GE: “Foi bem? Irritou? Faltou algo? Avaliamos todos os reforços da era Rodrigo Caetano”

emitido na última quinta-feira, após a eliminação no Campeonato Carioca para o Botafogo, Rodrigo Caetano deixou o cargo de diretor de futebol do Flamengo após pouco mais de três anos. Nesse tempo, foram 42 jogadores contratados, e o GloboEsporte.com criou sete categorias para avaliá-los.

Os três que chegaram em 2018 – Júlio César, Marlos Moreno e Henrique Dourado -, pelo pouco tempo para mostrar o trabalho, não foram encaixados em nenhuma das categorias. Entre os demais, alguns foram bem, outros decepcionaram, e teve jogador que sequer atuou com a camisa rubro-negra.

Veja abaixo:

? Caiu nas graças da torcida

Rodrigo Caetano conversa com Guerrero durante a apresentação do peruano em 2015 (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)
Rodrigo Caetano conversa com Guerrero durante a apresentação do peruano em 2015 (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)
  • GUERRERO – Após fim de contrato com o Corinthians, o Flamengo teve custos apenas com luvas e salários para contar com o atacante em 2015. O peruano tomou conta da camisa 9 e, após suspensão por doping, vive a expectativa de retorno e de uma possível renovação de contrato.
  • DIEGO – A contratação de maior impacto dos últimos anos no clube. Sonho antigo, o meia rescindiu com o Fenerbahçe para assinar com o Rubro-Negro, que novamente arcou apenas com bonificações ao jogador. Apesar de estar em baixa, foi o cara do time nas duas últimas temporadas.
  • RÉVER – Em baixa no Internacional, foi contratado por empréstimo no meio de 2016 após o Flamengo passar por problemas no setor. Ganhou a posição, a faixa de capitão e a admiração da torcida após boas atuações.
  • JUAN – Com poucos zagueiros no elenco no fim de 2015, o clube foi atrás do ídolo, que estava no Internacional e voltou sem custos. Deixou de lado a questão de idade e foi titular absoluto na temporada passada, sendo decisivo em partidas importantes.

? Cumpriu o papel

Fernandinho na apresentação ao Flamengo (Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com)
Fernandinho na apresentação ao Flamengo (Foto: Fred Gomes/GloboEsporte.com)

  • JONAS – Após disputa com o Corinthians, o Flamengo anunciou o volante no início de 2015. O negócio foi feito com empresários que compraram 70% dos direitos do jogador junto ao Sampaio Corrêa por R$ 1 milhão. Saiu para empréstimos após sua primeira temporada – passou por Ponte Preta, Dinamo Zagreb e Coritiba -, mas voltou e ganhou a vaga de titular em 2018.
  • ALAN PATRICK – Chegou em 2015 após rápida e apagada passagem pelo Palmeiras, mas foi importante no time que brigou nas primeiras posições do Brasileiro de 2016. Ao fim da temporada, mesmo após manifestar vontade de ficar, o Shakhtar não quis estender o contrato de empréstimo do meia.
  • EMERSON SHEIK – Teve retorno acertado em junho de 2015 e correspondeu quando teve oportunidades. Marcou dez vezes em 53 partidas, mas foi pouco aproveitado no fim de sua segunda passagem.
  • CUÉLLAR – O volante ex-Deportivo Cali teve 70% dos seus direitos adquiridos pelo Flamengo por R$ 8 milhões em janeiro de 2016. Acabou sendo preterido por Márcio Araújo, mas recuperou vaga no time titular e está perto de chegar aos 100 jogos com a camisa rubro-negra.
  • FERNANDINHO – O atacante foi emprestado pelo Grêmio em abril de 2016 e foi peça importante do Flamengo na temporada. Fez quatro gols em 32 jogos e era uma espécia de 12° jogador do time de Zé Ricardo. Acabou voltando para o Rio Grande do Sul, onde conquistou a Libertadores no ano passado.
  • RHODOLFO – Em busca de uma opção para brigar por posição com os zagueiros titulares, o Fla desembolsou cerca de R$ 4,5 milhões para tirar o jogador do Besiktas em maio de 2017. De lá para cá, mesmo oscilando, vem dando conta do recado.
  • BERRÍO – Foi anunciado em janeiro do ano passado após transação de cerca de R$ 11 milhões com o Atlético Nacional. O atacante teve altos e baixos, mas foi crucial ao fazer a jogada do gol que deu a classificação na semifinal da Copa do Brasil de 2017. Ainda lesionado, pode ser opção para o novo treinador que chegar.

