Lance: “Cadê o benefício? Com alto custo ao Fla, dupla de ataque entrega pouco”

O ataque do Flamengo ainda não se acertou após a venda de Vinícius Júnior, para o Real Madrid (ESP). Com o fim de contrato de Paolo Guerrero, a vaga de “camisa 9” também está aberta. Maurício Barbieri vem testando diferentes opções, como Uribe e Marlos, mas outros nomes parecem ter esgotado as oportunidades entre os titulares. Em especial, Geuvânio e Henrique Dourado, cujas chegadas chegaram grande expectativas e ambos têm entregado pouco. Juntos, a dupla tem um custo mensal milionário aos cofres do Rubro-Negro.

Artilheiro do Brasil em 2017, com 32 gols, Henrique Dourado chegou à Gávea, em janeiro, vindo do rival Fluminense. O Flamengo pagou R$ 16 milhões por 75% dos direitos econômicos do atacante, que teve um bom início pelo clube. Foram oito gols nas primeiras 16 partidas pelo Rubro-Negro – três no Carioca, dois na Libertadores, dois no Campeonato Brasileiro e um na Copa do Brasil.

A partir de maio, o rendimento de Henrique Dourado caiu. O centroavante só marcou mais um gol – contra o Fluminense, no Brasileirão. Mais do que isso, o camisa 19 não estava contribuindo com o time na parte ofensiva, o que levou Maurício Barbieri a tirá-lo da equipe titular ainda antes da Copa do Mundo.

Geuvânio, por sua vez, sequer conseguiu ter uma sequência entre os titulares desde que chegou em junho de 2017. Foi sob o comando de Zé Ricardo que o atacante teve mais oportunidades, perdendo espaço na reta final da última temporada, com Reinaldo Rueda e sendo pouco utilizado por Carpegiani e Barbieri. São 16 partidas em 2018, cinco como titular, e dois gols marcados.

Por outro lado, Geuvânio chegou sem custos ao Flamengo por empréstimo até 31 de dezembro de 2018. Mas, no acordo com o Tianjin Quanjian (CHN), o Rubro-Negro aceitou arcar com 50% dos vencimentos do jogador – R$ 500 mil.

Como completou 12 meses de Flamengo no fim de julho, Geuvânio já custou R$ 6 milhões aos cofres do Flamengo. Henrique Dourado, por sua vez, está em seu primeiro ano no clube. Além do valor de compra – R$ 16 milhões – pago ao Flu, o Ceifador recebeu R$ 3 milhões do Rubro-Negro pelos vencimentos mensais.

Longe de repetir o futebol que apresentou pelo Santos, entre 2014 e 2015, Geuvânio retornará ao clube chinês, ao fim da atual temporada, sem que o Flamengo faça esforços por sua permanência. Já Henrique Dourado, por sua vez, tem contrato válido com o Rubro-Negro até 31 de dezembro de 2021.

HENRIQUE DOURADO PELO FLAMENGO

28 Jogos, sendo 26 como titular
9 Gols: três no Brasileirão, três no Carioca, dois na Liberadores e um na Copa do Brasil

GEUVÂNIO PELO FLAMENGO

16 Jogos em 2018, sendo cinco como titular
2 Gols em 2018: dois no Campeonato Carioca, contra a Portuguesa

18 Jogos em 2017, sendo 10 como titular
1 Gol em 2018: marcou contra o Palestino, do Chile, na Copa Sul-Americana

OS CANDIDATOS À “CAMISA 9” DO FLAMENGO NO PÓS-COPA

O contrato de Paolo Guerrero com o Flamengo se encerra nesta sexta. Longe de render o esperado pelo Rubro-Negro nos últimos meses, o atacante deixa de ser uma “sombra” para as demais opções de ataque. Nomes não faltam para Barbieri, mas, até agora, nenhum dos candidatos tomou conta da posição.

Henrique Dourado e Uribe já receberam chances entre os titulares. Enquanto o Ceifador perdeu espaço e pouco atuou após o Mundial, o colombiano ainda está adaptando-se ao estilo de jogo. Seu futebol ainda não convenceu, mas o atacante deve ser mantido no time principal para os próximos compromissos.

O ataque do Flamengo, como um todo, está em baixa após a Copa do Mundo. São oito gols em sete partidas (1,14), média baixa em relação ao período antes do Mundial, quando a equipes marcou 52 gols em 35 jogos (média de 1,49).

Lincoln e Uribe, com um gol cada, são os únicos atacantes que marcaram desde o retorno do futebol nacional. Lucas Paquetá (2), Everton Ribeiro (2), Matheus Savio e Réver também balançaram as redes rivais após o Mundial da Rússia.

 HENRIQUE DOURADO

Contra o Santos, na Vila Belmiro, Henrique Dourado entrou aos 42 minutos da etapa final. Esta atuação pelo Campeonato Brasileiro foi toda participação do centroavante pelo Flamengo após a Copa do Mundo.

Para quem chegou com o status de artilheiro do Brasil e por R$ 16 milhões, o Ceifador está devendo, mas Barbieri reforçou a confiança no centroavante recentemente. “Vai nos ajudar muito”, afirmou o treinador.

LINCOLN

Aos 17 anos, o garoto já começa a mostrar porque é considerado uma das grandes promessas das divisões de base da Gávea. Entrou em quatro jogos após o Mundial da Rússia, sempre depois dos 25 minutos do segundo tempo. Em Porto Alegre, marcou o gol do empate em 1 a 1, já nos acréscimos, contra o Grêmio pela Copa do Brasil.

Por conta da idade e inexperiência, é difícil imaginar que Lincoln assuma a titularidade neste momento, mas o garoto deve ganhar cada vez mais minutos em campo.

URIBE

Contratado durante a pausa para o Mundial, o atacante aproveitou a brecha criada pela ausência de Guerrero e conquistou a titularidade no time de Maurício Barbieri. São sete partidas pelo Flamengo – sendo cinco como titular – e um gol marcado, contra o Sport, na vitória por 4 a 1 no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

As atuações do colombiano, até agora, não foram de “encher os olhos”. No entanto, Uribe ainda está em adaptação ao estilo de jogo do Flamengo e ao futebol brasileiro. Contra o Cruzeiro, na quarta, participou mais do jogo e só não marcou no Maracanã por conta das boas defesas de Fábio.

Reprodução: Lance!

Veja também

  • Não entendo o esquema de jogo da barbyere. Não sou treinador, mas contra o Cruzeiro teria q entrar com Piris da mota para ajudar cuellar, vitinho na ponta, e Henrique Dourado para atuar nas bolas alçadas na área. Queria entender esse departamento de futebol medíocre do Flamengo. Outra coisa esses jogadores do Flamengo são frouxos, não tem coragem des fazer uma cobrança aos árbitros, chamar a responsabilidade acordar os companheiros. Um Dunga da vida. Salarios milionários todos tem o olho grande. Não precisa desenhar barbyere boneca. ###

Comentários não são permitidos.