Henrique Dourado marca, Diego Alves opera milagre, e Fla abre vantagem na Copa do Brasil

O Flamengo entrou em campo com a ideia de ratificar a evolução. Encarando a Ponte Preta pelo jogo de ida da Copa do Brasil, o Rubro-Negro enfrentou situação inusitada: o Mais Querido não pôde ter torcida nas arquibancadas, por conta de punição sofrida pelo clube paulista. Ainda sem nenhum flamenguista para a apoiar, o Mengão venceu a partida por 1 a 0, com gol de Henrique Dourado.

O jogo

Sem Diego, o Flamengo voltou a jogar com dois armadores em linha, sem que um se aproximasse mais da área, como fora feito na partida contra o Ceará. Lucas Paquetá e Everton Ribeiro ficaram responsáveis pela criação, com Vinicius Júnior e Geuvânio nas pontas.

Com tais peças, o Fla começou a partida de forma ofensiva, com um grande volume de troca de passes, para se manter controlando o adversário. O Mengão não demorou a balançar as redes: após cobrança de falta vindo da esquerda, o zagueiro Léo Duarte subiu mais que todo mundo e testou bem para o gol. Porém, o tento foi anulado, pois o juiz assinalou infração do camisa 43.

A chance impugnada não desanimou o Mais Querido. Pelo contrário. O Flamengo se manteve no ataque, investindo principalmente nas arrancadas de Vinicius Júnior. Como tem sido cada vez mais comum, o meia Lucas Paquetá se mostrava muito participativo e tentando fazer a jogada diferenciada para quebrar a defesa adversária.

Apesar da tentativa de pressionar a Ponte Preta e manter a bola no ataque, poucas chances de gol foram criadas. Mas quando o Rubro-Negro o fez, foi com excelência, e terminou com o nono gol de Henrique Dourado na temporada. Everton Ribeiro cortou a zaga em passe na medida para Paquetá. O camisa 11 apenas de dois toques na bola para deixar o Ceifador na pequena área, que só completou e correu pro abraço.

Após o gol do Mengão, o time da casa partiu para cima, coisa que pouco havia feito até então. Aos 41 minutos, o lateral Igor quase conseguiu empatar o confronto. Em jogada pelo lado direito, o defensor bateu colocado, buscando o ângulo de Diego Alves. A bola assustou, mas acabou passando por cima da meta. A Ponte seguiu fazendo pressão até o fim da primeira etapa, mas o Fla se mostrou firme e levou a vantagem para o vestiário.

Para os últimos 45 minutos, a Macaca não mudou a postura, mantendo a proposta de marcar o Flamengo antes do Rubro-Negro chegar ao setor defensivo. Nos minutos iniciais, o Fla também tentava ir ao ataque, mas não conseguia manter o mesmo volume apresentado no primeiro tempo.

Na insistência de Vinicius Jr, o Fla conseguiu sua primeira boa chance de gol no segundo tempo aos 16 minutos. O camisa 20 tentou o ataque e foi desarmado. Mas seguiu no lance, roubou a bola e foi parado apenas com falta próxima à área. Lucas Paquetá foi confiante para a bola, tentando acertar no contrapé do goleiro. Mas Ivan se manteve bem posicionado e fez a defesa.

A equipe paulista não conseguiu manter a postura de marcação alta por muito tempo, por esta exigir muito fisicamente, e aos 20 minutos o Mengão já havia conseguido controlar a bola no setor ofensivo. Contudo, a maioria das jogadas eram feitas pelo lado direito, que contava com Geuvânio pouco inspirado.

Percebendo a falta de eficiência do camisa 23, Mauricio Barbieri optou por preencher o meio campo, sacando Geuvânio para a entrada do volante Jean Lucas. Poucos minutos depois de entrar em campo, o camisa 18 fez um grande lance: ele roubou a bola e partiu para cima da defesa. Porém, quando invadiu a área, sofreu com a indecisão, fazendo passe cruzado que cortou a pequena área, mas ninguém apareceu para completar.