? Faltou algo a mais

Rodrigo Caetano e Leandro Damião durante apresentação do atacante (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Rodrigo Caetano e Leandro Damião durante apresentação do atacante (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

  • EDERSON – Veio da Lazio em 2015, no último dia da janela de transferências da Europa no meio do ano, e já com a responsabilidade de vestir a camisa 10. Foi irregular no início e, quando começou a mostrar evolução, sofreu lesão grave em entrada de Fagner. Quando voltou, ainda foi surpreendido com um tumor. Recuperado, tenta agora retomar a forma.
  • LEANDRO DAMIÃO – Emprestado pelo Santos em 2016, vestiu a camisa para ser sombra de Guerrero. Chegou a marcar gols bonitos e foi útil, mas jamais unanimidade. Terminou a passagem discreta no fim do ano e acertou com o Internacional.
  • DIEGO ALVES – Chegou no meio do ano passado para ser a solução no Rubro-Negro, que desembolsou cerca de R$ 1 milhão para ter o goleiro. Em alta no Valencia, viu no Flamengo a chance de chamar a atenção de Tite por uma vaga na Copa. Não se firmou. Quando engatou sequência, veio a lesão. Na Libertadores, em 2018, falhou na estreia contra o River Plate.
  • ÉVERTON RIBEIRO – Contratação mais cara da história do Flamengo (R$ 22 milhões), o meia deixou o futebol dos Emirados Árabes, mas não conseguiu se firmar no Rio de Janeiro. Alguns passes decisivos e gols importantes, mas pouco perto da expectativa da torcida.
  • GEUVÂNIO – Emprestado pelos chineses, mostrou surpresa na apresentação no Flamengo. Não emplacou. Raros bons momentos, mas não chegou perto do jogador que chamou a atenção no Santos. Por vezes não fica nem mesmo no banco.

? Nem lá, nem cá

Rodrigo Caetano e Kayke na apresentação do atacante (Foto: Gilvan de Sousa/ Flamengo)
Rodrigo Caetano e Kayke na apresentação do atacante (Foto: Gilvan de Sousa/ Flamengo)
  • KAYKE – Criado na Gávea, Kayke se aproveitou da boa passagem pelo ABC e fechou com o Flamengo, em agosto de 2015 – investimento não chegou a R$ 1 milhão. Com o carinho da torcida, alternou bons e maus momentos. Acabou rendendo cerca de R$ 6 milhões ao ser vendido para o Yokohama Marinos, do Japão.
  • PARÁ – O lateral foi apresentado em janeiro de 2015 para ser sombra de Léo Moura. Chegou a custo zero, fruto de uma dívida do Grêmio com o Flamengo. Já foi titular absoluto e teve nome gritado pela torcida, mas também barrado em algumas oportunidades e criticado. Teve contrato renovado até 2019.
  • AYRTON – Sem espaço no Palmeiras, chegou por empréstimo de um ano. Sem muita expectativa, mostrou raça e qualidade na bola parada, mas não se firmou. Foi útil quando utilizado.
  • ARTHUR MAIA – Destaque do América-RN em 2014, Arthur Maia acertou com o Fla no ano seguinte. Foi sempre uma aposta e até mostrou qualidade, mas não a ponto de se firmar no Flamengo. Rodou no futebol e estava entre as vítimas do acidente com o avião da Chapecoense, em Medellín.
  • RODINEI – O bom aproveitamento na Ponte Preta levou o lateral-direito ao Flamengo. Teve um grande momento na decisão do Carioca de 2017, quando sacramentou o título com um gol contra o Fluminense. Mas a irregularidade também foi destaque. Sofre com crítica da torcida.
  • WILLIAN ARÃO – O volante deixou o Botafogo em 2016 e ficou livre para vestir a camisa do Flamengo – o que gerou polêmica entre os clubes. Já viveu diversas emoções no clube: chegou a ser xodó, foi convocado para a Seleção, mas viu o desempenho cair ao longo do tempo. Antes titular, vive momento difícil e longo tempo na reserva.

