BuzzFla – Razões para acreditar no FlaBasquete hoje

Acreditar. Tem que acreditar. O FlaBasquete já passou situações piores antes e reverteu. Esta é só a mais nova delas. Como em 2016, estamos diante do Jogo 4 da semifinal do Novo Basquete Brasil, contra o mesmo rival, na mesma quadra. Neste sábado, às 14h, a bola laranja vai subir para reescrever esta história. O jogo terá a transmissão da Band e do Sportv, além da cobertura completa em nossas redes sociais (@timeflamengo no Twitter, Instagram e Facebook).
É difícil? É. Mas separamos abaixo alguns motivos para acreditar no empate e na virada. Confira!
1. Sobre o jogo
Este Flamengo x Mogi (o mando é deles, mas o site é nosso, então colocamos como queremos) será o sexto confronto nesta temporada. Na fase de classificação, os times se enfrentaram duas vezes e deu Mengão em ambas. No primeiro turno, o confronto foi na Arena Carioca 1, com resultado final de 77 a 71 para o Mais Querido. Foi uma noite que JP Batista, Ramon e Marquinhos combinaram para 63 pontos e foram essenciais na vitória.
Na casa deles, no returno, outra vitória. E como sempre é por lá: suada e sofrida. A decisão foi no final, com Anderson Varejão marcando dois pontos após sofrer falta, com 11 segundos para o término do jogo. O Mogi foi para o último ataque e Shamell errou a cesta de três. No rebote, Jimmy também errou e a guerra acabou. Vitória importantíssima que garantiu o Mengão na segunda colocação na tabela, pelo menos até ali.
Ao todo, Flamengo e Mogi se enfrentaram 24 vezes na história do NBB, com ampla vantagem rubro-negra. São 18 vitórias contra seis derrotas.
2. É caldeirão?
Sim, o Professor Hugo Ramos é um dos ginásios mais tradicionais do NBB e com torcida fanática. Mas jogar com torcida fanática faz parte do DNA do Flamengo e isso nunca foi um grande problema para o Orgulho da Nação. Ao todo, os times se encontraram 11 vezes em Mogi, com oito vitórias nossas. Quase sempre com placar apertado, exceto na temporada passada, quando Marquinhos e Olivinha desequilibraram tanto que o resultado de 83 a 57 foi o mais incomum de todo esse duelo. Mas o retrospecto é favorável e não há nada a temer naquela quadra.
3. É o filme de novo. 
Na temporada 15/16, os times chegaram ao quarto confronto de forma idêntica. Eles com duas vitórias, nós com uma. Sobre o toco espetacular de Marquinhos no final já foi dito tudo. Mas quem brilhou naquela partida foi Ronald Ramon, que fez 27 pontos e converteu todos os arremessos de três que tentou (sete). E também teve duplo-duplo de Olivinha, para não perder o costume. O ala-pivô fez 14 pontos e pegou 11 rebotes.
Vitória conquistada por 93 a 91 lá, vitória por 79 a 75 aqui e vaga na final. Lembra como foi aquela noite no Tijuca? A FlaTV relembra.
4. Marcelinho
Em sua última temporada, Marcelinho vem saindo do banco para momentos especiais em quadra. Contra o Franca, ele foi o cestinha em quadra com 20 pontos, exatamente a diferença no placar final de 86 a 66. Um jogaço do C4pitão.
Mas sua grande atuação foi no clássico contra o Vasco, no primeiro turno. Foram 22 pontos, cestinha de novo, e uma aula de arremessos de três e de rebotes. Embalado pela Nação que encheu a Arena na estreia da “casa nova”, Marcelinho mostrou que clássico se joga com os craques. Quer rever os pontos do ídolo na partida? A FlaTV mostra todos aqui.
5. Já viramos três
Viradas na semifinal não são inéditas para o Flamengo. Em três ocasiões o Orgulho da Nação venceu seus adversários depois de sair atrás. A primeira foi em 2010, contra o Franca. Eles ganharam o primeiro jogo em casa (82 a 90), mas não aguentaram o tranco no Rio de Janeiro, onde viramos a série (101 a 73 e 80 a 73). No terceiro jogo, em São Paulo, ganhamos mais uma (86 a 85) e seguimos adiante.
A segunda foi na temporada 12/13, contra o São José. Depois de perder a partida inicial por 72 a 80, o Flamengo ganhou por 100 a 84 e 106 a 86 em casa. Novamente em São José, vitória deles por 96 a 88 e a decisão veio para o quinto jogo, no Rio. Deu Mengão por 88 a 76 e vaga na final.
A última virada foi a épica contra o próprio Mogi, em 2016. Já falamos ali em cima, mas aqui lembramos o toco espetacular do Marquinhos no final, que garantiu a vitória por 93 a 91 e a volta da disputa para o Rio.
6. Marcus Vinicius (Player)
Marquinhos está voando nesta temporada. Atuações absurdas, uma atrás da outra. Já são 616 pontos nesta temporada, sua quarta melhor marca, mas ainda pode melhorar, pois se o Flamengo vencer, terá mais um jogo, pelo menos. Com 117 assistências, já atingiu sua terceira melhor marca no NBB. O camisa 11 está em ótima fase e lidera com média de 18.1 pontos o quesito de cestinha da temporada. Não é à toa. Pelo Flamengo, ele terminou como o “mão da partida” 17 vezes. Seu grande jogo foi contra a Liga Sorocabana, quando marcou 22 pontos. Foi de três, de dois, enterrando, voando… Marquinhos detonou na temporada e ainda tem mais por vir.
7. Open bar de duplo-duplo
 
