Lance: “Pelo Maraca e pelo Rio, é hora de negociar”

A repentina desistência do consórcio GL Events e CSM de assumir a concessão do Maracanã abre caminho para que o grupo francês Lagardère negocie sozinho com a Odebrecht e passe a administrar o estádio. Poderia ser o fim de uma longa e atribulada novela. Mas, longe disso, ainda há muitos capítulos – e impasses – antes que o Maraca volte a ser o templo maior do futebol brasileiro.

O consórcio desistente tinha o apoio de Flamengo e Fluminense. O grupo já havia definido que os clubes teriam participação ativa na gestão do estádio, compartilhando decisões. Já a Lagardère, associada à BWA, empresa que não é bem vista por boa parte dos clubes brasileiros, não tem acerto algum. Vai manter em princípio o contrato do Fluminense com a atual concessionária, mas precisará negociar mais.

O mundo dos negócios do futebol tem poucas verdades absolutas. Uma delas é que não se viabiliza um estádio sem ter um time que jogue ali. E isso, especialistas que são no assunto, gerindo arenas na Europa, além do Castelão, em Fortaleza, os franceses sabem muito bem. Flamengo e Fluminense também precisam saber.

No auge das discussões sobre o destino do estádio, o presidente Bandeira de Mello disse que o Flamengo não jogaria no Maracanã se não participasse efetivamente da gestão. Foi ameaçador ao afirmar que o Maracanã precisava do Flamengo mais do que o Flamengo precisava do Maracanã. É uma verdade.

Mas, para que o imbróglio de todos esses meses possa ter um final feliz – ou menos ruim – para o já sofrido futebol carioca, a hora não é mais de ameaças e de confrontos. O anúncio de que o jogo de estreia na Libertadores vai ser no Maracanã, ainda que em um acerto pontual, é um ótimo presságio.

O Rubro-Negro, em conjunto com o Fluminense, é forte. O momento é de sentar-se à mesa e negociar. Impor suas prioridades e resgatar até mesmo o que já havia sido acertado com o grupo GL Events/CSM. Fla e Flu estão com a faca e o queijo na mão.

Fonte: Lancenet

Veja também

  • Parceiros, a minha opinião é de que desde o começo o discurso do EBM sempre foi mais um blefe, para pressionar a favor de sua parceira, ou, em último caso, pressionar a Lagàrdere para obter um contrato infinitamente mais vantajoso. Eu sinceramente não o culpo, não o julgo e não vou dizer que ele fez algo errado, mesmo prq sabemos que “ter o saco roxo” não é uma das qualidades dele. Mas já que provavelmente as coisas vão caminhar pra um “acordo” com a vencedora, ele deve de início fazer eles emitirem uma nota pública, onde devem reconhecer que é impossível administrar o maraca sem o mengão, visto que lá atrás “arrotaram” arrogância dizendo que se garantiriam sim mesmo sem o flamengo como alicerce. Deve-se colocar os mesmos nos seus devidos lugares e mostrar o que é o Flamengo. SRN.

  • Fecha um acordo por 3 anos renováveis por mais 3 como na Ilha e parte para lentamente e sem LOUCURAS FINANCEIRAS AOS POUCOS FAZER NOSSA CASA SE ASSIM FOR PRECISO.
    Um acordo em que até deixemos de ganhar mais um pouco, mas que não perdemos nada do que já temos e conquistamos.
    Apenas nos garanta jogar lá, quando quisermos ou precisarmos e paguemos menos do que temos pago ou algo igual aos Flores sem custos e com parte da bilheteria nossa.

    Benefícios dessa política de negociação:
    Aumentamos o ST, garantimos um Estádio pra Grandes públicos, ficamos no Rio de Janeiro sem tantas viagens, assinamos por poucos anos até fazer nossa casa própria com calma e sem loucuras. aumentamos nosso rendimento dentro de campo física e taticamente com mais tempo para treinos e ganhamos tempo para definir o que de melhor fazer.
    Precisamos resolver essas questões e ganhar tempo para sair de tanto sufoco de todos os lados.