? Não deu certo

Armero herdou a camisa 2 de Léo Moura em sua chegada (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Armero herdou a camisa 2 de Léo Moura em sua chegada (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
  • BRESSAN – Vindo do Grêmio, o zagueiro chegou junto com Pará no início de 2015. Aposta de Luxemburgo, estreou com gol, mas não se firmou e deixou o clube após seis meses.
  • ARMERO – Outro que já havia trabalhado com Luxemburgo, o lateral-esquerdo colombiano pertencia a Udinese e assinou empréstimo de um ano para disputar posição com Anderson Pico em abril de 2015. Fez apenas cinco partidas antes de voltar para a Itália.
  • ALMIR – Aos 32 anos, o meia chegou por empréstimo sem custos junto ao Bangu em abril de 2015. Atuou apenas nove vezes, a maioria delas saindo do banco de reservas no fim, e pouco agregou ao time.
  • CHIQUINHO – Contratado no início de 2016 por empréstimo e após passagem pelo Santos, foi apresentado ao lado de Rodinei. Passou a temporada como reserva de Jorge e pouco mostrou nas 16 oportunidades que teve.
  • MANCUELLO – O Flamengo desembolsou cerca de R$ 12 milhões no início de 2016 por 90% dos direitos do meia, ex-Independiente. O argentino jogou 66 vezes, marcou dez gols, mas não correspondeu às expectativas. Na venda ao Cruzeiro, o Rubro-Negro recuperou o investimento e ficou com 30%.
  • TRAUCO – Vindo do Universitario, o lateral-esquerdo foi anunciado como primeiro reforço para 2017, ainda antes da saída de Jorge. Titular na temporada passada, perdeu espaço mesmo fazendo parte da seleção de seu país.
  • RENÊ – A contratação junto ao Sport aconteceu pouco depois do anúncio da ida de Jorge para o Monaco. O Fla desembolsou R$ 3,2 milhões por 50% dos direitos do jogador, que não teve grande sequência na temporada passada e acabou perdendo vaga para o improvisado Everton no último jogo de Carpegiani.
  • DONATTI – Depois de meses de “namoro”, o zagueiro foi contratado por R$ 5 milhões e anunciado em julho de 2016 para ser um dos principais nomes do setor. Falhou na estreia, atuou apenas 11 vezes, e saiu vendido pelo mesmo preço para o Tijuana no meio do ano passado.

? Irritou a torcida

Conca ao lado de Bandeira, Caetano e Tannure em sua apresentação (Foto: AMANDA KESTELMAN)
Conca ao lado de Bandeira, Caetano e Tannure em sua apresentação (Foto: AMANDA KESTELMAN)
  • MARCELO CIRINO – O atacante foi uma das grandes decepções da torcida. A boa forma no Atlético-PR elevou a expectativa no futebol de Cirino e justificou o alto investimento – que chegaria a R$ 16,5 milhões no acordo inicial. Mas o jogador brigou com a bola no Flamengo. Atuou até de centroavante com Luxemburgo, mas acabou perseguido e negociado.
  • ALEX MURALHA – O grande alvo recente dos torcedores. Ao chegar do Figueirense, Muralha teve um 2016 sem problemas no Flamengo. Porém, o ano seguinte foi marcado por diversas falhas. Terminou desgastado no clube e foi para o futebol japonês.
  • RAFAEL VAZ – Contratado em junho de 2016 a custo zero, chegou sob desconfiança pelo passado vascaíno, mas começou bem e formou zaga sólida ao lado de Réver em 2016. Um erro grotesco contra o Fluminense, em Natal, trouxe de volta as críticas, e Vaz nunca mais teve vida calma no Flamengo.
  • ROMULO – Rescindiu contrato com o Spartak, da Rússia, e chegou para substituir Márcio Araújo. Teve sequência em seu início com Zé Ricardo, porém rapidamente mostrou fragilidade física. Lesões, lentidão e atuações apagadas marcam sua passagem pela Gávea até agora.
  • CONCA – Chegou por empréstimo da China com direito a contagem regressiva nas redes sociais e cercado de expectativa. Lesionado, só passou a receber salário depois de ter condições de jogo. Mas atuou três vezes e não agregou nada de interessante. Um desastre.
  • CÉSAR MARTINS – Jogador que teve destaque no Brasil com a camisa da Ponte Preta, viveu raros bons momentos pelo Flamengo. Mostrou-se atabalhoado, e o lance de César pelo Fla foi uma “defesa” contra o Palmeiras que lhe rendeu um cartão vermelho. Não deu certo.

