CBF testa árbitros de vídeo neste fim de semana

O futebol brasileiro terá uma novidade histórica neste final de semana. A CBF vai testar pela primeira vez no país, o árbitro de vídeo (AV) que poderá ser consultado em alguma situações.

O nome do sistema usado é o VAR (Video Assistant Referees) é o mesmo que foi testado durante o Mundial de Clubes em dezembro e que deve ser utilizado também na Copa do Mundo da Rússia em 2018. O sistema VAR é um recurso para ajudar os árbitros durante os jogos. A assistência pode ser utilizada só em quatro tipo de jogadas: gols (Validá-lo ou não por algum tipo de infração, pênaltis (para sancioná-los ou não), cartões vermelhos (se houver dúvida sobre a gravidade da infração) e confusão na identificação de jogadores (para não punir jogadores que não estejam envolvidos na infração).

A primeira partida a receber o recurso será do Campeonato Pernambucano entre Sport Recife x Salgueiro, jogo de ida da final estadual. A equipe de arbitragem escalada é José Woshington da Silva, 29 anos, de Carpina (PE), será o árbitro principal; Marlon Rafael Gomes de Oliveira, 30 anos, de Paulista (PE), o assistente 1; Fabrício Leite Sales, 30 anos, de Camaragibe (PE), o assistente 2; e Gleydson Ferreira Leite, 40 anos, de Jaboatão dos Guararapes (PE), o assistente de revisão. Também está escalado Clóvis Amaral da Silva, 36 anos, de Recife, como assistente reserva. Todos são naturais do estado.

– A filosofia dos testes não é interferir em 100% dos lances duvidosos, pois isso mudaria o ritmo e anularia emoções essenciais do futebol. O lema é “mínima interferência, máximo benefício”, com atuação da tecnologia em lances que podem mudar, diretamente, o resultado. –, disse a CBF em comunicado.

O árbitro de vídeo atua sob as normas do Protocolo do IFAB (International Football Association Board), órgão máximo da arbitragem no futebol mundial. O projeto inovador é brasileiro e foi criado com o apoio da Comissão de Arbitragem da CBF e da ENAF. O árbitro de vídeo não atua em todas as dúvidas que possam surgir em campo. As informações são passadas ao árbitro principal em quatro situações:

– Foi gol / Não foi gol
– Foi pênalti / Não foi pênalti
– Cartão vermelho direto indevido
– Identificação errada do jogador punido

Treze países foram autorizados pelo IFAB a experimentar o uso do árbitro de vídeo: Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Portugal, Catar, República Checa e Turquia. A Argentina acabou de fazer a autorização ao IFAB para utilizar o sistema VAR.

O uso será online, ou seja, com a comunicação aberta entre o árbitro de vídeo, na cabine, e o árbitro principal, em campo. No ano passado, a CBF havia feito dois testes offline, sem comunicação entre cabine e campo de jogo, na final do Campeonato Carioca, entre Vasco e Botafogo. Nesta temporada, os métodos foram testados em partidas de categorias de base realizados na Granja Comary, em Teresópolis.

Nós estamos satisfeitos com o progresso do Brasil nos últimos 12 meses e acompanhamos a CBF e a Federação Pernambucana durante toda a preparação para esse primeiro com o árbitro de vídeo alcançar o sucesso – afirmou o secretário-geral do IFAB, Lukas Brud.

A universidade KU Leuven, da Bélgica, vem produzindo um banco de dados para analisar os experimentos do árbitro de vídeo. O IFAB espera tomar a decisão final sobre o uso do AV no futebol durante seu seminário anual, no primeiro trimestre de 2018.

Mais informações sobre o árbitro de vídeo estão aqui (clique para ver). Acesse também a seção de perguntas e respostas (confira o documento).

Veja também

Comentários não são permitidos.