Aos 33 minutos, o zagueiro Léo Duarte falhou na saída de bola e a Ponte Preta teve sua melhor chance na partida. Sozinho, na entrada da pequena área, o centroavante Cardoso encheu o pé e acertou o travessão. No rebote, a bola seguiu no pé dos alvinegros. Cardoso recebeu novamente e bateu no cantinho, mas Diego Alves operou um verdadeiro milagre para manter o Mengão na frente.

Para oxigenar a equipe e fechar o lado direito, Barbieri sacou Everton Ribeiro, com claros sinais de cansaço, e acionou Pará. Desta forma, Rodinei passou a atuar em linha mais avançada.

O Mengão teve mais uma grande chance de ampliar o placar aos 37 minutos. Vinicius Júnior recebeu do jeito que gosta e partiu em arrancada na diagonal. Na saída do goleiro Ivan, ele tentou colocar no canto alto, mas a bola saiu por cima, tirando tinta do travessão.

Antes da partida se encerrar, o Fla ainda teve mais dois lances de pressão consecutivamente. No primeiro, Vinicius avançou e passou para Renê. Na linha de fundo, o lateral tentou cruzar, mas a bola foi na direção do gol. O goleiro Ivan apareceu muito bem e mandou para escanteio. Em jogada ensaiada, Paquetá recebeu longe da área e fez lançamento para Vinicius Júnior. O garoto invadiu livre e mandou de primeira, cruzado. A bola passou raspando a trave. Logo na sequência, Vinicius saiu para a entrada de Marlos Moreno.

Após três minutos de acréscimo, a partida foi encerrada. Com o triunfo por 1 a 0, o Flamengo garantiu a vantagem para decidir a vaga na partida de volta, que está marcada para a quinta-feira da próxima semana, dia 10 de maio. Agora, o Rubro-Negro tem que virar a chave para o Brasileirão, competição na qual vai enfrentar o Internacional no domingo (06), pela quarta rodada. O confronto pode marcar o retorno de Paolo Guerrero, caso a punição do peruano não seja prorrogada após o julgamento no TAS, a terceira e última instância possível para o caso.

Veja também

  • sério a situação tá tão ruim e tão sem possibilidade de melhorar que estamos comemorando até 0 X 0 . 1 X 0 então, mesmo diante da imbatível ponte preta, já dá pra pensar em título mundial. o que nos salva é o time da colina. SRN

  • Geovanio , Rodlindo e Rener desentoam o time :

  • Esse Jean Lucas é realmente diferenciado, se derem sequência para o garoto, ele não sairá mais do time. Ver ele no banco e Geovanio jogando chega a ser surrealismo futebolístico.

  • Rapaz, que coisa! O vasquinho tomando um vareio de bola do Cruzeiro. O pau está comendo no lixão de São Januário.

  • ER*

  • Cara Geuvanio n dá!!!!!!!! O cara até q se esforça mas nada da certo, vi esse cara jogar no Santos assim como o AR no Coritiba e principalmente no Cruzeiro n é possível q podem ter desaprendido a jogar bola!!! Pqp!!!! Aí o técnico coloca o Pará p poder adiantar o Rodnei sendo q este já tava morto!! Pq n colocou o Marlos q é da posição??? Alguém entendeu Isso?? O time teve tudo na mão p assegurar a vaga nesse jogo mas preferiu ficar tocando a p….. da bola e ainda quase tomamos o gol por causa disso!!! Aí é q entra um TÉCNICO d verdade pow!!!! Ponto positivo foi q em mais um jogo n tomamos gol(vamos ver contra um time mais forte) e a entrada do Jean q se comportou bem em Campo!!

    • Acho muita palhaçada com.o marlos , chega a ser humilhante , hoje era o dia de aproveitar ele principalmente no lugar do diego

  • Partida difícil pois, jogando no Oscar Lucarelli, sem torcida e com o juiz deixando a pancada rolar, não é fácil. Entretanto, o Mengão se impôs, com 64 % de posse de bola e com um jogador a menos (Geuvânio).
    A Ponte, com a sua habitual correria e pancadaria (desde os tempos de Oscar), teve chance de empatar, num erro do Léo, mas foi só isso. Deu Mengão, que não leva gol a 4 partidas (toc, toc, toc) e que continue assim por longo tempo.