? Quem?

Arthur Henrique e Antonio Carlos foram apresentados juntos no início de 2016 (Foto: Gilvan de Souza/ Fla Imagem)
Arthur Henrique e Antonio Carlos foram apresentados juntos no início de 2016 (Foto: Gilvan de Souza/ Fla Imagem)
  • THALLYSON – Ex-ASA, o lateral-esquerdo e meia foi o primeiro reforço anunciado para 2015, ainda com Vanderlei Luxemburgo no comando. Fez cinco jogos no Carioca e deixou o Rubro-Negro no meio do ano.
  • ANTÔNIO CARLOS  Hoje titular absoluto de Roger Machado no Palmeiras, o zagueiro chegou por empréstimo em dezembro de 2015 após passagem pelo Avaí. Não se lembra? Tudo bem, ele deixou o clube sem jogar sequer um jogo…
  • ARTHUR HENRIQUE – O lateral-esquerdo foi outro contratado no fim de 2015 que também não atuou com a camisa do Flamengo. Chegou sem custos após fim do vínculo com o América-RN, mas deixou o Rio de Janeiro ainda em maio.

Concorda? Não? Deixe seu comentário!

Reprodução: Globo Esporte

Veja também

  • Na grande maioria não vi ninguém criticar as contratações realizadas, salvo as apostas. Criticar agora é mole. Futebol é resultado

  • A certeza do caos que vivemos é confirmada ao vermos Guerrero como caiu nas graças da torcida. Desanimador

  • Parei no Guerrero e no Diego ”Caiu nas graças da torcida”,kkkkk. As unicas contrataçoes que foram bem feita poe esse incompetente do RC na minha opiniao foram:o Cuellar e o juan(que ja esta com quase 40 anos).do resto so contratçoes desnecessarias e sem sentido.ele trouxe um monte de jogadores engandores,bichados e sem nivel pra jogar no flamengo. Sua passagem pelo flamengo foi lamentavel e ja foi tarde;alem de ter sido um dos simbolos dos fracassos de gestao do Bandeira.

  • 80% dos torcedores fazem análise com base em opiniões alheias…..ou seja…..repeteco…

  • Guerrero nas graças da torcida?

    Parei.

  • Administração pífia no departamento de futebol. O Bandeira deveria ter a humildade de contratar jogadores como o Júnior, Leonardo ou Fabio Luciano para fazer com que os contratados entendam o que é ser Flamengo. Já fomos 3 vezes campeões da Copinha e muitos jogadores foram jogados fora.

  • Armero, Bressan, Conca e Muralha foram tiros no próprio pé. Thallyson e Arthur Henrique nem vi jogarem kkk. César Martins um dos piores zagueiros que vi jogar pelo Mengão.

  • Antônio Carlos foi mal aproveitado. Quer uma realidade, nego vai me bater Aki: Leandro Damião é melhor que Henrique Dourado ( certeza absoluta disso!)

    • No Damião é possível ainda ter expectativa vendo a qualidade técnica, já o Henrique dourado não, mas é culpa do torcedor, pediu um cone, trouxeram um cone.

