André Rocha: “Fluminense está na final porque, acredite, tem mais repertório que o Fla”

Quem olha os números da semifinal da Taça Rio imagina um amplo domínio do Flamengo sobre o Fluminense no Estádio Nílton Santos: 58% de posse de bola, 21 finalizações rubro-negras contra 12. Se comparar os orçamentos no futebol a diferença aumenta ainda mais. Considerando que um disputa Libertadores e outro foi eliminado da Copa do Brasil pelo Avaí…

Mas nem tudo é como parece. Se no jogo da fase de grupos do returno do Carioca os reservas do Fla relativizam os 4 a 0 aplicados pelo tricolor, a verdade do campo desta vez mostrou uma dura realidade para Paulo César Carpegiani: o 3-5-2 simples, à moda antiga, montado por Abel Braga oferece um repertório ofensivo maior que o da equipe com elenco, em tese, mais qualificado.

O jogo tricolor flui, especialmente pelos flancos. Pela direita, Gilberto se aproxima de Jadson e Marcos Júnior para as triangulações. No lado oposto, o mesmo com Ayrton, grande revelação do campeonato, mais Richard e Sornoza. Repare no camisa dez equatoriano do Flu. A bola chega e sai com facilidade. Passe para a frente, objetivo, encontra o companheiro pronto para acelerar.

Já no Fla, Diego e Everton Ribeiro não conseguem construir o volume de jogo desejado. Erram passes, são burocráticos e pouco inventivos. Para complicar, Lucas Paquetá, um dos poucos que procuravam passar de primeira, agora sempre precisa dar um toque a mais na bola. Ainda assim, consegue ser o jogador capaz de tentar algo diferente na execução do 4-1-4-1 armado por Carpegiani.

O Flu ainda tem outra vantagem: os zagueiros Renato Chaves e Ibañez são opções de saída de bola com rapidez para fazer a bola chegar rapidamente nos alas. No lado rubro-negro, Rever, Juan e Jonas são mais lentos e os meias precisam recuar para ajudar. Sem contar as sérias limitações técnicas e de discernimento na tomada de decisão dos laterais Rodinei e Renê. E ainda tem Henrique Dourado acrescentando muito pouco. Não dá sequência aos ataques como pivô e no toque final não é contundente.

Em resume, o jogo do Flu acontece naturalmente e o do Fla sai a forceps, no abafa. Mais uma vez o ”primo rico” do futebol carioca precisou apelar para os cruzamentos. 14 no primeiro tempo, 23 no segundo. Total de 37. O empate veio no abafa e na sequência de chutes de Rodinei e o definitivo de Everton, que produziu muito mais como lateral que meia pela esquerda.

O Flu cruzou 21 e contou com a ajuda de uma atuação constrangedora de Diego Alves na saída da meta. Muita hesitação que Gum aproveitou para abrir o placar no primeiro tempo e podia ter ampliado no segundo com o mesmo camisa três tricolor em outra falha do goleiro, mas na sequência é difícil avaliar se Gum está atrás da linha da bola ou se Diego Alves dava condição.

Não precisou. Foi sofrido. Vinícius Júnior, que entrou na vaga de Renê, teve a bola da classificação no pé direito em um contragolpe. O Flu perdeu chances de matar o clássico em contra-ataques bem engendrados. Mas o empate por 1 a 1 classificou para a final contra o Botafogo a melhor equipe do returno. Nada especial em um estadual de baixo nível técnico, públicos ridículos e um Rio de Janeiro em crise profunda.

De qualquer forma, é um alento para o Flu. Assim como o Botafogo, o outro finalista, não tem outra competição para disputar neste momento. O título da Taça Rio servirá para melhorar a autoestima no clube vencedor.

Para o Flamengo, duas más notícias: fim da chance de ganhar duas semanas para treinamentos e apenas uma partida para definir o Carioca. A pior é que objetivamente o time não evoluiu em relação à temporada passada. Na necessidade, ainda vive de cruzamentos e lampejos, especialmente de Paquetá e Vinicius Júnior. É muito pouco para quem investe tanto.

O Flu faz mais com menos e há muito mérito nisto.

(Estatísticas: Footstats)

Reprodução: Blog do André Rocha

Veja também

  • O Flu não tem um plantel excelente, mas tem o Abel, que é mais técnico que Zé, Rueda e Carpeggiani juntos. Se não fosse pelo o Abel, eles estariam muito ferrados.

