Carabao sofre para entrar no mercado brasileiro

Com promessa de altas cifras para os seis anos de contrato, são aproximadamente R$ 190 milhões, a Carabao enfrenta dificuldades para entrar no mercado brasileiro, com isso aparece a dificuldade de efetuar pagamentos, ou ainda, a dificuldade da empresa em se tornar patrocinadora master do clube.

De acordo com o gerente de Marketing, Bruno Spindel a empresa de energéticos comprometeu-se com uma estratégia de longo prazo e cumpre os compromissos financeiros de 2017, apesar do atraso confirmado pela assessoria do clube – chegou a dever R$ 9 milhões. A dívida foi quitada neste mês.

Fica a expectativa em saber o desenrolar desse imbróglio. O clube terá que realizar uma nova estratégia de Marketing em busca de novos horizontes, para que não entre no ano de 2018 sem o principal patrocinador na camisa, como aconteceu com muitos clubes no início desse ano. Até agora, nem Flamengo nem Carabao comentam se a meta de vendas de bebidas está muito aquém do esperado – ou mesmo, quantas latinhas foram vendidas, como está o ritmo das vendas.

A parceria entre Flamengo e Carabao no primeiro ano rendeu R$ 15 milhões pelo espaço na camisa. Mesmo permanecendo na manga, a expectativa é que os valores não sofram alterações. No dia 12 de maio, a empresa mudou a estratégia e anunciou parceria com as Lojas Americanas para tentar alavancar o alcance do produto. Vale lembrar que os produtos são importados. O que significa que, além de mal distribuído, a oferta é muito menor que a demanda.

Veja também

  • Pelo que andei lendo, o produto é produzido fora do Brasil… Pelas metas estabelecidas, num país de dimensões continentais, a primeira medida deveria ter sido montar uma filial da fábrica e fazê-lo em solo brasileiro. Isso melhoraria a distribuição, a tornaria mais rápida.
    Eu moro no Nordeste e nunca vi nem sequer uma propaganda, um cartaz.
    Você tem um produto bom (é o que fala que já tomou), tem o melhor espaço publicitário do país, tem um público alvo de no mínimo 20 milhões (considerando metade da torcida), porém você não tem o produto.
    No meu ponto de vista o problema não é a distribuição, o problema é a fabricação. Distribuir o que existe no país é mais fácil do que distribuir o que não existe. SRN

  • Os caras entraram em um mercado extremamente competitivo e com players estabelecidos, queriam o que?

    Eu que sou do Rio poucas vezes vi o energético no mercado. Na verdade perto de onde moro eu nunca vi.

    Tem que mudar a estratégia, se não vão ser o fiasco da década.

  • Aqui em Joinville -SC chegou no mês passado. Gostei,já tomei alguns!!!

  • Isso ai tem o dedo do Eurico Miranda. Com certeza.kkkk

  • Tem que distribuir o produto para a nação ajudar, só na minha família Marcondes aqui em Guarapuava PR tem 50 flamenguista … Esse marketing do Fla e carabao está muito fraco, assim vamos perder o patrocinador fecha logo uma parceria com a AmBev já que é parceira do mengão facilita a distribuição.

  • É mal distribuido mesmo. Moro e bsb e nunca vi carabao aqui. E parece que não é só aqui… Não acha quase que no Brasil todo hahahhahaha

    • Se tá difícil para você achar em Brasília, imagina eu que moro em Manaus.

      • Hahahhahahahhaahahah! Ta difícil

  • Amigos , eles não quiseram , muito estranho ! Tenho um bar é um restaurante chamado Arariboia Espaço Gourmet, em Niterói RJ , mandei e-mail solicitando um representante para a Carabao e para o Flamengo , a Carabao não me respondeu e não coloquei o produto a venda. Não podem reclamar, nunca vi para vender no Rj todo.

  • Será que no Chelsea eles atrasariam? Isso é uma visão pouco profissional. Esses caras tem que entender, que apesar de ser Brasil, eles tem que agir com seriedade e profissionalismo. Não sabem o que é Flamengo, não sabem o que é o mercado nacional. Isso está claro. Foi tudo lindo no começo e tal, e agora já mudam as regras, e me passa uma má impressão. Parece que os caras estão só fazendo “laboratório”, vendo qual é, e não com uma postura de quem está mesmo a fim de entrar forte junto com o time. Me parece isso. Espero estar redondamente enganado.
    O Flamengo tinha que conseguir um parceiro, um patrocínio forte, mas que ajude nas contratações como faz a Crefisa no Palmeiras e sem essa de atrelar contrato à cotas de vendas e tal. Isso é descabido: o Flamengo não manda no mercado, não pode obrigar as pessoas a consumirem o produto, e não pode ser “penalizado” pelo fato da Empresa não atingir metas X, Y de vendas…isso é totalmente descabido e me preocupou desde o início. E agora já não vão ser os patrocinadores Masters, atrasando pagamento…eu se sou o BM corro atrás de um plano B e logo. Dá uma prensa nos caras também, cobre seriedade. Quer a vera mesmo ou é só onda? Diz que vai ser o principal patrocinador e depois muda, como é que vai ser então? Tem que ter uma posição dura também.

  • Moro em itumbiara goias cidade com mais de 100 mil habitantes . Sou flamenguista e sempre procuro esse energético na cidade e nunca encontro e olha que existem muitos se supermercados e até redes como o bretas e o Mart.
    Alguma coisa de errada tem nisso aí

    • Verdade…eles estão pecando na distribuição. Tenho um bar é um restaurante, tentei fazer contato e nem me responderam.

  • Como alguém quer entrar no mercado sem estudar antes?? Ainda mais com concorrentes já conhecidos como red Bull e TNT ?? Esqueceram do dever de casa neh , Brasil do tamanho q eh e não pensaram na logística!! Ou queriam q Flamengo se encarregasse disso?

  • Acho que com a possibilidade do Flamengo se classificar para a final da sulamericana está afetando a cabeça dos antifla, assunto tem aos montes Ex: segunda tem duas votação muito boa para o futuro do mais querido, mas para eles não interessa, só falam das mil possibilidade da Carabanda, então não é falta de assunto é ódio mesmo que aquela turma do jornal extra liderados pela aquela mulher (respeito às mulheres), mas maluca dias não.

  • Carapálida, vcs só tem uma saída, que é fechar com uma rede de distribuição que atenda todo o País , tipo a Brasil Kirin, comprada recentemente pela Hineken .
    Ou os distribuidores dá Ambev ou Coca Cola, que mais difícil , pq eles já fazem isso com produtos similares.

    • A AmBev é dona do energetico Fusion e a Coca Cola é dona do Monster, não sei se a Brasil Kirin é dona de algum energético.

      • A coca não é dona do Monster e é somente parceira.
        A monster usa a distribuição da coca para alcançar todo território nacional.
        A monster era parceira da AmBev e agora veio para a coca.
        Assim como a Heineken é parceira da Coca cola.

        • A coca comprou a Monster, comprou esse ano

  • Os desafios da logística aki no Brasil são muito grande

    • Acredito, que eles não sabiam da foça da torcida, tinha um pensamento de se expandir pro Brasil, só que quando fechou com o flamengo, todos os donos de lojas/mercados, queriam/querem o produto, só que na hora de fazer a distribuição a empresa ainda não tinha uma base sólida, ai acabou que ela se espalhou muito e não é forte em nenhum local para depois expandir para outros estados.

Comentários não são permitidos.