    • Damião era matador no Inter e no Santos jogou bem, o Dourado fica muito abaixo dele tecnicamente, mas acho que pode ser mais decisivo no Fla.

    • Quer a realidade msm? São dois cones!
      Só que um sabe bater pênalti.

      • Sim. Mas se vc ver Leandro Damião é melhor finalizador q o Dourado.

    • Leandro Damião foi mais decisivo do que a maioria desses que passaram ou ainda estão no clube, pelo menos quando ele entrava marcava os golzinhos chorados dele.

      • Só vi o Damião marcando contra o Bangú…

        • se não fosse o golzinho dele contra o todo poderoso Havaí, por exemplo, a gente perderia a vaga direta da libertadores pro vasco

  • Fracassou em todas as contratações. Todas!

    • CONCORDO PLENAMENTE AMIGO ….. NÃO TEM UNZINHO(INACREDITÁVEL ISSO!!!!) QUE A GENTE FAZENDO UMA ANÁLISE REALISTA E ISENTA POSSA AFIRMAR QUE REALMENTE DEU CERTO NO CLUBE …… SÃO 42 CARAS E NENHUM SE SALVA. DEVE SER O RECORDE MUNDIAL DE INCOMPETÊNCIA AO FAZER CONTRATAÇÕES, COM DINHEIRO, E AINDA DIZEM QUE TEMOS SETOR DE INTELIGÊNCIA….. INCRÍVEL ISSO, MUITO TRISTE !!!!!

    • kkkkk,Verdade.E esse incompetente do RC tambem foi um dos simbolos dos fracassos dessa gestao do Bandeira.

  • Essa matéria foi realizada contando com o melhor momento de cada jogador no clube ou pelo nome? Sério… Ver Guerrero no caiu nas graças da torcida parece brincadeira. Primeiro de abril?

  • As pessoas ñ se dão conta da gravidade da situação. Uma crise institucional sem precedentes; presidente completamente perdido e se fiando na opinião do 1o. ministro fred luz. Grupo de apoio político batendo boca entre si. Jogadores tomaram conta do futebol. Muito grave!

    • ERA PRA NEGOCIAR RAPIDAMENTE ARÃO DIEGO RIBAS PARÁ RÔMULO RÉVER(LARANJAS PODRES) RENÊ GEOVÂNIO EDERSON GUERRERO TRAUCO (INÚTEIS Q SO ATRAPALHAM) SÃO 10(!!!)CARAS QUE TEM DE SEREM NEGOCIADOS/VENDIDOS ou TROCADOS URGENTEMENTE E SUBIR A BASE. À FICAR SOB INTENSA OBSERVAÇÃO RODOLFO D.ALVES BERRIO E.RIBEIRO JONAS RODINEI e SE NÃO RENDEREM O SUFICIENTE ATÉ A JANELA DO MEIO DO ANO NEGOCIA TB……LIMPEZA GERAL PRA OXIGENAR O AMBIENTE E DEIXAR QUEM SOBRAR LIGADAÇO !!!!

  • Todas essas contratações teve o apoio do bandeira tbm! A única que pode cravar realmente que deu certo foi o cuellar, o resto algumas não deu certo mas foi uma ótima investida como Guerrero e Diego e outras foi pura incompetência como Dourado e Berrío …

    • Cuellar deu certo em que? Palhaçada, maluco nunca mostrou nada de extraordinário e ficam babando ovo! Jogador mediano, segura muito a bola, afobado nos botes, não sai pro jogo, não lança, não gosta de chutar de fora… Flamengo precisa de um volante muito bom, pra ontem.

      • O cara antecipa todas as jogadas roubando a bola do adversário e não se omiti do jogo , se movimenta o tempo todo com ou sem a bola .Vc deve ser da turma do Rodrigo Caetano que só gosta de caneludo….

    • Penso da mesma forma.

