Cuéllar promete time com fome na estreia e admite: “Ficamos devendo ano passado”

FOTO: CARLA ARAÚJO/COLUNA DO FLAMENGO

A temporada de 2019 começa oficialmente para o Flamengo no próximo domingo (20), às 17h (horário de Brasília), quando a equipe enfrenta o Bangu, na estreia do Campeonato Carioca. O jogo será no Maracanã, e a expectativa é de bom público. Como mais uma forma de convite, Cuéllar prometeu uma equipe com fome para apagar o que foi feito de errado no último ano.

Sempre o Maracanã é um motivo de ir. Sempre bonita a torcida do Flamengo. É o primeiro jogo, de um time com vontade de vencer e conquistar coisas importantes esse ano. Estamos com fome. Ficamos devendo ano passado, e esse ano estamos com pensamento de vencer. Peço a torcida que nos acompanhe e nos apoie -, disse.

Apesar de a estreia na Taça Guanabara, o primeiro turno do Estadual, ser contra uma equipe considerada de menor expressão, Cuéllar admite um certo nervosismo por parte dos jogadores do Flamengo. Mas o motivo disso é algo comum para eles: vestir a camisa rubro-negra.

Vontade de começar o campeonato da melhor maneira. Nervosismo existe, normal. O Flamengo sempre te faz sentir coisas diferentes. A gente está com muita vontade de começar jogando bem e vencendo -, afirmou em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (18), no CT Ninho do Urubu.

1 Comentários
  • Entendo que os treinamentos e o dia-a-dia que fazem a diferença num time e não só contratações de peso, mas acho que faltam pelo menos três jogadores em posições carentes para se ter um elenco qualificado e coeso.
    As laterais: considerando que Rafinha já esteja garantido para maio – mesmo eu o querendo já -, precisamos de outro lateral esquerdo. Jorge seria uma opção interessante e menos complexa, mas se não der, o foco tem que ser em jogadores bons na defesa e com saída de bola qualificada, isso é ESSENCIAL.
    Zaga: Miranda na zaga é um sonho, mas qualquer zagueiro com bom posicionamento, leitura de jogo e pronto para ser TITULAR será bem vindo.
    Meia/Volante: Contar com o Arão não dá. Otávio – que jogou no Atlético PR – seria minha escolha. Jovem, bom no desarme, veloz e com bom passe.
    Além desses, pensar em trocas, trazendo novos jogadores com “fome”. Pará, Arão, Dourado, Ronaldo, são alguns nomes que podem ser envolvidos para trazer apostas, renovar o elenco e quem sabe lapidar um diamante desconhecido. Só comprar craque – pagando mais do que valem – não será garantia de nada.

  • Criação de sites e aplicativos para celular