Bruno Henrique revela amizade com Dedé e fala sobre jogar de centroavante: “Não tenho dificuldade nenhuma”

O Flamengo venceu o Cruzeiro na estreia do Campeonato Brasileiro, no Maracanã, e além da despedida do ídolo Juan, o destaque da partida ficou por conta de Bruno Henrique. Com outra grande atuação, marcou duas vezes e deu a virada ao time rubro-negro, ainda participando do terceiro gol. E o atacante, após o duelo, disse se sentir confortável na posição de centroavante, na qual atuou mais uma vez.

Já joguei nessa função, não tenho dificuldade nenhuma, e com a velocidade e a impulsão eu posso contribuir muito. O Abel me conhece, sabe que eu poderia ajudar dessa forma, e por isso ele tá me colocando ali. A gente trabalha no dia-a-dia, não chega e faz no jogo. Isso a gente faz no treino, então tem total confiança em fazer, tá dando certo e espero poder continuar fazendo gols e ajudando a equipe do Flamengo, de centroavante ou ponta.

Atuando na posição de um camisa 9, seria inevitável que Bruno Henrique precisaria disputar constantemente com o zagueiro Dedé, considerado referência na posição no futebol brasileiro. Após vencer a partida, o atacante revelou que os dois se conhecem também fora de campo.

— O Dedé eu tenho como amigo também. Dentro de campo a gente se pega, mas é normal do jogo. Ganhar dele não é fácil, mas eu tenho uma impulsão muito boa. Estou feliz de estar vivendo esse grande momento no Flamengo.

O Flamengo foca, a partir de agora, na segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Na próxima quarta-feira (01), a equipe da Gávea viaja para realizar seu primeiro jogo fora de casa na competição, contra o Internacional. O duelo está marcado para acontecer no Beira-Rio, a partir das 16h (horário de Brasília).

5 Comentários
  • ”A gente trabalha no dia-a-dia, não chega e faz no jogo”.
    Contra o Fluminense não foi treinado, palavras do próprio Abel.

  • Na minha humilde opinião o Gabigol não pode ser atacante de lado de campo. Se o Abel considera o Bruna Henrique melhor opção para centroavante, o Gabigol deveria ser neste caso opção de banco.
    O Vitinho sim é atacante de lado de campo, com este ajuste acho que o time ficaria melhor encaixado. Sem contar que está sacrificando o Gabigol, fazendo está função.

  • O problema é que Abel acha que todos são como B. Henrique, que joga em qualquer posição do meio pra frente. Tem que avaliar cada situação.
    Todos assistimos e vimos o seguinte. Arrascaeta rende muito mais no meio que Gabigol na ponta. Inclusive, as melhores atuações de Arrascaeta pelo Flamengo foram pelo meio. Sem contar que também está tirando E. Ribeiro da posição onde ele rende todo seu potencial. Então, o melhor para o time seria B. Henrique na ponta, Gabigol de centroavante, E. Ribeiro na direita e, Arrascaeta pelo meio. Melhor alterar a posição de apenas um jogador que tirar três de suas posições.

  • Pra mim Abel não tem um esquema de jogo definido. Por isso na hora q o Flamengo mais precisou, não funcionou.

  • Criação de sites e aplicativos para celular