Com atuação de gala, Bruno Henrique brilha na estreia do Brasileirão

Com um primeiro tempo marcado pelo individualismo e pela falta de organização da equipe de Abel Braga, o rubro-negro precisou se reinventar dentro de campo para alcançar a vitória e começar o Campeonato Brasileiro com o pé direito. O técnico do Flamengo manteve a mesma escalação do jogo de quarta-feira, 24, contra a LDU, pela Libertadores. Apesar das críticas pela atuação nos primeiros 45 minutos, a mudança de postura do Flamengo no segundo tempo, com uma característica mais ofensiva e ocupando mais o campo adversário, fez com que a equipe garantisse a vitória contra o Cruzeiro, contando com a brilhante atuação de Bruno Henrique como centroavante.

Os números não mentem. Em seus 17 jogos pelo Flamengo, Bruno Henrique marcou 11 gols e deu 8 assistências. Se adaptando a nova posição, o jogador balançou as redes 5 vezes nos três últimos jogos como centroavante e vem se consolidando a cada partida. Contra  o Cruzeiro na partida de ontem, no Maracanã, o camisa 27 empatou o jogo aos 40 minutos do primeiro tempo, logo após o gol do time mineiro, em uma jogada aérea, e virou o placar aos 22 minutos do segundo tempo, em uma finalização de dentro da área, após o passe de William Arão. Depois do jogo, o atleta comentou sobre sua atuação e a escolha de Abel Braga em colocá-lo novamente como centroavante.

“Com a velocidade e com a impulsão que eu tenho, posso contribuir muito (como centroavante). O Abel me conhece e está me colocando ali. Isso é trabalho do dia a dia. Não é chegar e fazer no jogo. Fazemos no treino e tenho total confiança. Está dando certo. A equipe toda está de parabéns. Não só eu, mas todos os companheiros. Todo mundo contribuiu para que eu tivesse essa noite brilhante”.   

Foto: Alexandre Vidal

Questionado e criticado pelas decisões que tem tomado na equipe rubro-negra, principalmente em relação ao posicionamento de Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol, Abel Braga explicou o porquê da insistência em colocar o camisa 27 como centroavante e repetir o esquema tático do jogo de quarta-feira contra a LDU.

“Justificativa é essa. Quando quer marcar alto, ninguém faz isso melhor do que ele, pela velocidade, altura. Ele taticamente é fantástico. Agora pode mexer em todo mundo, menos nele. Senão vão dizer que sou maluco. Torcedor me dá porrada, mas paciência, não vou responder nada. Vou fazer meu trabalho.”

Como centroavante ou atuando pelos lados do campo, Bruno Henrique tem exercido sua função com eficiência e qualidade e já é considerado a melhor contratação do Flamengo em 2019. Além disso, o jogador está a um gol de igualar os artilheiros do rubro-negro no ano passado, Henrique Dourado e Lucas Paquetá, ambos  com 12 gols, ainda na metade da temporada. 

  • Pega o salário do Arão enganador, do Rodinei peladeiro, do Pará que tem que parar, do trauco turista, é deposita tudo na conta do Cuéllar, ele está em todo canto do campo é nunca reclama, é ganha muito menos do que merece, isso é sacanagem diretoria do Flamengo, vamos renovar com o Cuéllar é triplicar o salário dele.

  • O Pará não serve nem para a reserva do Rafinha, é o Rodinei já era para estar no Bahia, confesso que ontem não consegui entender o Abel, voltar com o Pará pendurado é distribuindo cutuveladas, no fundo ele gosta de forte emoções, Se o Réver ainda estivesse no Flamengo ele tinha se apaixonado por ele, masoquista como é.

  • Cuéllar ta escroto!!
    Flamengo so joga com 11 pq o Cuéllar tá jogando por dois!
    O Abel so elogios para o Arão(cafe-com-leite) pra justificar sua escalação como essencial para o equilíbrio da equipe… será que ele não enxerga que o Colômbia que da esse equilíbrio e muitas vezes salva esse sistema defensivo, principalmente pelo lado direito que tem o incomparável , um corpo estranho chamado Para?!?

    • Incompatível*

    • Cuella é um monstro! Melhor jogador da equipe.

  • Um time sendo carregado por qualidade técnica dos jogadores, não por tática, muito menos por competência técnica do treinador. Iremos ter muitos jogos nesse formato, onde os jogadores resolverão. Mas dizer que o trabalho do Abel está bom, é o mesmo erro que foi cometido pelo Zé Ricardo.

    • Sou um dos maiores críticos do Abel, mas ontem o time jogou bem. Pará continua destoando, muito abaixo do restante da equipe.

Comentários não são permitidos.