  • Não me espanta o número de jogadores que deram certo ou errado, mas sim os valores que o Rodrigo Caetano investiu nessas contratações.
    18 milhões no Cirino, 12 no Mancuello, 11 no Berrio, 22 no Éverton Ribeiro, 4 no Muralha, 5 no Donatti, 8 no Cuéllar, 12 no Dourado, 3,2 no Renê, sem contar nos jogadores que vieram com salários absurdos e luvas.
    Não entrando no mérito se deram certo ou não, mas é muito dinheiro investido em jogadores nesses 3 anos com qualidade duvidosa e que rendeu APENAS UM Carioca. Depois dizem que o Rodrigo Caetano “sobra”.

    • “SÓ 96 MILHÕES” JOGADOS LITERALMENTE NO RALO !!!!! TRISTE ISSO……

    • kkkkkkk,Verdade.O incompetente do RC gastou um monte de dinheiro em jogadores de qualidade dudvidosas,e os Bandeiretes viviam dizendo que ele contratava bem,sao uns bandos de brincalhoes.

  • Triste ver que com esse elenco mimado, vagabundo não iremos a lugar nenhum. Esses lixos não sabem o que é amar o Flamengo. Impressionante! Tem milhões de jogadores flamenguistas no mundo, mas você olha pro elenco e só se vê representando pelos oriundos da base. Tira o Diego Alves coloquem o César, Juan e Thuller. Klebinho e contratação. Cuellar e Jonas. ER e Paquetá, Vir e Dourado. 442, sem invenções mirabolantes pq não nos levam a nada. Mas não: tem que encaixar Diego, Rever, Pará, Arão… gente que já está a anos no clube e não resolve.

    • Dourado????

      • Chegou agora, tem que deixar jogar pra ver qual é a dele. Os demais já sabemos.

        • Eu preferia dar essa sequência para o Lincoln …

          • Eu também, mas escalá-lo é perda de tempo, pq não vai acontecer… embora eu tenha colocado Thuller e Klebinho…ok, vamos de Lincoln, sonhar não custa nada. Srn

  • Na primeira categoria só caberia o Juan. Guerrero ate teve seus grandes jogos como na estreia ou quando o Diego se lesionou, mas sempre foram isolados, sem sequência. Diego foi gigante em 2016, tava bem ano passado mas depois da lesão acabou. Rever foi igual ao Diego em 2016, depois foi caindo e hoje pode ser banco sem problemas.

  • “Apesar de estar em baixa, foi o cara do time nas duas últimas temporadas.”

    Pqp, quando vão parar de vender esse tipo de bobagem? O Diego não é “o cara do time”, nunca foi, é por causa de bobagens como essa que ele encabeça as panelas junto com o Réver, enquanto ficamos no cheirinho de vexame.

    • Aí você está de birra com o cara. Ele pode não estar bem, mas ele foi o principal jogador em 2016 e até se lesionar era um dos melhores do futebol brasileiro em 2017. Após a lesão ele oscilou demais e caiu muito o rendimento, mas mesmo assim terminou o ano artilheiro do time no Brasileirão e Libertadores.

      • Foi bem em 2016 quando chegou, mas isso não traduz em “o cara do time nas duas últimas temporadas”. Um dos melhores do futebol brasileiro em 2017? Meu caro, até se lesionar, ele só tinha jogado Carioca e três jogos na Libertadores, e jogou bem em dois, contra o San Lorenzo (fora de forma e em crise) e contra o Atlético PR, justamente o jogo no qual ele se lesionou. Foi nosso artilheiro no Brasileirão porque o nosso artilheiro anterior foi um centroavante que só fez seis gols em 19 jogos, não é um grande feito, sem contar que só o ultrapassou pouco antes do tal dopping, quando o Dopero fazia chinelinho para se poupar para a repescagem, mesmo assim, dos 10 gols do Diego, apenas 3 foram em times grandes, São Paulo em crise, Corinthians desfalcado e de ressaca e Fluminense, metade do total de gols foi na Chape e no Bahia, eu quero saber é dos gols que ele não fez contra Corinthians em Itaquera e Palmeiras na Ilha. Artilheiro na Libertadores? Pelo amor de Deus, só jogamos 6 jogos na Libertadores, mesmo assim, ele ficou empatado com Guerrero, Trauco e Rodinei.