  • Cara chega ser ridículo esses comentários. Fluminense tem tanto repertório que levou um pau do gigante avai. A única diferença que vi no Fluminense foi a seguinte, contra o avai precisava ganhar e propor o jogo, ferro, contra o Flamengo precisava de um empate e não fazer nada além de se fechar e jogar nos espaços que naturalmente um time da qdo tem a necessidade de fazer um resultado. Não acho que o Flamengo tá essa Brastemp toda não, mas falar q Fluminense tem repertório é brincadeira, só p tumultuar, induzindo torcedor que tem preguiça de fazer uma análise do que foi o jogo e a temporada dos dois times.

    • perfeito!!! penso a mesma coisa!!!!e outra coisa o goleiro falhou de novo nos dois gols o que valeu e o que estava impedido… sai muito mal do gol falha grotesca do deigo alves no gol do fluminense…

    • Excelente. Essas conclusões são tiradas de um Fla flu que não valia nada. Quero ver esse repertório quando começar o brasileirão.

  • Texto lúcido, é assim que eu enxergo também.

    Os outros times, mesmo com investimento menor conseguem fazer seus jogadores ter um mínimo de padrão. Não tô dizendo que o elenco do flor se iguala em termos técnicos, mas a objetividade é organização desses times pequenos tem superado o conjunto de “nomes” do Flamengo.

  • porquê esse bosta do André Rocha não vai falar do time dele que é péssimo ? pois bem, o que o flumerda almeja nessa temporada ? a não ser se livrar do rebaixamento ? faça me o favor viu, o time jogou o tempo inteiro na retranca as chances dele foram em contra ataques.. é cada um comentarista de merda viu, eles falam essas mazelas, por que muito torcedor como vejo aki nos comentário concordando com ele, por isso que ele fala essas asneiras, muitos dão ibope.

    • Exato. Mas a torcida corneta bestas teleguiadas parece ser maior que a torcida do flamengo de verdade

  • Essa é a realidade do time do Flamengo, gostemos ou não, time bom pega o adversário inferior, sendo considerado grande ou pequeno ganha e bem, o Flamengo ao contrário, qualquer time se endurecer o jogo, pode passar uma semana jogando que não ganha. O Flamengo tem apenas um time muito caro, com jogadores que são muito bons para encher aeroporto, mas na hora do jogo no campo que é o que importa, são apenas “PROFISSIONAIS” que pensam no dia 5 de cada mês. E quando a coisa aperta, quem resolve é a base, com Paquetá ou Vinícius Jr. no segundo tempo.

  • todos os adversários do Rio jogam contra o mengo como timinhos, todo recuado. Isso sim, não é falado por esses escrotos,querendo valorizar o que não tem valor. Vai lutar pranão cair novamente.

    • Exato

  • É isso aí. O flu é 10. O Avaí que o diga.

    • boa gecimar, é isso aí, as vezes tenho a impressão de que o nosso adversário é a nossa propria torcida, concorda ?

  • Não li o texto e nem vou ler, pelo título já vi que trata-se de bobagem e idiotice, o Flu apenas jogou como timinho, retrancado, cera, antijogo, no contra-ataque. Quase não criaram oportunidades claras de gol, fizeram um gol por falha clara da defesa do Fla e por pouco não fizeram o segundo, outra falha da defesa desatenta. Inadmissível deixar o zagueiro sem marcação numa jogada aérea. Simples assim!

    • Não leia mesmo, falou bobagem. Criar com espaços qualquer um, basta precisar sair pro jogo que não passa do Avaí.

    • eu perdi meu tempo parabéns para você que não leu; como se faz uma analise pelo olhômetro?

  • Abel SEMPRE cria problemas para nós, ele arma seu time medíocre e infinitamente inferior ao nosso para jogar como timinho, fechado e rápido no contra ataque, dessa forma que eles conseguem sobreviver nos confrontos contra nós. Ano passado vencemos o carioca com um gol suspeito (a falta do Rever foi clara, depois ficou fácil), tivemos dois 1 x 0 (1os jogos da final Carioca e Sula), um 1 x 1 , um 2 x 2 e dois 3 x 3. Esse ano o 1o jogo não conta, apesar do dedo do Abel ter sido fundamental para goleada, o de ontem novamente taticamente eles souberam não nos deixaram jogar, mesmo sendo um time ridículo, pior do que o do ano passado, acabou de ser eliminado pelo Avai na Copa do Brasil um torneio altamente rentável para quem passa de fase, principalmente quem está quebrado financeiramente. Acho que Abel tira leite de pedra!!

