Vice de marketing do Fla explica número de sócios-torcedores ter caído

Os números do programa de sócios-torcedores do Flamengo estavam em constante crescente desde a contratação de Diego, no ano passado, porém, recentemente eles têm apresentado uma queda.

O número, que ultrapassou os 100 mil no fim de junho, voltou a ser menor que essa marca. Atualmente, segundo dados do Movimento por um Futebol Melhor, o Nação Rubro-Negra tem 99.667 associados.

O Vice-presidente de marketing do Flamengo, Daniel Orlean disse que acha perfeitamente normal essa variação. Quando alcançou os 100 mil sócios-torcedores, por exemplo, o Mais Querido estava nas quartas de final da Copa do Brasil, com chances de título brasileiro e em alta. Agora, está em sexto lugar no Brasileirão e inclusive com chances de ficar de fora da Libertadores 2018.

– É natural (a oscilação), por vários motivos: janelas de vencimento de associações, o espaçamento de jogos decisivos, momentos que o time passou, entre outros. O importante é que mesmo com a queda, conseguimos manter o número bem mais elevado que no mesmo período passado. Isso mostra o quanto a nação está empenhada em tornar o time e o clube mais fortes – disse Orlean ao GloboEsporte.com.

Quando cita “janelas de vencimento de associações”, Orlean fala dos planos de seis meses ou um ano, por exemplo, que vencem e não são renovados.

A meta do clube é criar, portanto, mais benefícios para que a associação não fique vinculada apenas à fase do time de futebol.

– A gente tem trabalhado bastante para tornar o programa interessante por vários motivos além dos ingressos. Redes de benefícios, experiências, maior atenção ao torcedor que está longe do Rio de Janeiro, fortalecimento das embaixadas e consulados, entre outras ações. O fato de ser natural (a oscilação) não significa que não podemos almejar melhorias constantes – finalizou.

Atualmente, o Flamengo é o sétimo clube do Brasil com mais sócios-torcedores, de acordo com o Movimento por um Futebol Melhor. O líder é o Grêmio, finalista da Libertadores, com 131.299 associados, de acordo com os números enviados pelo clube ao movimento.

Veja também

  • 2018 promete ser uma ano de muitos titulos ao CRF.
    Presidente EBM, estaremos sempre juntos para o melhor para o MAIS QUERDO.
    Na boa e na ruim, Flamengo acima de tudo !!

  • Sabe como que eu sei que o que eu escrevo é du c_ralho e incomoda? Eles me censuram todos os dias. Bando de chorão, incompetentes e fascistinhas. Toma o texto aí de novo, Team EBM™.

    É impossível olhar para cara desse playboy e não associar esse mala com derrotas, descaracterização e empobrecimento do Flamengo no sentido de suas tradições e costumes. Trouxe para o clube, sob a tutela do vaidoso EBM, um marketing escroto e extremamente prejudicial ao mesmo, especialmente para com sua imagem.

    Se realmente soubesse algo de marketing, deixaria que o próprio Flamengo se vendesse sozinho suportado pela sua marca, que, por sua vez, não necessitaria de maneira alguma se tornar um laboratório, uma experiência estúpida de optimização de
    vendas (claro, pois o vêem como um produto), que já encontra-se enveterada na mente e coração do povo que o segue.

    Para efeito didático, despejo aqui o exemplo da Coca-cola. Se vê por aí campanhas
    massivas de marketing desse produto? Não. Exceto umas campanhas de Natal ou promoções aqui e acolá, a companhia em relação a seu produto feito de cola raramente investe em propaganda. É que isto somente por si se apresenta com uma potente forma de marketing. Trata-se de um produto deveras enveterado nos hábitos de consumo das populações mundo afora, ou, em outras palavras, mais do que aceito. Desta forma, trabalhando-se no subconsciente dos consumidores, os outros refrescos, naturalmente, de tornam preteridos na mente do povo. A persuasão está aqui pelas expectativas não criadas por exposição constante da marca, mas pela sua legitimidade entranhada no cérebro das pessoas. Tem que se ser o maior para agir assim. Não é o Flamengo o Maior de Todos?

    O que seria a excelência do produto Coca-cola deveria ser o Time de Futebol do Flamengo. Para se atingir “picos de vendas”, basta ter time bom, campeão e, acima de tudo, um que seja ORIGINAL – que honre as tradições de raça, toque de bola envolvente e vocação ofensiva. Tendo-se esse Time original Flamengo, vencedor e cruel, não precisaria, melhor, jamais deveriam fazer-se campanhas ridículas de marketing com progagandas utilizando-se de jogadores do Clube, os expondo como garotos-propaganda, inclusive desviando os caras de suas funções e foco principal: jogar bola!

