Matheus Brum: “Arrascaeta e dificuldade de inovação no Flamengo de Abel”

Os dois bons jogos de Arrascaeta

Olá, companheiros e companheiras do Coluna do Fla. Ainda estamos em êxtase pela excelente vitória contra o Vasco no último final de semana, que nos deixa com uma mão e meia na taça do Carioca. No entanto, um jogador tem centrado todos os debates sobre o Flamengo: Arrascaeta.

O uruguaio, maior contratação da história do Mais Querido, vem de duas boas atuações com o manto sagrado. Depois de vários jogos sendo pedido pela torcida, Abel resolveu bancar Diego e colocá-lo como titular no último final de semana. Não decepcionou e foi fundamental para a vitória.

Entretanto, a partir de agora a pergunta é: Arrascaeta será titular ou não? Bom, a resposta pra mim, até obvia pelo o que Abel coloca em campo, é não!!! Como analista e torcedor, o desejo era que houvesse uma inovação tática, para que o melhor dos nossos atletas fosse colocado em campo.

Como podemos ver nos mapas de calor abaixo, o camisa 14 cai sempre pela esquerda. Não é bem um armador ou até mesmo um ponta de lança (que avança pelo meio, tabelando com o centroavante). Com a camisa do Cruzeiro, brilhou pelo flanco canhoto do campo. A princípio, é assim que se sente mais confortável. Tanto é que nos dois últimos jogos foi o jogador que mais cruzou bolas na área (14 contra o Vasco e nove contra o San José). Em contrapartida, foi o que mais errou passes na última partida (11).

Na esquerda, movimentação de Arrascaeta contra o Vasco. Na direita, contra o San José. Faixa de campo ocupada pelo uruguaio é muito parecida, mostrando a tendência de cair sempre para esquerda. (Mapas: Footstats)

Ou seja, Diego não é o reserva imediato do uruguaio. Tanto que para colocá-lo como titular, precisou haver uma mudança completa no sistema ofensivo, com Éverton Ribeiro sendo deslocado para o meio e Bruno Henrique e Gabigol revezando entre a direita e o comando de ataque. No primeiro tempo, não funcionou. No segundo, o time abafou o Vasco e conseguiu os dois gols.

Mas, desde o início do ano, o Flamengo peca na coletividade. Nossas vitórias vêm, na maioria das vezes, com base no talento individual. E quando isso não funciona, perdemos. Foi assim contra o Peñarol. Fica claro que, deste modo, teremos muitas dificuldades quando enfrentarmos as melhores equipes do país e das Américas.

Dificuldades de inovação

Qualquer comentarista esportivo utiliza o velho bordão “todo treinador quer ter a dor de cabeça boa”. A expressão é usada para dizer que quando há boas opções de elenco, o trabalho do técnico fica “mais fácil”. Só que o comandante precisa também se adequar ao material humano que tem.

Cada dia fica mais claro que não é o caso de Abel. Arrascaeta foi contratado, de forma milionária, vale lembrar, mas parece que não foi feito um planejamento para utilizá-lo. A sequência dos acontecimentos mostra que a diretoria e a comissão técnica esperavam a negociação de Diego com o futebol estadunidense.

Isso não aconteceu. E, por isso, era necessário que Abel se planejasse pra usar os melhores jogadores em campo. Os argumentos de que Arão é imprescindível para o time são cada vez mais difíceis de engolir. Está claro que o ideal é recuar Diego para jogar junto de Cuéllar e manter o trio de meias que entrou em campo no jogo de ida da final do Carioca.

E por quê? O camisa 10 tem total capacidade de fazer o mesmo trabalho que Arão. Ditar a saída de bola, com mais qualidade, subir para o ataque, finalizar e aparecer como homem surpresa. Infelizmente, Diego não consegue ser objetivo em muitos momentos do jogo, travando a transição ofensiva do time. ER7 e Arrascaeta tem mais capacidade de se livrar da marcação e fazer a bola chegar aos atacantes.

Para isso, basta segurar mais os laterais, para que sofrermos com as “avenidas” o tempo todo. A dupla de zaga está cada vez mais entrosada. Como são zagueiros rápidos e com qualidade quando estão com a bola, podem ajudar na cobertura.

Para que isso aconteça é preciso apenas boa vontade de Abel. Graças aos Deuses, com o tempo, algumas coisas têm mudado. Depois da derrota horrenda pro Fluminense, a equipe parou de ser retranqueira e assumiu a postura de controlar o jogo. Não podemos fugir das nossas características. Mas, é preciso que o treinador ajude e inove.

De futebol burocrático estamos cheios. Desde 2016 praticamos e não ganhamos nada!!

Matheus Brum
Jornalista
Twitter: @MatheusTBrum

Gostou? Comente! Não gostou? Comente mais ainda! Mas, por favor, vamos manter o diálogo sem xingamentos ou palavras de baixo calão. O bom diálogo engrandece o homem e nos faz aprender, diariamente!

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Perfeita análise, até que em fim alguém que pensa e encherga a real.

