Ele desperdiçou a chance no Fla e foi parar no clube sensação da França com Balotelli

Do difícil início de carreira no pequeno Barra Mansa, do Sul Fluminense do Rio de Janeiro, para a sensação do Campeonato Francês, OG Nice. Na vida do lateral esquerdo Dalbert, nada foi tão fácil como se esperava. Com apenas 23 anos, o jovem que chegou a treinar com o elenco profissional do Flamengo, mas acabou desperdiçando a oportunidade – como ele mesmo revela – hoje colhe bons frutos. Titular absoluto no rubro-negro da França, que conta no cartel de jogadores com o zagueiro Dante, ex-Seleção Brasileira, e o atacante Mario Balotelli, ele falou com exclusividade para o FOXSports.com.br e contou um pouco da sua trajetória, falando também da expectativa de disputar a próxima Champions League.

Nascido no Município de Barra Mansa, que conta com um pouco mais de 170 mil habitantes, Dalbert iniciou a carreira no clube da sua cidade. Após se destacar na segunda divisão do Campeonato Carioca, ele recebeu oportunidade de se juntar às categorias de base do Flamengo em 2013, inclsuive tendo treinado entre os profissionais. Uma das mágoas que carrega até hoje, como ele mesmo revela, foi o fato de não ter conseguido continuidade no clube carioca, mas por culpa própria.

“Eu saí do Barra Mansa e fui direto para o Flamengo, onde cheguei a jogar com o Léo Moura, Vágner Love, Ramon, Liédson, Alex Silva, parecia que eu estava em um sonho, e eu pensava que a partir daquele momento tudo seria mais fácil. Infelizmente por culpa minha, porque o Flamengo sempre cumpriu com as suas obrigações, no final do meu contrato tivemos uma conversa e eles propuseram a minha saída do clube porque o meu contrato não seria renovado. Até hoje bate aquele arrependimento, porque ficou aquele gostinho de que eu poderia ter feito muito mais no Flamengo, e poderia ter mostrado o meu valor”, revelou o jogador.

Da mágoa, ao sonho europeu. Após a saída do Flamengo, Dalbert foi contratado pelo Académico de Vizeu, clube português que disputa a segunda divisão do país. Apesar da difícil adaptação, onde chegou inclusive a ter algumas de suas roupas roubadas, o lateral-esquerdo deu a volta por cima. Em sua segunda temporada na equipe (2014/15), acabou eleito o melhor da posição ao fim do campeonato, despertando assim o interesse do Vitória de Guimarães, clube da elite do futebol português, onde também mais uma vez foi bem.

De Barra Mansa para o mundo: Ao lado de Dante, Dalbert comemora vitória do OG Nice (Foto: Divulgação)

Em uma única temporada no clube da ‘Cidade Berço’ – onde nasceu o primeiro rei de Portugal, Dom Afonso Henriques – o jovem lateral desperou as atenções do OG Nice, clube que no ano anterior havia terminado o Campeonato Francês na 4ª colocação, sendo uma das sensações daquela edição. Desta vez, a adaptação foi bem mais fácil para Dalbert, que lembrou que logo após a sua chegada, em julho de 2016, ocorreram os atentados terrostistas na cidade francesa.

“A adaptação aqui foi bem tranquila, mas aquele atentado me amedrontou bastante. Eu estava em Genebra, na Suíça, fazendo pré-temporada. Eu cheguei a Nice, fiz os exames e no outro dia já estava viajando para a pré-temporada junto do grupo. Então eu já não estava na cidade, mas o meu telefone tocou, meus pais, minhas redes sociais, não paravam, todos mandando mensagens, e eu não entendendo nada. Mas depois com o tempo chegou a notícia no nosso hotel do que havia acontecido, então fiquei um pouco com medo, todos os estrangeiros do clube ficaram aterrorizados. O fato de eu estar ao lado da minha esposa me ajudou bastante, eu fui vendo que aos pouco as pessoas já estavam começando a viver normalmente, e eu também não podia deixar de viver a minha vida, tinha que andar para frente”, lembrou o jogador.

Além de Dalbert, a equipe francesa também trouxe outras peças importantes para a disputa da atual temporada, como o zagueiro Dante, Ex-Bayern München e Wolfsburg, e o icônico atacante italiano Mario Balotelli. Com um grupo que mistura juventude e experiência, o Nice mais uma vez foi para as cabeças. A duas rodadas do fim da Ligue 1, a equipe que chegou a liderar a competição, hoje ocupa a 3ª colocação com 77 pontos, e já tem vaga garantida para a disputa dos play-offs da próxima Champions League, motivo de muita felicidade para o brasileiro, que fará a sua estreia na principal competição de clubes do Velho Continente e que o deixa bastante ansioso.

“Esse ano eu consegui concretizar o sonho de disputar um Europa League, joguei contra bons clubes como o Schalke 04, que eu não esperava, e fiquei muito feliz. Agora com essa possibilidade de disputar uma Champions League, se conseguirmos passar pela pré-eliminatória, posso dizer que eu estou bem ansioso para estrear naquele ambiente, e acho que depois da estreia não vou querer jogar outro campeonato (risos). Estou bem ansioso, não só eu, mas também a minha família, todo mundo fica falando que no próximo ano é Champions League, que querem me ver lá, que vai ser muito emocionante, e isso é muito gratificante, então eu estou ansioso para este momento”, afirmou o jogador, que ainda explicou o “segredo” para a excelente temporada que o OG Nice vem fazendo.

“Nice é linda, o tempo é bom, um pouco parecido com o Rio de Janeiro. Então a gente joga com alegria, a gente tenta não carrega muita pressão, fazemos o nosso melhor e tentamos chegar à um nível acima. Ninguém esperava que o Nice fosse conseguir se manter na parte de cima da tabela, conseguimos liderar, e as expectativas começaram a ficar muito grandes boa temporada que a gente vem fazendo, que é a melhor do clube nos últimos 40 anos, e a cidade está feliz, os torcedores estão muito empolgados, e depois dessa temporada acho que a cobrança vai ser maior, porque o Nice está crescendo, e vai ser importante dar continuidade a esse trabalho excelente que estamos fazendo”, completou.

Fonte: Fox Sports

Veja também

  • pela primeira vez uma matéria da fox, que não tem origem em PVC que presta!

Comentários não são permitidos.