direto, porque se o Atlético perder, ambos passarão a ter a mesma pontuação. Para o quinto colocado, o Botafogo, será mais tranquilo enfrentar a Chapecoense em casa.

Uma coisa é certa: teremos muita emoção nestas quatro rodadas finais, com dramaticidade elevada para todas as equipes que lutam por alcançar seus objetivos, que seja fugir do rebaixamento ou manter-se entre os seis primeiros colocados.

Fonte: Marco Condez | GE

Veja também