    • Abel é muito bom, o Fluzinho sempre ajeitadinho com jogadores limitados….

      • Mas também só vai bem contra o flamengo, e mesmo assim nunca vence um fla-flu rsrs

  • Um time limitado jogar fechadinho, esperando a boa para tentar levar a vitória, é bem normal, cada um luta com suas armas. O QUE NÃO É NORMAL SÃO ESSES COMENTARISTA ENCHEREM ESSES TIMES DE ELOGIOS.

    • exato mano, ainda mais ano passado todos eles criticando porque se comemorou o titulo do carioca em 2017 em cima dos tricoletes de arroz; e fomos eliminado pelo regulamento medíocre, porque se junta-se os pontos dos turnos quem deveria ter vantagem era o mengo

  • Novamente o Flamengo irá sofrer para fazer gols em times fechadinhos, assim como em 2017.

    • qualquer time tens problemas, nenhum time tem um Messi, CR7, Neymar para tirar coelho da cartola! e mesmo assim esses times com esses jogadores enfrentam problemas.

  • Ta longe de ser assim. O Fluminense entrou com 10 atrás da linha da bola, uma linha de 5 na frente do goleiro, o Flamengo tentou e pra variar falhou no arremate das jogadas. Depois que saiu o gol e o Flamengo precisando de 2 gols em um tempo, ai sim o jogo do Fluminense fluiu, pois tinha espaço de sobra quando saiam rápido em contra golpes. Qualquer jogador mediano joga com espaço. NÃO SÓ NÃO TEM MAIS REPERTÓRIO QUE O FLAMENGO COMO NÃO TEM MELHOR FUTEBOL. Tem todo esse repertório que o colunista está dizendo, mais quando precisa sair pro jogo não passa do Avaí.

    • exato sergio, qualquer time têm dificuldades contra equipes postadas com dez atras

      • Perfeito, escrevi isso mais cedo.
        Um belo exemplo: Alemanha em 14, sofria pra ganhar os jogos, acho q foi Argélia 1×0 sofrido, mas qndo pegou times abertos enfiou a porrada. Portugal e Brasil no caso.