    Saudações.

    • Carlos, acho que a solução que você propôs é válida e inevitável, contudo acho que vai ser difícil nos termos descritos por você.
      Se formos negociar com a Largadère para um contrato de 6 anos apenas, eles vão impor muitas contra-partidas, pois sabem que não temos outras opções.
      Além do mais, contrato curto dificulta a concessionária vender propriedades do maracanã (sector rights) ou até mesmo camarotes e outros contratos publicitários. Por isso as condições nos primeiros contratos do Flamengo não foram tão vantajosos e, agora, o Flamengo que ser “protagonista” do estádio, pois isso significa que ele terá participação maior na receita de contratos publicitários e poderia escolher a quais marcas se associar.

      • Pois é Diogo…
        Tenho “0” zero conhecimento dos certamente “centenas” de pormenores envolvidos e embutidos em uma operação de tamanho vulto e que não se resumiria dentro do período de tempo para execução dentro da atual administração…
        São muitas e muitas variáveis a discutir e opções a seguir e confidencio a você um desconhecimento total do assunto para CRAVAR uma opinião sem correr o risco de falar uma besteira… rsrsrsrs
        Só espero que tudo possa correr bem para nós.
        Outro dia aqui mesmo ouvi um colega falando de um terreno do antigo “Terra Encantada”… O local é bom ou bem localizada para fazermos um estádio lá ???
        Saudações.

  • “O Rubro-Negro, em conjunto com o Fluminense, é forte.” — Exato: o Flamengo como protagonista e o Fluminense como coadjuvante… &;-D

  • Não se administra um clube, empresa ou qualquer coisa que seja com bravatas.
    O Flamengo pode e deve sim jogar no Maraca se isso for vantajoso pra gente.

    Não esqueçam que não poderemos jogar fora do Rio no Brasileirão, ou seja, Brasília, Pacaembu e Cariacica estão fora. Vamos ficar somente com a Arena da Ilha e Volta Redonda? Em jogos de grande apelo pra onde vamos?

    A mesma coisa vale para a Libertadores. Se formos para as quartas ou semi vamos precisar de um estádio maior e para sair do Rio a Conmebol tem que autorizar.

    Se eu posso jogar para 50 mil pessoas no Rio e faturar alto com isso, por que eu jogaria somente para 20 mil e deixar de faturar? Somente por pirraça ou orgulho? Pirraça e orgulho não pagam as contas no fim do mês.

    Tudo isso tem que ser levado em consideração com muita frieza e sabedoria na hora de analisar as alternativas.

  • Nesse mundo do futebol eu não acredito em coincidências e três fatos recentes ajudam a sufocar o Flamengo nessa questão do estádio:
    1. Botafogo proíbe o Flamengo de mandar jogos em seu estádio;
    2. Liderado pelo Eurico a CBF veta mandos de jogos em estádios fora da sede do time;
    3. GL e CSM desistem da concorrência.

    Da maneira como está, o Flamengo não pode jogar no Engenhão; não pode jogar em arenas que costumava jogar grandes jogos fora do Rio e; não pode jogar no Maracanã por ter dado a palavra que não jogaria se sua parceira não vencesse a concorrência pelo consórcio.
    Só resta a arena da ilha.

    Jogar os 19 jogos do Brasileirão, outros tantos em Copa BR e Libertadores na arena da ilha vai ser um grande prejuízo pro Flamengo, não só em bilheteria como no sócio torcedor. A diretoria não vai querer isso, é muito dinheiro em jogo …

    Construção de estádio próprio para grandes jogos, custa muito dinheiro, tempo (5 anos) e, principalmente, precisa de autorização do governo, por mais que o Flamengo tenha dinheiro para comprar o terreno.

    A missão da diretoria é muito árdua!! Achar uma solução no meio de tantas variáveis negativas é muito difícil!! Minha esperança é uma mudança do governo estadual, que tenha uma visão de não atrapalhar o Flamengo … Mas até lá fazer o que??