    Flamengo não pode ser vendido como um produto, pois, isto ele não é. Adaptar-se aos tempos modernos é necessário. O que não quer dizer obrigatoriamente que teríamos que colocar o futebol business “above our traditions”. Que façamos os tempos modernos se adaptar ao Flamengo. Isto sim seria um desafio de marketing à altura do Maior do
    Mundo. Que o mundo todo se curve a nossa imponência natural, propensão a abrir trilhas nas matas virgens e as nossas atribuições – todas prerrogativas de direito absoluto. E que o fuckin’ rest integre-se às patetices de cada matiz multicolorida da arcoíris united.

    Quando Edward Bernays, homem de inferno e pioneiro das relações públicas, mestre desprezível da progapaganda, mandou que as socialites de NY saíssem pelas ruas da cidade fumando cigarros na década de 20 a mando dos barões da indústria do tabaco estava ali fazendo com que se ampliasse o número de consumidores, no caso, literalmente alvejando o público feminino, por associar o uso do fumo com elegância e poder – o “exemplo” partia então de cima. A ordem era dada em nível subconsciente
    por dedução lógica.

    Aquele é o marketing natural do Flamengo. Contudo, aqui, a formúla vencedora do Flamengo depende estreitamente de Time de futebol raçudo e vencedor. Ganhado-se títulos e dando orgulho ao seu Rubro-negro, as ruas ficaram sempre “infestadas de mulambos bem-vestidos”. Aí que reside a força original e matadora do Mengão. Lembrem-se que para quase todos os bebedores de refresco de cola somente existe a Coca-cola® e o resto. Para o Flamengo isto está entre nós, os Bem-vestidos, e a arcoíris.

    Temos que explorar e manipular o resto para nosso benefício. É nós contra o mundo. Não precisamos chamar atenção de nada. Nós somos a ‘atenção’. Percebe, bocó do marketing?

    Sai daí, seu playboy. Deixa que eu assumo essa porra. Eu te coloco para ser meu garotinho de anotações e ainda te dou uma caderneta com um escudo do Mengão campeão da Libertas 2018 e lider de ST.

    Amadorismo é f_da!

    SRn

    • olosko bixo

    • propaganda*
      …,as ruas ficariam…*

    • Digo, a força original do Flamengo e seu maior marketing se encontram nos milhões de Rubro-negros que saem bem-vestidos por aí. São outdoors ambulantes e pontuam nossa supremacia . Se tivéssemos time que preste e tradicional, as ruas ficariam infestadas de gente com o Manto por toda parte. Esse é o único marketing que precisamos. O único que interessa a uma marca de tradição. O resto é coisa de mongol formado em Propaganda e Marketing nas diversas faculdades comunista país afora. Você grita “tradição” e os caras escutam “branding”!

  • O Fla esta na semifinal da Sul Americana…bom, é tudo por causa da péssima administração do futebol e campanhas pífias. Natural mesmo e creio que o BM não deva estar muito preocupado, visto que resiste em mudar as coisas…então não chora prejuízo.

  • É impossível olhar para cara desse playboy e não associar esse mala com derrotas, descaracterização e empobrecimento do Flamengo no sentido de suas tradições e costumes. Trouxe para o clube, sob a tutela do vaidoso EBM, um marketing escroto e extremamente prejudicial ao mesmo, especialmente para com sua imagem.

    Se realmente soubesse algo de marketing, deixaria que o próprio Flamengo se vendesse sozinho suportado pela sua marca, que, por sua vez, não necessitaria de maneira alguma se tornar um laboratório, uma experiência estúpida de optimização de vendas (claro, pois o vêem como um produto), que já encontra-se enveterada na mente e coração do povo que o segue.

    Para efeito didático, despejo aqui o exemplo da Coca-cola. Se vê por aí campanhas massivas de marketing desse produto? Não. Exceto umas campanhas de Natal ou promoções aqui e acolá, a companhia em relação a seu produto feito de cola raramente investe em propaganda. É que isto somente por si se apresenta com uma potente forma de marketing. Trata-se de um produto deveras enveterado nos hábitos de consumo das populações mundo afora, ou, em outras palavras, mais do que aceito. Desta forma, trabalhando-se no subconsciente dos consumidores, os outros refrescos, naturalmente, de tornam preteridos na mente do povo. A persuasão está aqui pelas expectativas não criadas por exposição constante da marca, mas pela sua legitimidade entranhada no cérebro das pessoas. Tem que se ser o maior para agir assim. Não é o Flamengo o Maior de Todo?

    O que seria a excelência do produto Coca-cola deveria ser o Time de Futebol do Flamengo. Para se atingir “picos de vendas”, basta ter time bom, campeão e, acima de tudo, um que seja ORIGINAL – que honre as tradições de raça, toque de bola envolvente e vocação ofensiva.