  • Continuo na mesma ladainha. Time que precisa vencer tem que partir pra cima sufocando desde o primeiro segundo de jogo, mas com esse Flamengo é diferente. Dono de um “elenco” caro e com jogadores “melhores”, acha que pode vencer naturalmente a qualquer tempo, e aí começa o joguinho: “bolinha pra lá, bolinha pra ca, bolinha pra trás”. E vai assim, perdendo algumas chances e dando a entender que o gol viria “naturalmente”, até levar um aos 45, numa falha de um goleiro “caro”, mas que não sabe sair do gol. Só que o time se acostumou tanto a jogar essa bolinha pros lados e pra tras que, na hora que tem que ir pra frente, não sabe fazer. E vai aos trancos e barrancos, atabalhoado, oferecendo generosos espaços pro contra-ataque, e só não “morreu” de vez no segundo tempo por pura afobação dos atacantes do Flu, e por causa do bandeirinha, que anulou um gol legal do Flu, em mais uma falha do “goleiro caro mas que não sabe sair do gol”. E tome cruzamento, e como a bola nunca chegava, tira o Dourado. O tempo passando e o desespero tomando conta. Levou quase 90 minutos pra fazer um golzinho chorado num time que já se sabia de antemão que ia jogar fechadinho, esperando um erro pra matar o jogo. Abel é um dos especialistas nesse jogo, foi zagueiro, sabe como montar uma zaga, e sabe o que um ataque precisa para vencer uma defesa. O outro é Joel Santana, que jogou com ele no Vasco.
    Junte-se a isso um Paquetá a cada dia precisando mais de driblar o time adversário inteiro pra dar sequência a uma jogada, laterais inoperantes, meias sem saber o que fazer com a bola, centroavante limitado encaixotado nos zagueiros,  goleiro inseguro, zaga lenta e um treinador escalando e mexendo mal no time, sobrou quem? Jonas e VJr., que ainda perdeu o gol da classificação. Não é sempre que vai conseguir salvar o time.
    Uma constatação: já disse várias vezes que o futebol do Flamengo precisa de um “choque de gestão”, um sacolejão com dispensas e barrações tanto de jogadores quanto de cartolas. Como está, fica difícil imaginar esse time conquistando títulos importantes em 2018. Pode até ser, mas depender dos lampejos de um menino de 17 anos para vencer os jogos é algo que nem no tempo de Zico foi necessário.
    O problema não é ter perdido a Champions Taça Rio. O problema é o futebolzinho de bosta que esse time está jogando. E pra dizer a verdade, prefiro ver esse time jogar toda hora do que dar um “descanso” de duas semanas antes de uma final. Já vi esse filme, e o que ganha jogo (e títulos) não é “descanso” prolongado. Podem dizer o que quiserem, mas vi o Flamengo um dia ganhar um Carioca, uma Libertadores e um Mundial de Clubes no espaço de 36 dias, numa época que não tinha CT, nem tanta “tecnologia” ou salário em dia. Tinha era jogador, treinador, inconformismo com derrotas e a exata noção do que é jogar num clube como o Flamengo, sabendo que são jogadores de futebol e não funcionários de uma repartição pública.
    Sufocar só Portuguesa ou Boavista não conta. Não dá pra admitir um mesmo time jogando tão bem contra o Emelec fora de casa, e depois não saber o que fazer diante do Fluminense, jogando no Rio. Ou se sacode o saco, vira de cabeça pra baixo e deixa cair o que não presta, ou a vaca vai pro brejo de vez. Se é que já não foi.

    • Bela sua opinião, faço das suas palavras as minhas, zero pegada ontem.

  • Tá na final porque não jogou contra ninguém, o Flamengo é isso que vemos, cambada de jogador conservador e preguiçoso, infelizmente ninguém cobra ninguém e vira isso ai que estamos vendo, o torcedor que paga ingresso que sofre por esse bando de jogador merda!

  • Defecou pelos dedos.
    Repertório porra nenhuma, senão elas não teriam sido eliminadas da Copa do Brasil pro Avaí.
    A questão toda é proposta de jogo. O Flor é montado para o contra ataque e só, e o Flamengo propõe o jogo, ideal para o esquema delas. Qndo o Flor tem q propor o jogo é pior que o nosso time, então caro colunista faça a análise com menos emoção.
    Fato que o estilo arame liso e a forma blasé de jogar como em algum momento mágico o mar vermelho da defesaç adversária se abrirá para fazermos o gol é o que tá fudendo com o Flamengo há 2 temporadas

    • Mas esse é o problema do Flamengo faz tempo, o Fluminense fez 1×0 no Avaí e tomou a virada, repito do Avaí, mas o Flamengo não consegue ganhar de ninguém se o adversário endurece o jogo, só quando abrem bem as pernas, o Flamengo ganha.

      • Então, temos o nosso problema, q na verdade é só um: falta de intensidade. Os caras jogam um primeiro tempo inteiro cercando com medo de deixar contra ataque, nessa não faz gol e fatalmente sempre toma um contra ataque.
        Já imaginava q o jogo seria da forma que foi, assim como cravei que ganharíamos do Emelec, pq eles não nos respeitariam e se abririam. Jogar com time aberto para nós é um sonho raro de ocorrer.
        O que é imperdoável é o fato de não termos xontra ataque, o time não tem um escape, que na teoria seria o EC, mas ele não tem essa capacidade, que ontem vimos claramente q o Vini Jr. tem.

        • O Flamengo tem a intenção de jogar um futebol moderno, toques rápidos, infiltração, marcação alta… Mas se você olhar a escalação, nada combina com nada. Zaga velha e lenta, volante (Jonas, um MA com mais força) que não sabe sair jogando, as laterais não existe, meio campo que prende a bola (principalmente Diego) e um atacante que só sabe bater pênaltis. Não vai da certo.