  • O Barbieri hoje deu uma de Zé Ruela Ricardo e ressuscitou a dupla Pará-Rodnei??? Juntando com a escalação do Geoovânio … ninguém merece isso.

    • Mais ele é uma versao do Ze Ruela Ricardo kkkkkk,e esta cometendo e insistindo nos mesmos erros que ele.tanto ele como aquele merda do Ze Ricardo,nao têm a menor condiçao de treinar um clube como o flamengo,e nao passam de uma mera invençao do Banana de melo.

      • A única diferença é que o Zé das Couves hoje em dia está afundando o vice da gama, portanto vamos deixar as viúvas dele continuarem elogiando aquela tralha, quem sabe eles façam como o banana de melo e continuem com ele no comando daquele timeco, mais alegria pra gente como a de ontem! ???

  • Quase dormi. Esse tipo de futebol que o Flamengo vem apresentando de marcar um gol e ficar fazendo cera o resto do jogo está longe de agradar… Ainda mais em competição mata-mata e contra um time fraco feito esse da Ponte Preta. É inadmissível ver jogador voltando bola pra trás e quase tomando gol por bobeira todo santo jogo. O time anda tão perdido em campo que o Dourado estava jogando de zagueiro no segundo tempo… Precisamos de um técnico.

    • Com o adversário sentando a porrada e o juiz fingindo que não vê, fica difícil.
      Acho que a apresentação de hoje ficou longe do que desejamos, mas jogar no Lucarelli nunca foi fácil. Nem nos tempos de Zico (lembro apenas de uma vitória apertada de 3 a 2, daquela época e outra em 2016 ou 2015). Ainda ficamos sem torcida e, como mencionei, com o juiz deixando rolar solta a pancadaria (soladas, tostão no Paquetá, entre várias faltas sem a devida punição).
      Também não gosto de jogo rolado para trás ou para o lado (no meu tempo, meu técnico dava esporro e dizia que “jogo era para frente”). Entretanto, faz parte e é uma estratégia para “abrir” o adversário.
      SRN!

      • Entendo seu ponto, mas não acredito que isso seja desculpa, ainda mais pra um time que sempre quer manter a posse de bola… Jogando contra time grande ou pequeno e dentro ou fora de casa. Contra times de menor expressão temos sim que esperarmos isso, linha de 5, juiz caseiro e coisas do tipo; cabe ao Flamengo se portar diante disso e conseguir impor seu jogo. Contra o Ceará talvez seja o divisor de águas entre o que o Flamengo é hoje e o que o Flamengo foi e deve voltar a ser. O Flamengo não tem mais identidade, é um time omisso e só quer jogar com regulamento embaixo do braço… Vocês querem ver outra vez o time saindo com a vitória e tomando virada por não querer mais fazer gol ou querem mudança enquanto é tempo? Estamos nos aproximamos de um mata-mata na Libertadores também, e não vai ter nenhuma Ponte Preta por lá.

    • Time deles é fraco mas tem que ver a questão do estádio. O time foi muito bem com o que tinha que propor.

      • Vimos ParaNei, Geuvânio e Éverton Ribeiro juntos, Dourado de zagueiro, bola recuada pra goleiro a lá Bayern de Munique, jogadas ensaiadas voltando a bola do campo de ataque pra defesa, Vinícius perdendo um gol atrás do outro, Paquetá prendendo demais a bola e um técnico omisso que só acertou em colocar o Jean Lucas pra jogar… Realmente a culpa é a falta de torcida e o time foi muito bem no que propôs.

  • O Diego não joga domingo, e eu só espero pra não passar raiva desnecessária que o Geuvânio não comece jogando de novo.

Comentários não são permitidos.