João Luis Jr.: “Obrigação é pouco, o que o Flamengo tem em relação a títulos esse ano ainda não tem nome”

FOTO: GAZETA PRESS

E a Libertadores já acabou. Na maior competição do continente o maior clube do Brasil mais uma vez decidiu ser pequeno e após uma primeira fase cheia de falhas imperdoáveis e covardia incompreensível conseguiu ser eliminado no mata-mata após duas partidas de covardia imperdoável e falhas incompreensíveis. A briga por um título internacional mais uma vez acabou antes da hora, entre níveis de tristeza e constrangimento que nenhum elogio do Barbieri, nenhuma palavra de apoio do presidente, nenhum discurso de que “caímos de pé” serão capazes de esconder.

Mas o ano não acabou na Gávea. Num Campeonato Brasileiro que mal passou de sua metade estamos na 3ª colocação, 4 pontos atrás do líder e 1 ponto atrás do 2º colocado, faltando ainda 17 partidas para a conclusão do torneio, enquanto na Copa do Brasil as coisas já estão bem mais adiantadas, com o Flamengo já numa semifinal diante do Corinthians, precisando vencer para enfrentar quem sair do duelo entre Palmeiras e Cruzeiro.


Compre capinhas oficiais do Mengão para seu celular. São diversos modelos para você escolher o que mais combina contigo. CLIQUE AQUI para conferir! 


E ainda que seja sempre pesado falar em “obrigação” quando se trata de um grande clube disputar contra outros grandes clubes algumas das competições mais equilibradas do mundo, a verdade é que qualquer cenário referente ao ano de 2018 que termine sem o Flamengo levantando ao menos uma taça pode sim ser considerado uma vergonha.

Primeiro pelo jejum. Desde 2013 o Flamengo não ganha um título nacional, hiato esse que ainda que possa parecer normal para alguns times, não apenas é incomum para o Flamengo como se torna ainda mais grave se lembrarmos não apenas os dois vices de 2017 como as eliminações vexatórias diante de times como o Palestino e Forteleza, respectivamente na Sulamericana e Copa do Brasil de 2016, assim como quedas na 1ª fase da Libertadores em 2014 e 2017 e a vexatória “festa de comemoração do 6º lugar” no Brasileirão do ano passado.

Depois pelo investimento. Com as finanças cada vez mais saneadas e um investimento sempre crescente em futebol, o Flamengo segue gastando mais e mais com sua equipe, trazendo jogadores cada vez mais caros, mas não obtendo dentro de campo o retorno esperado. Se nós temos mais dinheiro, se nós temos mais capacidade de realizar contratações, se finalmente temos um clube com capacidade de atrair jogadores de qualidade, se temos 45 milhões de reais para gastar em Vitinho, fica claro que já passou da hora da qualidade do time em campo ser um pouco mais parecida com a qualidade demonstrada pela equipe financeira do clube.

Por fim, está em jogo também o legado da gestão Bandeira de Melo, o presidente que apesar de ter ajudado o Flamengo a sair de um gigantesco abismo financeiro teve vários problemas na gestão de futebol e agora se vê diante de suas duas últimas chances de adicionar à sala de troféus do clube um título além da Copa do Brasil de 2013 e três taças do Campeonato Carioca que não valem exatamente tanta coisa.

Por isso o Flamengo precisa de uma taça. Seja a 4ª Copa do Brasil, seja o 7º Brasileirão, já passou da hora da equipe rubro-negra voltar a levantar uma grande troféu, voltar a colocar seu nome em letras maiúsculas na história do nosso futebol. Porque não somos um clube de jejuns, porque não podemos gastar tanto dinheiro em vão, porque Bandeira merece ser lembrado por mais do que apenas saber pagar as contas. Porque Diego precisa de um triunfo para marcar sua passagem pelo Flamengo, porque não podemos correr o risco de que Paquetá vá embora sem ganhar nada, porque Vitinho precisa começar a pagar o que foi investido nele.