    • Cara meus parabéns você tocou em pontos importantes, concordo com o que você disse em 100% e ainda acrescento mais, acho que provavelmente os preços na arena da Ilha vão ficar salgados para compensar um possível prejuízo, só gostaria de lembrar que a proibição se deve apenas ao campeonato brasileiro, ainda temos a 1ª liga, Copa do Brasil, Libertadores; provavelmente deveremos vender mandos nesses torneios para fechar o nosso orçamento. SRN

    • Muito boas observações…

    • Como uma matéria aqui deu a dica, a arena do Fla vai ser em Niterói. Deve ser construída em tempo record em comparação às da Copa de 2014.

  • O Flamengo está se reestruturando, daqui a uns três anos teremos condições de construir o nosso estádio, qualquer contrato com o Maracanã que seja mais que isso vou descer a lenha! Até porque com certeza não teremos a liberdade que queremos na gestão.

    • Muito boas observações…
      E ainda sugiro…
      Fecha um acordo por 3 anos renováveis por mais 3 como na Ilha e parte para lentamente e sem LOUCURAS FINANCEIRAS AOS POUCOS FAZER NOSSA CASA SE ASSIM FOR PRECISO.
      Um acordo em que até deixemos de ganhar mais um pouco, mas que não perdemos nada do que já temos e conquistamos.
      Apenas nos garanta jogar lá, quando quisermos ou precisarmos e paguemos menos do que temos pago ou algo igual aos Flores sem custos e com parte da bilheteria nossa.

      Benefícios dessa pol´[itica:
      Aumentamos o ST, garantimos um Estádio pra Grandes públicos, ficamos no Rio de Janeiro sem tantas viagens, assinamos por poucos anos até fazer nossa casa própria com calma e sem loucuras. aumentamos nosso rendimento dentro de campo física e taticamente com mais tempo para treinos e ganhamos tempo para definir o que de melhor fazer.
      Precisamos resolver essas questões e ganhar tempo para sair de tanto sufoco de todos os lados.

      Saudações.

      • Exato. Ao final de três anos acredito que vamos estar com um orçamento por volta de 600 a 700 milhões no mínimo, da pra iniciar a empreitada de estádio próprio. Só não pode fazer algo longo, como os flores que fizeram de trinta e tantos anos, a cara da pequenez.

        • Concordo… ganhamos 3 anos de preparativos e em mais três a quatro anos se constrói nossa casa em definitivo…
          Acredito que seja suficiente para executar tudo que precisamos…
          Saudações.

  • E a hora de mostrar se tem culhao mesmo Bandeira pq depois de tanto falar que o flamengo não jogaria se não fosse com a CSM em 500 enttevistas por dia, fica até feio nao cumprir vamos ter palavra e vergonha na cara pq essa humilhação por esse maldito estádio já tá feio faz tempo!

    • O problema é que quando ele falou isso o Flamengo tinha a opção de jogar fora, agora não tem mais, enfim, vamos aguardar os próximos capítulos dessa novela.

      • O problema é se ele.tiver chulao ou não amigo, é só.Johan na arena da ilha o.problema é que ele.achou que o governo ia ceder e falava jogando pra torcida e agora tem que cumprir pq os caras mostraram que não tão bem aí pro flamengo agora é cumprir e mostrar pra eles!

  • Tudo parece um grande e verdadeiro jogo de cena, em que empresas fingem concorrência, o governo finge imparcialidade, mas no fundo, no jogo de cartas marcadas, fica o Flamengo mais uma vez refém de um sanguessuga, só que diferente.

    Por favor sr. Eduardo Bandeira de Mello, não me decepcione, CUMPRA a sua promessa, pelo menos desta vez, de não jogar mais no Maracanã se a Lagardère assumir aquela concessão. É o mínimo que se pode fazer para honrar os interesses do Flamengo.