    Tendo-se esse Time original Flamengo, vencedor e cruel, não precisaria, melhor, jamais deveriam fazer-se campanhas ridículas de marketing com progagandas utilizando-se de jogadores do Clube, os expondo como garotos-propaganda, inclusive desviando os caras de suas funções e foco principal: jogar bola!

    Flamengo não pode ser vendido como um produto, pois, isto ele não é. Adaptar-se aos tempos modernos é necessário. O que não quer dizer obrigatoriamente que teríamos que colocar o futebol business “above our traditions”. Que façamos os tempos modernos se adaptar ao Flamengo. Isto sim seria um desafio de marketing à altura do Maior do Mundo. Que o mundo todo se curve a nossa imponência natural, propensão a abrir trilhas nas matas virgens e as nossas atribuições – todas prerrogativas de direito absoluto. E que o fuckin’ rest integre-se às patetices de cada matiz multicolorida da arcoíris united.

    Quando Edward Bernays, homem de inferno e pioneiro das relações públicas, mestre desprezível da progapaganda, mandou que as socialites de NY saíssem pelas ruas da cidade fumando cigarros na década de 20 a mando dos barões da indústria do tabaco estava ali fazendo com que se ampliasse o número de consumidores, no caso, literalmente alvejando o público feminino, por associar o uso do fumo com elegância e poder – o “exemplo” partia então de cima. A ordem era dada em nível subconsciente por dedução lógica.

    Aquele é o marketing natural do Flamengo. Contudo, aqui, a formúla vencedora do Flamengo depende estreitamente de Time de futebol raçudo e vencedor. Ganhado-se títulos e dando orgulho ao seu Rubro-negro, as ruas ficaram sempre “infestadas de mulambos bem-vestidos”. Aí que reside a força original e matadora do Mengão. Lembrem-se que para quase todos os bebedores de refresco de cola somente existe a Coca-cola® e o resto. Para o Flamengo isto está entre nós, os Bem-vestidos, e a arcoíris.

    Temos que explorar e manipular o resto para nosso benefício. É nós contra o mundo. Não precisamos chamar atenção de nada. Nós somos a ‘atenção’. Percebe, bocó do marketing?

    Sai daí, seu playboy. Deixa que eu assumo essa porra. Eu te coloco para ser meu garotinho de anotações e ainda te dou uma caderneta com um escudo do Mengão campeão da Libertas 2018 e lider de ST.

    Amadorismo é f_da!

    SRn

  • Caiu principalmente porque vocês não escutam a torcida.fica protegendo os perebas e passando a mão na cabeça dos jogadores,além de não cobrar as atuações,por serem frouxos,e aceitarem as derrotas como normal,fora os resultados e campanhas vexatórias até aqui(Tirando a CB que pelo menos chegou na final),se eu fosse sócio torcedor,também já teria cancelado o meu faz tempo!

  • Será que é tão difícil entender? Ninguém quer pagar Sócio Torcedor pra ver um time frouxo como temos visto em campo. Simples assim! Ou quer que desenhe?

  • Porreta, tá explicado a queda, porque ainda estamos em 7o… Ou seja, tudo ótimo! Mais umas 2 semanas o VP de Futebol também vem explicar porque o resultado foi pior, e tudo ótimo de novo. Basta dar explicações…

    • Deveríamos ser primeiro, somos a maior torcida

      • No minimo! Se não atingiu a primeira posição ainda, tem uma enorme demanda reprimida a ser explorada.

  • Ufa! Pensei que ele iria colocar a culpa no “Inominável”… &;-D

    • Kkkkkk
      E olhe que não falta torcedor dizendo que já cancelou ou vai cancelar por causa dele, viu?

      • Uma metade de fato, cancelou por causa dele. A outra deve estar retornando, já que o Zé Ricardo foi dispensado… &;-D

        • Kkkkkk
          Deve estar mesmo amigo. Abs

  • Tenho uma lista para agradecer essa queda de sócio torcedor.
    Zé panela
    Caramujo
    Muralha
    Vaz
    Gabriel
    Rodrigo Caetano
    Bandeira de Mello
    A falta de entrega de um time covarde.
    As dispensas de Paulo Victor e Donatti.
    A falta de títulos de expressão.
    Mozer
    Etc. Etc. Etc….
    OU SEJA TEM MUITA COISA ERRADA NÉ!

    • Exatamente, parceiro. Sei que vai vir um caminhão de críticas…mas cancelei meu sócio torcedor (na verdade, deixei de renovar) quando da insistência em manter o Wallace…Depois que ele, honrosamente, pediu pra sair, logo tivemos que ver o inominável “tomar o seu lugar”…ou seja…ser titular sem ter méritos para tal…
      Por isso concordo com vc…Muitos, como eu, deixaram de ser sócio pelo desrespeito que está diretoria tem para com a torcida…Somos ignorados…Somos apenas pagadores de conta…meu dinheiro eh muito suado pra eu usá – lo pra pagar o salário do Messi Araújo…
      Quando o torcedor voltar a ser ouvido, eu me aperto e me associo novamente.