Olivinha vai jogar. E Olivinha está com fome. Com mais de 100 duplos-duplos no NBB (recordista absoluto), o ala-pivô fez mais um na última partida contra o Mogi, com 20 pontos e 13 rebotes. E ele não para. É desse tipo de jogo que Olivinha  gosta e quer jogar. E está confiante para a vitória. Se liga no que o camisa 16 falou sobre o duelo.
“Se for pra falar de pressão nesse jogo 4, acho que quem vai sentir mais é o Mogi. Eles estão em casa, com a torcida ao lado, tenho certeza que o ginásio estará cheio e essa já é a segunda chance deles fecharem a série. Nosso time está muito bem, estamos bem entrosados, tenho certeza que a Nação também vai comparecer em peso aqui em Mogi e vamos forçar a decisão na nossa casa, na Arena. Esse é o espírito e vamos fazer de tudo para buscar essa vitória”.
Nesta temporada, ele completou 200 jogos pelo FlaBasquete. Para quem não viu, confira o papo legal que Olivinha bateu com a FlaTV. Quem viu pode ver de novo.
8. José Neto
Ele é “só” o técnico mais vitorioso da história do NBB. Com 205 vitórias, Neto lidera a lista exatamente sobre o técnico do Mogi, Guerrinha, que tem 203. Porém, Neto tem 51 jogos a menos que o adversário na história da competição. Neto sabe os caminhos de uma semifinal. Pelo Flamengo, nunca perdeu. Desde 2012 no Mais Querido, em cinco participações, foi campeão em quatro. Na única que não venceu, a eliminação foi nas quartas. Extremamente estudioso, Neto analisa cada detalhe do adversário e busca a solução para vencer nas jogadas derradeiras. Com certeza, sua visão fora de quadra auxiliará o Flamengo nessa disputa.
9. O Manto Sagrado
Precisa mesmo explicar?
#TemQueAcreditar #VamosVirarMengo
Reprodução: Site oficial do Flamengo

Veja também

  • Flamengo tem que pegar o shammel e larry taylor do mogi, sumir com JP

  • Só vai dar Mengão,?

Comentários não são permitidos.