Na íntegra: Bate papo exclusivo com presidente e VP de futebol da Portuguesa

Batemos um papo exclusivo com o presidente João Rêgo e Marcelo Barros vice-presidente de futebol/administrativo do A.A. Portuguesa, no Estádio da Ilha. Neste, trazemos curiosidades que vão desde parceria entre jogadores a compra definitiva do estádio. Confira na íntegra:

COLUNA DO FLAMENGO: Marcelo, muito obrigado por nos ter recebido aqui.

Marcelo Barros: Eu que agradeço a Coluna do Flamengo, agradeço a você Allan e a todos. É uma satisfação muito grande a gente receber o Flamengo aqui no estádio. Fazer essa parceria. Há muitos associados que são Flamenguistas e Portuguesa. Quero dizer sobre a relação/parceria com as coisas que estão sendo feitas. A administração do Flamengo é muito profissional e isso credencia um trabalho sério. Nossa administração, hoje, após a admissão do nosso Presidente, está fazendo um trabalho muito sério. Conseguiu devolver a Portuguesa aos trilhos e ao caminho das vitória. Pegamos o nosso clube bastante danificado e hoje, graças a Deus, através dessas parcerias, conseguimos melhorar e ter a satisfação-sócio.

COLUNA DO FLAMENGO: Uma das grandes dúvidas que a gente recebe constantemente, dos inscritos do canal, é com relação ao legado. O que que você poderia nos contar sobre a Era Botafogo e sobre essa nova Era Flamengo que a Portuguesa está passando?

Marcelo Barros: Então, o Botafogo foi importante porque mostrou realmente para o cenário nacional as pessoas que realmente abraçam a Ilha do Governador. É uma praça que pode atender qualquer clube. O nosso estádio já mostrou pra todos que pode realmente disputar as competições nacionais, estaduais e até quem sabe a Libertadores. Temos a plana condição que há toda estrutura para que isso acontece. Isso já foi provado e por isso o Botafogo foi importante. Teve algumas divergências mas isso já ficou no passado. Hoje estamos bastante satisfeito com a parceria com o Flamengo. A gente tem certeza que será duradora.

COLUNA DO FLAMENGO: Tem uma série de obra que temos constato aqui fisicamente no Estádio da Ilha. Uma delas foi o desvio fluvial que foi feito, que passava em baixa da arquibancada. O que você poderia contar sobre esse contratempo que acabou gerando um pouco no atraso da entrega do estádio?

Marcelo Barros: A gente não sabia. Os engenheiros falavam que estava tudo seguro e o Flamengo trouxe um especialista e preferiu fazer a obra. Pra Portuguesa é excelente. O legado é enorme. Não só essa obra que é fundamental para dar maior segurança aos torcedores e dirigentes. A gente fica bastante satisfeito, tranquilo e seguro que vamos ter uma arena 100% segura, uma arena que vai realmente orgulhar a Nação Rubro-Negra e nossos associados também. Tenho certeza que o legado que o Flamengo vai deixar pra Portuguesa vai orgulhar as próximas gerações. As obras que estão sendo feitas aqui são obras definitivas, além do canal de águas fluviais, nosso gramado, após a inauguração em 1981, onde tinha um jóquei, nunca tinha sido trocado. É a primeira vez que foi trocado todo o gramado por uma grama especial, diferenciada. A mesma usada no Maracanã e no Ninho do Urubu, onde o Flamengo treina. Realmente o estádio da ficando muito bonito. A pavimentação atrás das arquibancadas, a colocação de intertravados. A parte hidráulica e elétrica estão sendo refeitas. Os vestiários novos… A satisfação pra gente é imensa. Além da parceria financeira, estamos tendo um legado definitivo muito grande para o patrimônio do clube.

COLUNA DO FLAMENGO: Muitas pessoas questionam porque o Flamengo não compra o Estádio da Ilha ou o clube inteiro da Portuguesa da Ilha. Queria que você explicasse se existe alguma possibilidade de isso acontecer.

Marcelo Barros: O Flamengo pode comprar o estádio que ele quiser, graças a Deus, hoje o Flamengo tem uma condição financeira diferenciada. Mas a Portuguesa não está a venda (risos). A gente aprendeu a amar isso aqui e eu, particularmente, estou desde que nasci aqui dentro. Nosso presidente tem 45 anos de clube, na nossa diretoria sem pessoas com muito tempo aqui na casa. E nossos associados… A Portuguesa é o único clube da Ilha do Governador de futebol. Não tem a mínima condição, não passa pela nossa cabeça vender o estádio para o Flamengo. Pensamos em fazer uma parceria duradora, uma parceria que possamos ter, o Flamengo e a gente, o tempo que for necessário e que seja bom para ambos os clubes. Esperamos colher grandes frutos juntos.

COLUNA DO FLAMENGO: Existe a possibilidade do Flamengo contribuir com o desenvolvimento da equipe profissional de futebol da Portuguesa com relação a atletas?

