Rio Open pode trazer nostalgia com o Flamengo no tênis, que já foi esporte do clube

FOTO: DIVULGAÇÃO

Todo esporte que o Flamengo praticou trouxe glórias e troféus para a Gávea. O tênis não foi exceção. Ninguém entende porque as últimas diretorias investiram em todas as outras modalidades do clube, mas deixaram de fora o tênis, que não tem atletas profissionais representando o Urubu. O Rio Open, que acontece ao lado da sede da Gávea, no Jockey Club, nos deixa com saudades do tempo em que o Flamengo arrasava seus adversários também no tênis. Confira abaixo as últimas notícias, de acordo com o Oddsshark.com.

Muitos títulos no saibro

O Flamengo começou a participar de competições oficiais de tênis em 1916. As primeiras quadras rubro-negras foram construídas na antiga sede da Rua Paysandu nos anos 20. Antes disso, com os atletas treinando em clubes coirmãos, o Mengão se sagrou campeão da cidade de 1916, 1917 e 1918. Também festejamos os títulos Intermediários de 1923, 1926, 1927, 1929 e 1931.

Depois de perder sua sede do Flamengo em 1932, o Urubu ficou ausente do tênis até 1963, apesar de ter vencido os Jogos da Primavera de 1952. Foi em 1963 que Fadel Fadel construiu e inaugurou as quadras de tênis da sede da Gávea. Assim, o clube começou a formar atletas em suas escolinhas. Revelamos ao país Celso Barbosa, Inara de Freitas, Licia Granjeiro, Nadia Ribeiro de Sá, Guilherme Viana, James Rothman, Kalus Thuru e Sonia Aschkenasi, entre outros.

Os títulos foram questão de campo. O Flamengo se sagrou campeão estadual de 1976, 1977.1, 1978, 1979, 1980, 1981 e 1982, além do Campeonato Brasileiro Interclubes de 1986.

O maior tenista do clube ao longo da história foi Thomaz Koch, que defendeu O Mais Querido entre as décadas de 1970 e 1980. O último bom momento rubro-negro foi em 2009 quando dois tenistas do clube terminaram o ranking da temporada em primeiro lugar: Diego Carneiro (sub-14) e Daniela Sanz (sub-16).

Atualmente, temos seis quadras de saibro e duas de cimento na Gávea. Em 2018, os cartolas decidiram tirar os flamenguistas da Federação de Tênis do Estado do Rio de Janeiro.

Clique neste link do Oddsshark.com para mais informações.

Rio Open 2019

O Rio Open é o maior evento da América Latina. Esta competição vale 500 pontos da ATP e é disputada somente por homens, no simples e nas duplas.

O austríaco Dominic Thiem, atual número oito do mundo, é o cabeça de chave e o principal favorito ao título. Ele deu a volta olímpica em 2017. Um novo estouro do champanhe vale R$ 2,75 / um.

Seu maior rival deverá ser o italiano Fabio Fognini, décimo-quinto colocado do ranking mundial. Ele está cotado a R$ 8,00 / um.

Outro que deve chegar forte querendo o primeiro lugar é o argentino Diego Schwartzman, avaliado em R$ 7,00 / um e atual vencedor do certame. No ranking da ATP nosso hermano está em décimo-nono.

Finalmente, destaco o uruguaio Pablo Cuevas, que não está entre os oito favoritos, mas que surpreendeu a todos em 2016. O prêmio por uma nova surpresa será de R$ 17,00 / um.

Depois do qualifying deste final de semana, as partidas das chaves principais acontecem entre hoje e domingo.

Clique neste link do Oddsshark.com para mais informações.

Primeira rodada

Dominic Thiem não deve levar mais de uma hora para superar o sérvio Laslo Dere, número 747 do ranking mundial. Paga-se R$ 1,15 / um pelo triunfo austríaco, contra tentadores R$ 5,61 / um no caso da zebra.

Fabio Fognini pega o canadense Félix Auger-Aliassime, número 557 do planeta. A tendência é de jogo fácil para o da Bota: R$ 1,35 / um, contra R$ 3,25 / um de seu rival.

Pablo Cuevas (R$ 1,94 / um) e David Schwartzman (R$ 1,88 / um) fazem um clássico sul-americano. Talvez este seja a melhor peleja da primeira fase da competição.

Teremos dois brasileiros na disputa. Segundo as casas de apostas, Thiago Monteiro, centésimo sétimo do ranking, é favorito contra o argentino Guido Andreozzi, número 161 do mundo: R$ 1,48 / um, contra R$ 2,69 / um. Já o brasileiro Thiago Seyboth Wild é azarão frente ao japonês Daniel Taro: R$ 2,73 / um e R$ 1,47 / um respectivamente.

Apostas Futuras (Oddsshark.com) pelo título:

1º Dominic Thiem – R$ 2,75 / um.

2º Diego Schwartzman – R$ 7,00 / um.

3º Fabio Fognini – R$ 8,00 / um.

4º Pablo Cuevas – R$ 17,00 / um.

5º Marco Cecchinato – R$ 19,00 / um.

6º Federico Delbonis – R$ 21,00 / um.

6º Jaume Munar – R$ 21,00 / um.

8º João Sousa – R$ 23,00 / um.

8º Nicolas Jarry – R$ 23,00 / um.

10º Albert Ramos-Vinolas – R$ 26,00 / um.

10º Guido Pella – R$ 26,00 / um.

10º Leonardo Mayer – R$ 26,00 / um.

Veja também