    • é Almir,
      tem muita notícia plantada e jornalista que ganha “bola” para mandar recados.
      O Flamengo não está ameaçando ninguém, muito pelo contrário, está apenas marcando posição e fazendo uma coisa que o pessoal do futebol, de uma forma geral, desconhece: estabelecendo uma linha moral que não pretende cruzar.
      A pressão será muito grande contra o Flamengo, mas espero que Ele possa vencer mais essa batalha.
      SRN

    • Almir, as informações dão conta de que a BWA saiu da Lagardère, não sei se é verdade ou é só uma forma de fazer o Flamengo se aproximar para depois retomarem a parceria, mais isso poderia ficar em contrato. Acredito que é só uma questão de negociar um bom contrato e amarrar BEM toda as pontas. SRN

      • Sim um contrato de média duração como na Ilha 3 + 3 anos.

    • Almir, faz como na ilha…
      Assina algo curto por 3 renovável por mais 3 anos…
      E ganhamos tempo para construir nossa casa própria…
      Saudações.

    • Quando Eduardo Bandeira de Mello falou que não jogava lá, as condições eram outras, tinha a opção de jogar fora, agora as coisas estão mudando, enfim, vamos ver como vão ser os próximos capítulos

  • A BWA não saiu do negócio ?

  • Decisão difícil, com o fato da CBF proibir jogos fora do Estado deixa o Flamengo numa situação complicada, vai mandar todos os jogos no Estádio da Ilha? Flamengo x Palmeiras ou Corinthians, fora os clássicos num estádio pra 20 mil pessoas? Não é pelo bem público, tampouco pelo estado do RJ, acho injusto os clubes terem que resolver problemas de má gestão de político incompetente, mas no final, como tudo sobra pro povo, lá vamos nós de novo…Que seja, pelo menos, um bom acordo.

  • EBM espero que o sr mantenha a palavra de que caso a empresa que não é parceira nossa ganhe a concessão o flamengo não jogue mais lá pois é muito estranho jogarmos no maraca sabendo que a atual parceira está dando sinais que vai dar pra trás no negócio.

    • Tb tenho essa preocupação com o EBM, na hora de jogar pra torcida é fácil mas precisa bancar o que fala, assim como a torcida de ter paciência e esperar pra ter o melhor.

      • Esperar pra ter o melhor é sábio…
        Perder dinheiro e paralisar caminhada rumo a maiores conquistas por pirraça é juvenil, insano e burro.

    • Acho difícil não jogar lá com a decisão da CBF de não poder jogar fora do RJ e com o Botafogo não liberando o Engenhão…
      Nos jogos que o estádio da Ilha não suportar… vamos ter que recorrer ao Maracanã

      • Assim você se rende muito fácil meu amigo.

        Armaram tudo pro Flamengo ficar refém do Maracanã, mas o Flamengo é mais forte ou não é?

        Se é, vamos jogar sim, na Ilha, em qualquer lugar, MENOS aonde eles querem nos obrigar.

        Vamos ver quem vai roer a corda primeiro.

        • Me tira uma dúvida, na Libertadores existe alguma restrição quanto ao local do jogo? Precisa ser no Rio? Pq sei que na fase de grupo a ilha pode ser utilizada, mas se não me engano as fases posteriores tem que ser em um estádio maior e só sobraria jogar no Maracanã caso tenha que ser no Rio.

          • O Flamengo tinha a opção de levar o jogo pra Brasília, mas isso implicaria transformar Brasília na sua casa em todos os jogos da primeira fase pelo regulamento, e o Flamengo preferiu não fazer assim.

            Agora a restrição do Flamengo jogar fora do Rio é só da CBF, não da Conmebol, e eu acho que nas quartas, se o Flamengo chegar, vai poder jogar fora do Rio se quiser, embora eu ache isso uma temeridade.

            Vai acabar tendo que jogar no Maracanã enquanto ainda está com a Odebrecht mesmo, mas quando for para a Lagardère no futuro eu espero que não jogue mais.

          • Valeu!

        • Então… pro Flamengo n se render… tem que jogar na Ilha… e pra isso vai ter que abrir mão de lucrar mais.

          • Tudo bem, o lucro vem de outros lugares. O importante é o resultado dentro de campo.

Comentários não são permitidos.