Não só Arão: no clássico, elenco do Fla usará camisas com nomes das vítimas do incêndio

Por Carla Araújo e Eliza Ranieri

A solidariedade de Willian Arão se estendeu aos demais jogadores do Flamengo. O volante anunciou, na última terça-feira (12), que vai usar duas camisas diferentes no Fla-Flu. No primeiro tempo, trará o nome de Jorge Eduardo estampado. No segundo, será a vez de Rykelmo. Os dois foram vítimas no incêndio que aconteceu no Ninho do Urubu. Entretanto, a homenagem não será individual. O time todo entrará em campo com as camisas trazendo nomes dos jovens mortos na tragédia.

Os meninos que sonhavam em crescer e defender o Flamengo agora terão seus nomes em um clássico carioca jogado no Maracanã, fazendo jus aos desejos das vítimas. Cada jogador trará um nome, mas ainda não foi decidido qual será o de cada atleta. O único que já está definido é o de Arão. Essa é apenas uma das muitas homenagens que vão acontecer na noite desta quinta, na semifinal da Taça Guanabara.

Em relação aos nomes nas camisas, a ideia e o pedido inicial foram da mãe de Jorge Eduardo, que revelou a Rodolfo Landim que Arão era ídolo de seu filho. Posteriormente, o volante ficou sabendo do pedido da mãe de Rykelmo e decidiu que usará os nomes dos dois, dividos nos tempos da partida. Na coletiva desta quarta-feira (13), Arão se emocionou ao falar dos meninos.

— Quando fiquei sabendo do pedido do Jorge, fiquei muito emocionado. Muito honrado. Agora, fiquei sabendo também que a mãe do Rykelmo pediu para que eu também pudesse jogar com o nome do filho dela. Fico muito emocionado de saber que, de algum modo, tive uma influência positiva na vida desses garotos, mesmo eu sendo falho, cometendo erros, eles se viam em mim e queriam parecer comigo. Isso pra mim é muito emocionante, muito forte. Eu não vou levá-los só nas minhas costas no jogo de amanhã, mas pro resto da minha vida. Isso ficou e está marcado para sempre.

Veja também