Mauro Beting: “Saudades do tempo da geral do Maracanã”

Saudades dos tempos da Geral do Maracanã.

Outros tempos. Outra idade. Outra era.

Aposentaram a geral. É o progresso, dizem. Há como discutir. Aliás, debate é salutar. Democrático. Protestar também é. Como proteger e respeitar.

De fato, não se via nada na geral. Mas se sentia. E era a mais democrática maneira de se participar do espetáculo. Era um direito de quem não tinha nada.

Hoje, cada vez mais se tem menos direito. É o processo. É o progresso. A readequação. Entendo.

Mas será que não tinha outro jeito.? Até porque quem administra o Maracanã não tem moral. Quem refez o estádio fez muita coisa feia lá e por aqui e acolá.

É preciso discutir. Sim. É preciso saber o que é privilégio do camarote e o que pode ser feito para melhorar para quem tem pouco e produz muito.

Mas demonizar a geral não pode. Nunca. Invadir geral, também não.

A virtude parece sempre estar no anel intermediário. Mas é aquela coisa de dar o anel para manter os dedos. Embora eu ache que há muito só damos o anel. E ainda aquele dedo.

É só o que eu penso. Só peço para você respeitar quem pensa diferente.

Fonte: Mauro Beting / Uol

Veja também