        • Meu caro, até a lesão dele, o Brasileirão não tinha começado, então todos os times estavam disputando estaduais e alguns a Libertadores, e o Diego era o melhor brasileiro nas duas competições.
          Deixei de saber se o centroavante do time só fez 6 gols em 19 partidas. O Diego fez 10 e foi o artilheiro. A média de gols por jogos do Diego é maior do que a do Guerrero e ele atua bem mais longe do gol adversário do que o peruano.
          Pronto a birra é tanta que agora só vale gol em time grande, aí quando perde para time pequeno a casa tem que cair pq ele não fez gol, etc.
          Ele de fato perdeu esses gols assim como o Zico perdeu aquele pênalti na Copa do Mundo e isso não apaga o que ele conquistou, mas se você só for analisar gols perdidos, sugiro que pare de assistir futebol, pq todo mundo perde gol e você vai se estressar a toa.
          O Diego foi o artilheiro junto com esses que você listou, mas jogou metade da competição que eles. A média de gols é superior a todos eles.
          Você tem todo direito de ter birra com quem quiser, mas ser injusto com o que o cara fez é uma idiotice sem tamanha.

          • Exatamente, o Brasileirão não tinha começado, todo mundo jogava estadual, e o Carioca consegue ser mais fraco que os estaduais onde jogam os melhores times/jogadores do Brasil, portanto, não é parâmetro para absolutamente nada. A comparação com o Guerrero não faz sentido, considerando que certamente você conhece as inúmeras críticas ao peruano, que não se restringem ao astronômico salário que esse ganha, perde muitos gols, se posiciona mal, sai muito da área, está sempre de costas pro gol, etc. Tudo isso é muito mais demérito do Guerrero do que mérito do Diego, até porque Thiago Neves e Diego Souza (em um temporada fraca) fizeram mais gols que os dois, jogando em times piores.

            “Pronto a birra é tanta que agora só vale gol em time grande, aí quando perde para time pequeno a casa tem que cair pq ele não fez gol, etc.”

            Não vale só gol contra time grande, mas é algo a se pensar, pois é óbvio que fazer gols em times piores é mais fácil, ainda mais considerando a elasticidade dos placares dos jogos contra Bahia e Chape.

            “Ele de fato perdeu esses gols assim como o Zico perdeu aquele pênalti na Copa do Mundo e isso não apaga o que ele conquistou, mas se você só for analisar gols perdidos, sugiro que pare de assistir futebol, pq todo mundo perde gol e você vai se estressar a toa.”

            Você estaria certo se eu estivesse pegando gols aleatoriamente e condenando o Diego, mas os dois mencionados foram contra times grandes, disputando na parte de cima da tabela (assim como o Flamengo à época), esses gols poderiam ter mudado o rumo do Flamengo no campeonato, mas não, o Diego perdeu um gol cara a cara com o Cássio, perdeu um pênalti contra o Palmeiras (assim como mais tarde perdeu contra o Cruzeiro). A questão é que o Diego não consegue ser decisivo, não foi nesses jogos quando teve a chance, não conseguiu contra o Cruzeiro (aliás, conseguiu ser decisivo para o Cruzeiro), não conseguiu contra o Independiente (aliás, não fez nada na Sul-americana inteira além de um gol de falta contra o Fluminense), até mesmo no jogo contra o Bahia que eu mencionei, ele não fez os gols decisivos, não fez o 1×0 ou o 2×1, só o 3×1 e o 4×1. A comparação com o Zico é rídicula, Zico foi decisivo nas maiores conquistas da história do Flamengo, por isso um pênalti não apaga o que ele conquistou, o Diego nunca conquistou nada sequer próximo do Zico, chegou ao Flamengo com um status de craque (incompreensível até, pois não joga nada desde que saiu do Werder Bremen) e aqui nada fez.

            “O Diego foi o artilheiro junto com esses que você listou, mas jogou metade da competição que eles. A média de gols é superior a todos eles.”