Marcelo Barros: É o que mais que a Portuguesa quer. Temos total interesse em contar com jogadores do Flamengo. Já falei algumas vezes com Rodrigo Caetano e estamos pra alinhar isso juntos e, quem sabe, mais pra frente, a gente tenha novas surpresas com relação a isso.

COLUNA DO FLAMENGO: Nós estamos vendo que o Flamengo está fazendo um trabalho muito grande de customização. Muitos questionam se as partes externas do estádio também serão customizadas. Você pode contar pro pessoal o porque de não acontecer?

Marcelo Barros: Não foi nada conversado sobre a parte externa. A gente decidiu deixar uma coisa neutra. Temos nosso associados. Temos que respeitar as cores do nosso clube. Na medida do possível atendemos todos os pedidos feitos pela direção do Flamengo. Tudo que foi pedido a gente atendeu, mas tem algumas coisas que fica impossibilitado de serem feitas. Eu acho que o estádio tá ficando bastante bonito. O associado e as pessoas que gostam da Portuguesa abraçaram a ideia. Chegamos até a torcer pelo Flamengo. É engraçado mas a gente realmente torce nos jogos. Assistimos os jogos e acompanhamos muito mais do que acompanhávamos. Nossos funcionários também estão torcendo. Uma parceria que é de coração e tem tudo pra caminhar bem.

COLUNA DO FLAMENGO: Pra finalizar, você pode falar sobre as modalidades disponível no clube da Portuguesa. Tanto pros associados da Portuguesa quanto para pessoas que queiram praticar esportes e também as melhorias que você tem e o que o clube Portuguesa da Ilha acaba disponibilizando para seus associados.

Marcelo Barros: Vocês deram uma volta com a gente e realmente conhecer. A gente aproveita pra convidar os Insulanos que não conheçam, para conhecer a nova estrutura da Portuguesa. Nosso presidente assumiu em 2011 uma missão muito difícil com o clube em situações difíceis e precária, com muitas dívidas. Em 6 anos conseguiu fazer um trabalho que realmente não esperamos que fosse tanto como está. Então, nossa estrutura foi bastante melhorada com essa parceria que veio nos ajudar. Estamos utilizando para construir uma piscina nova, que está sendo terminada e na lateral uma infantil. Um espaço junto, com deck e estamos fazendo melhoria na parte de departamento aquático, nas quadras… Estamos fazendo um trabalho muito expressivo na parte social para que possamos aumentar essa número de sócios e atende-los com mais qualidade.

Após a entrevista com Marcelo Barros, o presidente João Rêgo bateu um papo com a gente. Confira:

COLUNA DO FLAMENGO: O que que você acredita, que realmente, foi fundamental para essa parceria ter acontecido com o Flamengo?

João Rêgo: Quero dar as boas vindas a todos os rubro-negros, a toda diretoria do Flamengo e todos os flamenguistas pela presença e principalmente pela maneira como o Flamengo está conduzindo as obras aqui na Ilha. Estão sendo feitas coisas com muita segurança e isso nos deixa muito satisfeitos. Principalmente a parte de segurança das pessoas que é a preocupação do Flamengo e da Portuguesa.

COLUNA DO FLAMENGO: A relação da parceria entre Portuguesa da Ilha e o Flamengo:

João Rêgo: Nós já tínhamos feito o início de uma parceria antes do último clube que esteve aqui. Não se concretizou mas sempre foi o meu objetivo (que o Flamengo viesse pra cá). E quando nós sentimos que haveria continuação, procurei logo, através do nosso conselho, arrumar uma posição que pudesse trazer o Flamengo. Aconteceu que nós conseguimos e estamos aí muito satisfeito e realmente eu tenho certeza que vai ser muito bom para as duas partes. Espero que continue por muitos anos.

COLUNA DO FLAMENGO: Hoje o contrato reza que serão os 3 próximos com possibilidade de prorrogação por mais 3 anos. Temos expectativas que o Flamengo acabe dando continuidade nessa parceria e fique pelo menos 6 anos jogando aqui. Você acredita que será de suma importância para  poder contribuir para que a Portuguesa tenha um time forte?

João Rêgo: Sim. O Rio de Janeiro de poucos campos para disputar o futebol carioca e o futebol nacional. Então eu acho que o Flamengo está dando uma grande contribuição ao futebol do Rio com essa parceria. Espero que realmente seja bom para os dois lados. Que continue dos 3 anos com a gente.

Veja também

  • A intenção da entrevista e matéria foi maravilhosa. Mas custa muito corrigir o texto antes de soltar?
    Dá para entender? Claro que dá, mas evitará até piadinhas sem graça.

    PS: A sequência de erros tira o interesse pela leitura do texto.

  • portuguesa = o único clube de origem lusitana que importa.

  • E as obras, cade?

Comentários não são permitidos.