          • Acho q pro nível do nosso futebol, a zaga com Rhodolfo passa, com Rever realmente é muito lerda. O que me incomoda mesmo é a falta de intensidade do meio campo, fazem tudo certo: posicionamento, cobertura, não afobam, prezam pelo passe, só que no ritimo master do Aterro, aí não vai.
            O atacante e os laterais prefiro nem comentar. ( vi Romário no Maraca pelo Flamengo, que tristeza é ver Guerrero como melhor opção).

          • O negócio é o técnico ter coragem e rejuvenescer o time, na zaga, no meio, nas laterais e no ataque, reza pra jesus Cristo. E eu não consigo entender o problema que os técnicos brasileiros teem contra o Cuellar, o Jonas é um MA mais forte, com a bola nos pés é triste.

  • Esse COLUNA só serve para jogar pedras. Que repertório? O time jogou bem, só não classificou, principalmente, pq a prioridade é a Liberta e o Flu ficou com a melhor campanha e direito ao empate. Esse carioca é o campeonato mais desorganizado do Brasil. Henrique Dourado está matando o time, se ele não tivesse jogado como zagueiro e atrapalhado o diego, o resultado teria sido outro. O importante é a Liberta, vamos parar de colocar pressão sem necessidade.

    • Se a libertadores é a prioridade, bota o Sub-20 que jogavam bem melhor.

    • Exato e a flu ficou com melhor campanha da taça rio; porque no geral era o Flamengo, ou seja fomos desclassificado pelo regulamento e não pelo fluminense, iremos para semi com vantagem do regulamento é muita loucura essa porcaria mesmo,e não devemos esquecer que devido polpar jogadores jogamos inteiro contra o Emelec SRN

  • Os comentários que alguns fazem (imprensa e outros) de que o Flamengo é um grande time, cheio de jogadores de “alto nível” , um dos melhores elencos do Brasil e etc….são puramente enganosos.
    O elenco é mediano e não existe nenhuma superioridade sobre seus rivais estaduais….nem falarei dos rivais nacionais.
    Percebe-se, em cada jogo, as limitações técnicas da equipe. Não vai conquistar a Libertadores, não será campeão brasileiro, nem Copa do Brasil e ainda corre o risco de não levar o carioquinha….são minhas previsões

  • Com todo respeito ao autor do texto mas eu discordo veementemente. O time do fluminense é fraquíssimo e só tem uma jogada : chuveirinho na área. O Flamengo mesmo jogando mal foi melhor no jogo e não saiu com a vitoria por pouco.

  • Sem lateral não vai pra lugar algum, o rodinei pegou umas 500 bolas e não acertou um cruzamento, Renê nem apoia serve, vive da mentira que criaram que ele sabe marcar mais que o trauco.

  • É só pegar um time defensivamente bem postado que esse ataque fica batendo cabeça. Entra ano e sai ano e o Flamengo não evolui em nada.

    • qualquer time bem postado,

  • Gostaria de saber se os adoradores do Paquetá gostaram do joguinho dele ontem. Não estou dizendo que ele foi pior que Diego ou Everton Ribeiro, mas que o fato de ter vindo da base não pode blindá-lo. Continua com as pisadinhas na bola e até embaixadinha de cabeça totalmente desnecessária, porque deveria botar no chão e dar seguimento ao jogo.
    Para mim, apenas Jonas jogou com “culhões” de flamenguista. Tem suas limitações técnicas, mas se entrega e tentou, pelo menos, uns três chutes de fora da área. Coisa que não tínhamos com o caramujo. Vinícius e Everton Cardoso, apesar da falha no gol, foram bem. No lance do gol, Jonas marcava o Pedro e Everton o Gum. Nosso goleiro, que é bom, falhou novamente. César continua esperando sua justa oportunidade.
    Está na hora de dar uma chacoalhada nesse grupo.

    • Não ouve falha no gol.