            Novamente você se mostra mal informado, apenas Guerrero e Trauco jogaram mais partidas que o Diego, Rodinei jogou apenas contra a Universidad Católica no Maracanã e contra o San Lorenzo no Nuevo Gasómetro, um jogo a menos que o Diego (que jogou os primeiros três jogos da competição, inclusive contra um adversário fragilizado), e fez um gol em cada jogo, mesma quantidade do Diego.

          • Vamos começar com o #Fora Diego e #Volta Cadu e Walter Minhoca!
            Aposto que você adorava ver o Gabriel substituindo o Diego em 2017.
            Pelo visto você está cego com sua birra que é capaz de dizer que o Diego foi o pior jogador em 2017 e o pior da história do Flamengo.
            Tem torcedor que merece esse time do Flamengo que não ganha nada mesmo.
            Queima mais os jogadores que tá pouco!

          • “Se você critica X é porque você quer Y e Z de volta”

            Pelo amor de Deus, esse é o típico argumento falacioso dos torcedores de dirigentes. Diego ganha muito e joga muito pouco, tem sim que ser criticado. Dito isso, ou contra-argumente utilizando lógica e fatos, ou não perca o seu tempo ao me responder.

          • Estou contestando sua afirmação que ele não foi o principal jogador do time em 2016 e 2017. Prova disso é que estou te dando fatos e números que você quer distorcer por birra do atleta.
            Qualquer jogador que vestir o manto, ganhando muito ou pouco, deve ser criticado se não render o esperado.
            De forma alguma sou torcedor de dirigente, tanto é que discuti muito com o pessoal que veio defender o Bandeira e o Caetano ontem após o caso do Lomba.
            Me surpreende você que é o inteligente, dono da razão, querendo distorcer números para fazer com que seu argumento seja válido, além de criar uma teoria falaciosa que defendo dirigente sendo que em momento algum fiz discurso para você levantar tal suspeita.

          • Não estou distorcendo nada, apenas contextualizando, números frios dificilmente condizem completamente com a realidade quando o assunto é futebol, pois se fosse o caso, a história de que o Everton é “o jogador mais regular do Flamengo” que a imprensa vende estaria correta, mas como nós vemos os jogos do Flamengo, sabemos que ele é um ponta pouco criativo e que cruza muito na área sem antes olhar para quem está lá.

            “Qualquer jogador que vestir o manto, ganhando muito ou pouco, deve ser criticado se não render o esperado.”

            Sim, mas jogadores que ganham mais normalmente possuem expectativas maiores, como é o caso do Diego.

            “De forma alguma sou torcedor de dirigente, tanto é que discuti muito com o pessoal que veio defender o Bandeira e o Caetano ontem após o caso do Lomba.
            Me surpreende você que é o inteligente, dono da razão, querendo distorcer números para fazer com que seu argumento seja válido, além de criar uma teoria falaciosa que defendo dirigente sendo que em momento algum fiz discurso para você levantar tal suspeita.”

            Agora justamente quem me acusa de distorcer coisas, é quem distorce o que eu falei. Em momento algum te chamei de torcedor de dirigentes, apenas disse que você estava utilizando o mesmo tipo de argumento falacioso que eles utilizam, e fiz essa crítica justamente por saber que você frequentemente discute com torcedores de dirigentes, portanto deveria saber o quão ridículo o argumento de “se você critica o EBM, é porque quer o Kléber Leite e a Patrícia Amorim de volta” é, fosse outra pessoa apresentando um argumento seguindo essa linha, eu nem sequer responderia.

    • Penso da mesma forma,esse piopqueiro do Diego esta longe de ser o cara do time,e quem pensa isso nao esta vendo os jogos e nao entende de futebol.pois tirando umas boas partidas que ele fez em 2016,de resto so vem jogando mau e pipocando nos jogos decisivos.nunca decidiu nenhum jogo importante para nos e sempre se esconde nos momentos decisivos,e esta devendo bastante com a camisa do flamengo.É por pensar que esse tipo de jogador é o cara do time que o flamengo nao vai pra frente nunca.

Comentários não são permitidos.