Mas acima de tudo, é claro, porque a torcida rubro-negra, mais do que nunca, depois desses últimos 5 anos de frustração, raiva e vários constrangimentos, merece voltar ao seu habitat natural, que é nas ruas, levantando bandeiras, fazendo barulho, comemorando títulos.

Reprodução: João Luis Jr. | Blog Isso Aqui é Flamengo

Veja também

  • Cara ainda tem duas competições. Semi da CDB e com tudo para ir a final, pois o Gambá se NÃO ROUBAR LÁ EM SP, não é páreo para o CRF. Foi muito ruim a eliminação da liberta, mas é virar a página. Agora é tentar salvar o ano com uma conquista e retribuir todo carinho e apoio, que a nação vem dado. Obrigação: raça, postura de Flamengo, atitude de time grande. Titulo é consequência.

  • Caro Pseudo-flamenguista.

    Mais uma vez você se alinha com a “imprensa paulistinha” para denegrir a imagem do Flamengo e do seu desafeto o EBM.
    Analisemos os dados, o Flamengo ainda está equilibrando suas contas, com um passivo enorme já pago (400 milhões) e outro do mesmo tamanho a ser pago.
    Com isso o clube tem capacidade financeira de pagar salários e pouca capacidade de investimento.
    O time foi montado com oportunidades de mercado e poucas compras, o que desequilibrou o elenco e se não fosse o investimento inicial na nossa base, que veio nos socorrer, estariamos perdidos, com um time fraco e candidato ao rebaixamento.
    Fazem muitas comparações do nosso time com o Palmeiras, não somos donos de uma financeira (ou pior a financeira não é a dona do nosso time), 70 % do elenco do palmeiras pertence a Crefisa, ela compra o jogador e o Palmeiras paga o salário de alguns, os mais caros a Crefisa banca, isso vem ocorrendo há 5 anos, não temos esse mecenato, que resultou no Palmeiras com dos times titulares fortissimos, o Felipão optou por um time mais cascudo para libertdores e copa do Brasil e outro menos cascudo pro brasileiro, ele tem material humano de sobra,
    Nosso time combalido vindo de oportunidades e mesclado com a base tem carências graves, temos titulares absolutos:
    Diego Alves
    Léo Duarte
    Cuellar
    Paquetá (deslocado pra volante)
    Diego
    Everton Ribeiro
    Com possibilidade de ser titular:
    Vitinho
    Piris
    Uribe
    Lincon
    Carências graves do elenco
    Um zagueiro
    Dois Laterais
    Um Atacante

    Mesmo assim com um excelente trabalho do Barbieri, em certos momentos conseguimos nos impor, mas com o mês de agosto com 10 partidas num intervalo de 31 dias, pasmem uma partida a cada 3 dias, o time não aguentou o ritmo, e com a impossibilidade de priorizar uma ou duas competições, pois a imprensa cairia matando em cima do Flamengo, ficou impossivel manter o nivel das atuações e a regularidade do time, faltou literalmente pernas, não faltou raça, nem vontade, faltou o fisico mesmo.
    Com um agravante, com o São Paulo na arancada pra liderança a arbitragem baixou o “cabloco” e passou a favorecer descaradamente o time do futuro presidente da CBF, marcando e perseguindo os jogadores do Flamengo e dos adversárioa do São Paulo, vide a expulsão do jogador do Ceára e a não expulsão de Diego Souza que mando o arbitro tomar no c…

    Faça um favor a todos ao Flamengo, se declare Vascaíno, ou torcedor de um time de São Paulo, tire a mascara e deixe de tentar enganar a Nação, pois o “maurinho” se finge de Flamenguista só pra descer o sarafo, você me da nojo, seu verme.

  • Concordo com tudo! Vá pra cima deles Mengão!

Comentários não são permitidos.