    • Não houve falha alguma no gol…

  • Novamente, os ditos “comentaristas” demostram que nada entendem de futebol.
    O Flamengo foi superior o tempo inteiro, mas o Fluminense não se acorvadou, manteve sempre dois pontas abertos, pra evitar a subida dos laterais, um atacante rápido pra puxar o contra-ataque, sempre verticalizando e jogando em velocidade, devido aos nossos zagueiros serem muito lentos.
    No gol de Gum, falha de Diego Alves, e falhou de novo no 2º tempo, só que dessa vez Gum impedido completou a jogada.
    Foi um bom jogo, empatamos, e não me venha com essa de falta de raça, jogamos com garra, com vontade, vou analisar individualmente cada jogador:
    Diego Alves, falhou no gol do Fluminense;
    Juan e Rever, bem, mas os dois juntos, não dá, são muito lentos;
    Renê, bom defensor e só.
    Rondinei, pior atuação dele com o manto, melhor esquecer;
    Jonas, de novo um monstro na marcação, e como tem cara de mal e fama de dividir duro, os jogadores tiram o pé, e pura fúria animal;
    Diego, tentou, mas ficou encaixotado na marcação;
    Everton Ribeiro, fora o gol na semana passda, ele já estrteou pelo Flamengo?
    Lucas Paquetá, foi bem, mas na ponta direita não rende tanto quanto pelo meio, na função de médio de área a área, tem de barrar o Everton Ribeiro e Vinicius Júnior jogar aberto pela direita;
    Everton, o motorzinho, de meia esquerda, de lateral, é fundamental para o time, e Golaço;
    Vinicius Júnior, fez boas jogadas;
    Henrique, e Vizeu, ficaram encaixotados na marcação, não era pra ter entrado o Vizeu, e sim o Geuvânio no lugar do Jonas, pra termos o chute de fora da área.
    Cuéllar, colocado como meia, não rendeu.
    Carpegiane, poderia ter mexido melhor no time, mas no 2º tempo, o time amassou o Fluminense, a pressão foi incrivel, só não ganhamos por detalhes.

  • O Fluminense não disputa a libertadores, foi eliminado da copa do Brasil e não almeja mais que se livrar do rebaixamento no brasileirão e por causa de um jogo que pra nós não valia mais que uma semana de descanso, já acham que o time deles está jogando muito mais que o nosso.
    Para mim as duas variáveis fundamentais no jogo de ontem foram a “vontade de vencer” do fluminense e os nossos laterais que foram péssimos.
    O flamengo jogou como se pudesse vencer facilmente a qualquer momento, enquanto o Fluminense jogou a vida para ter um primeiro semestre minimamente digno.

    • e vamos jogar a semi com o regulamento debaixo do braço

    • Gostei da observação!

  • Discordo! Flamengo foi melhor apesar de concordar que Diego e Everton Ribeiro podereriam ter jogado melhor! Fluminense bateu demais e fez cera o segundo tempo todo! Perdemos nos nossos erros!

    • A cera foi durante o jogo inteirinho, mas as amebas do flamengo permitiram que TODOS os jogadores do fluminense recebessem atendimento em campo, como se fossem goleiros. Isso é uma piada. A maca só era chamada depois de uma atendimento com tempo de espera de uma UPA.

      • Mas que permite o atendimento não é o arbitro?

        • O árbitro deve permitir a entrada e acionar a maçã concomitantemente, para evitar o que eles fizeram ontem, CERA.

      • MAs nao depende deles e sim da merd@ do arbitro! Mas nao vamos chorar pq aqui e Flamengo! Dessa vez nao deu, mas a guerra nao acabou

    • Concordo em parte, não to vendo ninguém falar da bola aérea, ano passado já estava uma merda e esse ano continua. Com o Rever a situação piora.

  • Quantos gols perdemos ontem?

    Falta é centroavante.

    • Falta lateral, todas jogadas se resume a abri nas pontas

    • E laterais tambem.

  • Precisa de muito pra esse time fluir, precisa de outros meias, esses dois não deram certo no Flamengo, precisa de laterais, e olha falaram que os outros times tem laterais piores que os do Fla, nossa, vi bons laterais no Flu ontem, essa torcida midiática. Até o goleiro do Flu é melhor do que o nosso. Criticaram o Flu quando ele fez aquela limpa no elenco, calou os criticos. Realmente hj os dirigentes dos outros no Rio são mais competentes. Espero que o Fla antes da limpeza, mude o Diretor de futebol, esse que já está ai a 4 anos precisa de novos ares. Não vai adiantar nada ficar no time um diretor que a 4 anos não rendeu.

  • Resumo: com esses laterais, meias “meia boca” e centroavantes, não chegaremos a lugar algum

    • Com esse tipo de “torcedor” também não…

      • Torcer não me torna uma pessoa cega. SRN

Comentários não são permitidos.