Com novo estilo de jogo, Fla atinge alto índice de passes certos

O ano de 2018 começou com belos resultados para o Flamengo. Sem saber o que é perder e com boas atuações na Taça Guanabara, os números passam a refletir fora de campo, o que o técnico Paulo Cesar Carpegiani aplica dentro das quatro linhas.

A equipe Rubro-Negra, que ainda não conheceu o sabor da derrota na temporada, e sofreu apenas um gol durante o Campeonato Carioca, vem apostando em um novo estilo dentro de campo. Com um 4-1-4-1 bem consolidado e jogadores executando bem sua função no gramado, os números demonstram a eficiência do Mais Querido.

De acordo com levantamento feito pela equipe do Fox Sports, o Flamengo segue atrás apenas do paulista, Palmeiras, na porcentagem de passes acertados na temporada. O primeiro possui 92,7% de acerto de passes, enquanto a equipe carioca vem logo em seguida com 92,5% de acerto.

A boa forma e atuação constante do Flamengo pode garantir um título neste fim de semana. O Rubro-Negro entra em campo contra a equipe do Boavista pela decisão da Taça Guanabara no domingo (18), às 17h (horário de Brasilia), no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica.

Veja também

  • Flamengo melhorou bastante nesse quesito, o time tava meio malucado com o Rueda,parecia que jogava sem treinar, entrosamento 0.
    Agora tá bem organizado, faltando apenas boas atuações de algumas peças; ER7, Diego, Para, Renê.

  • O time tem que ser treinado para melhorar o ultimo passe.
    O time tem a bola, mas falta agressividade e movimentação para infiltrações. Nosso jogo ainda está engessado pelos flancos. Falta ainda movimentação na área adversária e a tabela.

    • Isso se resolve com laterais decentes, não os que temos

      • O problema é encontrar laterais decentes.
        O que se tem hoje no futebol brasileiro são laterais meia boca, mais ou menos do mesmo nivel dos atuais laterais do Flamengo.
        O futebol brasileiro hoje passa pela sua pior crise de laterais desde os finais dos anos 60 quando começou a era Carlos Alberto Torres seguido por Leandro/Junior, Jorginho/Branco, Cafu/Leonardo e em seguida Roberto Carlos e hoje com Daniel Alves/Marcelo.
        No dia em que Daniel Alves e Marcelo se aposentarem a Seleção Brasileira sofrerá tanto quanto a Argentina vem sofrendo com os zagueiros atuais.

Comentários não são permitidos.