Com estilo paternal, Carpegiani conquista jogadores e dirigentes

Carpegiani completou quatro jogos no comando técnico do Mais Querido. Com seu estilo peculiar e paternal, de fala mansa, orientador e didático, o treinador tem conquistado o elenco rubro-negro. Os jogadores se sentem abraçados e confortáveis com o atual comandante.

Paulo César Carpegiani tem se notabilizado pelo trabalho com os garotos da base. Sempre muito atencioso, prestativo e comunicativo, ele chama atenção também pela paciência com os meninos. Inclusive, com a maior joia do elenco da Gávea, que já está vendido ao Real Madrid-ESP.

– Se Vinícius Júnior está se cobrando, é porque tem muito mais a dar. No lance do gol (perdido contra o Vasco), ele podia driblar o goleiro, entrar com bola e tudo, mas é preciso ter paciência e calma. O Vinícius é um jogador que vai para o Real Madrid e tem que se aperfeiçoar, ser competitivo, fechar espaços, compor o meio -, comentou o treinador.

Carpegiani, que foi campeão da Libertadores e Mundial pelo Flamengo em 1981, aceitou um novo desafio e iniciou a temporada utilizando os jovens da base, mesclando com alguns do elenco principal. O comandante afirmou que estava no planejamento utiliza-los. Informou também que alguns campeões da Copa São Paulo de Futebol Júnior vão começar a ter oportunidade já na próxima quarta-feira, em um jogo treino, contra o Bonsucesso, às 17h.

– A palavra correta não é rodízio. Temos planejamento e um grupo ainda em pré-temporada. Existe a necessidade de dar sequência de jogos para esses jogadores. Não quero separar os meninos do outro grupo, vejo um todo. Os meninos da Copinha estão sendo acoplados e somos um grupo só. Na próxima quarta-feira, teremos um jogo-treino. Alguns meninos da Copinha serão já agora acoplados ao elenco -, disse o comandante.

Prestigiado por dirigentes e também pelo elenco, Carpegiani não criticou a torcida por ter vaiado alguns atletas, como Everton Ribeiro e Rômulo, em suas estreias na temporada. O treinador lamentou a ausência da torcida na estreia da Copa Libertadores e disse que as vaias irão servir de incentivo aos jogadores que estão em campo.

É nosso 12º jogador e não vamos ter na estreia na Libertadores. É nossa combustão, a pressão para que os jogadores tenham maior responsabilidade e, consequentemente, aquela garra, disposição, a mística do Flamengo. Já dirigi lá atrás um time que atacava e continuava essa exigência. As vaias eu não tenho nada a reclamar. Vai servir como um incentivo para quem está dentro de campo -, finalizou.

Veja também

  • Paternal? Kkkk deixa perder o carioca
    Os adjetivos vão mudar kkk

  • Xiiii! é melhor ele tomar cuidado com esse estilo paternalista demais,pos nao ira da muito certo,pois é do mesmo jeito que o Banana de melo trata todo mundo,e ja vimos que nao da certo,so espero que ele nao va por esse mesmo caminho.

  • Jogador brasileiro é fresco e mimado demais, com treinador paternal se sentem “confortáveis” e puxam o tapete dos mais severos. Coisas como tática, padrão de jogo, justiça nas escalações, não importa, o que importa é que o técnico é paizão e passa a mão na cabeça.

    Joel Santana não é bobo e mesmo defasado passou décadas garantindo bons empregos, fazendo esse papel de Papai Joel nos clubes do Ro, onde o profissionalismo ainda é uma utopia.

    • Existe uma grande diferença entre cobrar e ser ignorante. Luxemburgo, Milton Mendes, entre outros, são ignorantes, não sabem tratar o jogador.
      Antes de um jogador de futebol, quem está ali é um homem, pai de família. Ninguém gosta de ser desrespeitado. Nós que trabalhamos sabemos como é ruim ter um chefe que não nos trata de forma adequada.
      Você falou no final em profissionalismo, é exatamente isso, cobra o jogador, com seriedade, mas com respeito, se não resolver é banco, multa, rescinde, empresta ou vende e pronto.
      Mas é início de temporada, ele quer que os jogadores evoluam, assimilem o que ele está passando, é hora de incentivo, apoio, a cobrança vem junto, mas mais pesada é se os resultados não aparecerem.

  • Melhor equipe para a Libertadores com possível negociação:

    Diego Alves(César), Rodinei(Pará), Réver(Rhodolfo), Juan(Léo Duarte), Everton(Trauco), Cuellar(Ronaldo), L. Paquetá(Arão), Diego(Jean Lucas), Everton Ribeiro(Geuvânio), M. Moreno(V. Junior), H. Dourado(Lincoln)

    Carioca:
    J. César(Gabriel), Klebinho, Rhodolfo, Léo Duarte, Michael, Ronaldo, Jean Lucas, Pepê, Geuvânio(Bill), V. Júnior(Lucas Silva), Lincoln(Vitor Gabriel)

  • Há uma semana esse mesmo site fez uma matéria dizendo que o estilo do cara preocupava jogadores. Kkkkkkk

  • Só espero que não seja paternalismo estilo Banana, que só passa a mão na cabeça.

  • Minha única preocupação é se o Fla revezar, vai ter time definido pra liberta ou vão continuar testando? Muita responsa pros garotos, mas vejo o time titular pior do que o da copinha.

  • Queria ver um 3-4-3 ou 3-5-2 nesse time, complicado Pará e Renê(descartáveis) juntos, zagueiro que poderia vim seria o (Dória), na lateral direito (Wiliam), esquerda (Dodô)! Trauco apoia bem, mas é a maior avenida da história recente do Flamengo, e Rodinei máximo um reserva!

  • Panelinha ? O tempo dirá

  • Papai Carpa.

    So quero que cumpra a promessa de quem ta melhor joga.

    • No Carioca ele tem que testar todos, colocar todos para jogar, testar formações alternativas, etc. e na Libertadores sim, selecionar a melhor equipe, os que se encaixarem melhor.

      • Então teremos que jogar com 3 zagueiros e esquecer laterais, pq os que tem, meu Deus, nem o todo poderoso agüenta.

        • São muito ruins mesmo

      • Isso mesmo. Nao estou cobrando agora.

        O justo é todo mundo ter chances.

      • Isso, até porque ele só vai saber quem está melhor vendo em campo.

Comentários não são permitidos.