BuzzFla: Atacantes em festa contra o Sport

Neste domingo o Flamengo tem mais um duelo para manter a liderança do Campeonato Brasileiro. O Mengão receberá, no Maracanã, o Sport Club do Recife, podendo abrir boa vantagem sobre o segundo colocado da competição. O estádio estará lotado. A Nação já garantiu mais de 45 mil ingressos e ainda deverão comprar mais.

E se tem jogo, tem BuzzFla antes da partida. Hoje vamos dar moral para os artilheiros (como se eles precisassem). Fizemos uma seleção de jogos que os matadores guardaram dois. Guardamos, claro, uma menção honrosa para o Sávio, que em 94 deitou e rolou para cima dos pernambucanos, fazendo três no Maraca. Mas vamos chegar lá. Enquanto isso, curtam mais uma lista e Vamos, Flamengo!

1. Começa logo com Ele

No ano do bicampeonato, o Mengão recebeu o Sport no Maracanã e Zico não perdoou. Vitória por 2 a 0 e dois gols do Galinho. Na fase de oitavas de final, o Sport tinha vantagem do empate pela melhor campanha na classificação e por isso decidiria em casa. Então, o Flamengo foi para cima e esmagou os rivais. Zico tabelou com Leandro, que virou para Reinaldo cruzar e achar Zico novamente. O primeiro zero saía do placar logo aos sete da etapa inicial.

Aos 20 do segundo tempo, a pá de cal. Adílio fez ótima jogada, fingiu o chute e tocou para Zico, livre, ampliar e fechar a conta. No jogo de volta, em Recife, deu Sport (2×1), mas o Flamengo seguiu em frente até conquistar o Brasileiro. Confira os gols abaixo na “voz marcante de Léo Batista”.

2. Baixinho nervoso

No Brasileiro de 1998, Romário teve ótimas atuações pelo Mengão. Uma delas foi numa quarta-feira de chuva no Rio que Flamengo e Sport se enfrentaram pelo Brasileiro, pela 22ª rodada. O Mais Querido vinha de vitória sobre o Atlético-MG com dois gols de Romário. E o Baixinho estava invocado, queria mais.

O primeiro tempo do jogo foi tenso. Rodrigo Fabri marcou o primeiro para o Fla logo aos 05, mas o Sport empatou os times foram para o vestiário em igualdade. Na etapa final, Romário apareceu.

Primeiro, de pênalti, com dois minutos. O Sport novamente empatou. Coube a ele, Romário, desequilibrar. O Baixinho recebeu de Iranildo, se livrou da zaga e tocou com a sua categoria de sempre na saída de Bosco, para marcar seu décimo gol na competição. Tava lá o Flamengo na frente, resultado que seguiu até o final. E Luís Carlos Junior contou a história assim.

3. O Imperador domesticou o Leão

2009. Ano do hexa. Ano de Adriano brilhando no Mengão. E no confronto contra o Sport, no Maracanã, não deu outra. O Imperador guardou dois na vitória por 3 a 0, sendo o primeiro um GOLAÇO, e colocou o Flamengo na oitava colocação, com 34 pontos, na 24ª rodada. Ainda tinha muita história por vir e o que era do Mengão tava guardado.

O jogo começou e a bola entrou. Adriano recebeu belo passe de Petkovic, ajeitou, girou e mandou na gaveta. Um absurdo de gol. O Imperador quase ampliou com outro lance de gênio. Recebeu cruzamento, matou na caixa, girou e soltou a bomba de direita. Seria gol de placa, mas o destino mexeu o gol do lugar e não deixou a bola entrar. Se liga no lance abaixo.

Zé Roberto ampliou ainda no primeiro tempo, já praticamente selando a sorte da partida. Mas nos 45 minutos finais, Adriano não quis deixar a Nação ir para casa com um gostinho de quero mais. E aos 44, marcou o terceiro, em cabeçada certeira após cobrança de escanteio. Confira os gols abaixo.

4. Ôôôô… Obina é melhor que …

O jogo tem 90 minutos, mas só acaba quando Obina diz que pode acabar”. Dos diversos Obina Facts que comprovamos durante sua passagem pelo Flamengo, naquele 29 de junho de 2008, este virou realidade.

Jogando na Ilha do Retiro, Obina reinou. Ele abriu o placar logo aos oito minutos, aproveitando cruzamento de Juan. Tava dado o recado.

Mas o Sport, diante de sua torcida, quis aparecer e buscou o empate. Para que? Provocaram a fera e ela respondeu com requintes de crueldade. Aos 44, aproveitou outro cruzamento de Juan e sacramentou a vitória.

Se Obina estiver em campo, melhor esperar o apito final. Sempre.

5. Urubu-Rei segura o Sport

O quinto jogo desta lista não foi uma vitória, mas dadas as circunstâncias, e os gols, vale entrar na lista. Ilha do Retiro lotada, gramado bem prejudicado, time sofrendo desentrosamento de início de competição contra um Sport empolgado. Mas quem saiu na frente foi o Flamengo, com Renato Abreu, de pênalti, aos 15 minutos. O gol acalmou um pouco, mas os donos da casa acharam o empate aos 35 do primeiro tempo, inflamando a torcida.

Renato, de novo, em sua especialidade, a bola parada, botou o Mengão na frente. Aos 16, bateu escanteio bem fechado e a bola resvalou em Osmar, enganando o goleiro. A arbitragem deu para Renato, então ele entra na nossa lista de hoje com seu gol semi-olímpico. O Sport empatou novamente, mas o resultado, considerando o jogo como foi, acabou sendo um bom item na bagagem de volta ao Rio.

6. Menção (muito) honrosa.

O Anjo Loiro estava o capeta naquele 25 de setembro de 1994. Sávio maltratou o Sport no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Fez três, mas poderia ter feito mais, se não fosse o goleiro do time pernambucano. Sávio foi o responsável por todas as jogadas de ataque, seja criando ou concluindo, tudo passava pela sua canhota.

Mas os gols teimavam em não sair e apenas no segundo tempo a bola entrou. Aos 18, ele recebeu fora da área, ajeitou e mandou no cantinho para fazer um a zero. Abriu a porteira.

Magno recebeu de Hugo, desceu pela ponta e cruzou para Sávio, de cabeça ampliar. O Sport já estava entregue, mas Sávio ainda queria mais. Um minuto depois, pegou rebote na área e chutou duas vezes para marcar o terceiro e fechar a conta. Uma grande tarde do craque feito na Gávea.

Reprodução: Flamengo Oficial

Veja também

  • Boa…

Comentários não são permitidos.