      • É bem isso ninguém nos ouve!

  • Sou ST desde 2013 juntamente com 3 filhos. Moro no DF e raramente usufruo dos benefícios, às vezes que usufruí foi na compra de ingresso, que já é uma grande vantagem (imagine sair do DF para ver um jogo de apelo sem ingresso.). Acompanho o FLA desde a década de 70, ainda criança, e nunca vi uma administração tão competente como a de EBM e equipe. Permanecerei associado mesmo que não venham títulos importantes (acredito que virão), com perebas no time e com qualquer presidente, pois estou no programa para ajudar o FLAMENGO, que é a minha paixão. SRN.

  • Se mandar a perebagem embora teremos adesão em massa… Simples assim seus bananas de merdas…

  • Preço alto pra quem não mora no rio ….
    O maior problemas são planos mal.elaborado falta dé um plano para pobre a maioria da nação ..plano de 9.99
    Plano de 14.99
    Como todos tem
    Além de Rodrigo Caetano m.Araújo r Vaz mancuello Rômulo Rodolfo esse monte de merda que o r.Caetano trouxe eloutros me teve…

    Eu era sócio não sou mais nem voltarei a ser moro em s.p o Fla.tenho joga aqui 3 jogos por ano 1 e em santos não tenho contrapartida alguma ……
    Bandeira me desc eu era seu fã…não sou mais
    Exigimos plano de 9.99 pra quem não é do rio

  • Renova com esses perebas pra ver se não cancelo o meu também, o problema é a falta do “trust” que a diretoria não passa pra torcida com atitudes que contrariam as tradições do clube.

  • Eis os motivos de eu ter cancelado o meu:
    Thiago, Muralha, Pará (principalmente), Vaz, MA, Romulo, Gabriel, Matheus Sávio, Vizeu é Victor Hugo, mas partindo a barca com estes passageiros tenho tudo para voltar a ajudar.

    • Não há pereba que justifique a saída do programa, pois o que está em jogo é o FLAMENGO, não atleta A ou B. Perebas sempre tivemos em qualquer época. A ideia é apoiar a instituição FLAMENGO. Se saiu por esse motivo, receio não ser um autêntico rubro-negro.

      • EBM, é vc?

        • KKKKKK. Não, sou só um rubro-negro reconhecedor do excelente trabalho. SRN.

      • Sou sim autêntico, mas passei raiva demais Carlos, minha cabeça dói, não durmo, sempre nas derrotas, por isso cancelei, e muitos também, talvez sintam que as atitudes erradas, principalmente a falta de vontade de alguns jogadores trazem impactos além de derotas, mas isso não me deixa menos rubro negro que você, lembrando que muita gente não tem condições de pagar algum plano, e mesmo assim não deixam de ser apaixonados pelo Flamengo.

    • Os planos para quem não mora no rio de Janeiro não contrapartida alguma,não é vantajoso para mim que moro em só .ahh mas Vc tem que ajudar o time simmmm esta certo mas não posso é milhões de brasileiros hj não podem mais ir ao estádio,o sócio torcedor do flamengo ele vai na contra mão da realidade o flamengo pede ajuda ,e não deveria ser assim deveria o Fla angariar clientes em todas as camadas sociais,massa de consumo são os pobres bandeira o rico AssistE futebolmas ele joga ,golfe,tênis,turfe,entre outros esportes considerados da elite,
      O pobre não Sr EBM….o pobre acorda futebol,almoça futebol,dorme futebol

      O pobre em sua essência é futebol…..
      Quanto me custa pagar o plano +ingresso+ transporte ate o rio +comida+

      Bandeira Vc me fez pensar que ser rubro negro não é mais pra mim …

      • Sim, eu penso igual a você amigo, moro no interior de minas

    • Concordo!

  • kkkkk o motivo todo mundo sabe o sol é grande e uma peneira nao tapa..

    Ta aqui senhor dirigente a explicação da queda: Caramujo, Vaz , gabriel , muralha Pára, romulo, victor hugo. fernando gonçalves, bandeira, fred luz, conca, Pivo, jayme, time amarelão, falta de titulos importantes, ingressos caros, falta de vantagens no ST, os off rio são esquecidos.. que mais? devo ter me esquecido de mais alguma coisa complementem aí rapaziada

    SRN

  • A explicação é obvia, sem títulos logicamente o numero de sócios-torcedores vai diminuir. Todos os flamenguistas são gratos a atual diretoria pela recuperação financeira do clube. No entanto, o que marca verdadeiramente a passagem de um dirigente ou jogador em um clube são os títulos.

Comentários não são permitidos.