  • Senhores leitores da coluna, O TREINADOR DO FLAMENGO, o senhor ABEL BRAGA, possui os seguintes titulos, a seguir relacionados.
    Santa Cruz
    Campeonato Pernambucano: 1987
    Atlético Paranense
    Campeonato Paranaense: 1998
    Copa Paraná: 1998
    Coritiba
    Campeonato Paranaense: 1999
    Vasco
    Taça Guanabara: 2000
    Flamengo
    Campeonato Carioca 2004
    Taça Guanabara: 2004
    Taça Rio: 2019
    Florida Cup: 2019
    Fluminense
    Campeonato Brasileiro: 2012
    Campeonato Carioca: 2005, 2012
    Taça Guanabara: 2012, 2017
    Taça Rio: 2005, 2018
    Troféu Luiz Penido: 2012
    Internacional
    Copa do Mundo de Clubes da FIFA: 2006
    Copa Libertadores da América: 2006
    Campeonato Gaúcho: 2008, 2014
    Copa Dubai: 2008
    Al-Jazira
    Campeonato Emiradense: 2010–11
    Copa do Presidente: 2010–11
    Etisalat Cup: 2010
    Prêmios individuais
    Melhor treinador do Campeonato Brasileiro: 2012[32]
    Melhor treinador do Campeonato Carioca: 2012[33], 2017[34]
    Melhor treinador do Campeonato Gaúcho: 2014[35]
    Outros
    Prêmio Juscelino Kubitschek[36]
    Calçada da Fama da Federação Gaúcha de Futebol[37]
    Licença Honorária da CBF Academy[38]
    como vossas excelencias podem ver, o TREINADOR DO FLAMENGO O SENHOR ABEL BRAGA, com certeza, tornou-se ao longos dos ultimos anos, juntamente com MURICY RAMALHO, NADA MAIS NADA MENOS QUE “OS DOIS MAIS VITORIOSOS, e POR OBVIO, OS DOIS MELHORES DESTE PAIS”

  • E só jogar com dois meias um de cada lado tipo assim ; 4 4 2 , Diego alves para leo d rodrigo c e Renê Cuellar e Diego como volantes arrascaeta como ME e ER7 como MD e gabigol e Bruno H como dois atacantes e n como pontas . O Bruno seria o 2 atacante

  • Por mais que prefira Diego ou Ronaldo no lugar do Arão, nenhum jogador do time (nem os zagueiros) são melhores que ele de cabeça e hj isso é super importante quando se tem um time muito baixo.

  • Rapaz,tem tanto técnico aqui comentando que o Abel deve estar se sentindo até ameaçado de perder o emprego dele prá hum de vocês.
    Pelo amor de Deus!!!

  • Muitos técnicos pra um Flamengo só… Ninguém deixa o Abel trabalhar. Deixa o cara poxa…. Se ganhar a gente comemora se perde o Flamengo não vai acabar não…. Esses analistas, comentarista, jornalista não ganharam nada como técnico, já o Abel…
    Não que não possam falar mas falar a fazer vai um abismo SRN

  • Eu odeio o Arão, mas querer q diego cumpra papel do Arão é burrice! Cara tem 35 anos, não consegue mais subir pra apoio e ajudar o cuellar no combate a meias mais novos! Achei a formação de domingo ótima, com variação tática dos julgadores, capaz de confundir marcação…arrasca é mto mais vertical q diego, q é mais organizador…vejo o time de domingo como ideal, se tivéssemos um grande jogador de segundo volante seria ideal…

  • Insisto que o Diego jogou de segundo volante com quatro técnicos no Flamengo (Zé Ricardo, Rueda, Carpeggiani e Barbieri). Foi mal com todos os quatro! Todos! Será possível que ninguém para pra analisar o histórico do jogador antes de o pedir nessa posição? O time do Barbieri só engrenou quando ele tirou o Diego da intermediária e o colocou avançado, quase como um segundo atacante, e recuou o Paquetá pra posição. Porque o Paquetá dava dinâmica na saída de bola, coisa que o Diego nunca entregou. Aí me aparece todo mundo pedindo o cara na posição. Não é possível!

    Fora isso, o Arrascaeta foi escalado claramente como um ponta e o Abel parece não ver ele jogando em outra posição. No próximo jogo ele deve continuar no time porque o Bruno está suspenso. Vamos ver o que o Abel pensa contra a LDU quando o time todo estará a disposição, aí alguém vai ter que ficar no banco.

  • Beleza… eu também não acho o Arão craque, nem acho insubstituível, mas coloco uma questão. Na hora do escandeio defensivo, e jogadas de bolas paradas defensivas, sem o Arão, teríamos a dupla de zaga (Rodrigo Caio não é tão alto, e mesmo tendo bom senso de colocação da vacilos de cabeça), e o Bruno Henrique, com boa estatura e com boa técnica no jogo aéreo. O resto do time (arrasca, Gabigol, diego, ER, os laterais, cuellar) são fracos e de baixa estatura nas jogadas pelo alto. E ai, vai tirar o Arão e Perder qualidades na bola aérea defensiva e ofensiva?? Na libertadores os times jogam muito baseado nesse tipo de jogada. Acho que a saída do Arão pra entrada do Diego não da certo por causa disso (abel já falou em coletiva). Poderia ser se tivesse um centro avante alto, ou um Lateral Alto pra ajudar nessa bola aérea.

  • Nunca li tanta besteira na minha vida! Diego não joga bem na posição dele de origem, recua de propósito porque não tem mais velocidade paragrafar e recompor… imagina Diego jogando de segundo volante, tendo que cobrir a subida do para, fazer infiltrações na área? Diego não tem condições nenhuma de substituir o Arão, o Diego foi barrado pelo ER para o arrascaeta jogar na esquerda, e com isso o BH foi deslocado para CF… nego quer empurrar o Diego de titular a qq custo!

  • qualquer torcedor sabe escala o time do flamengo menos Abel, Diego, Para, Renê, Rodrigo Caio, Léo Duarte, Cueja, Diego, Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique, e Gabi gol.

  • todo torcedor sabe que Abel tem tirar Arão e botar Diego, mais ele não tem coragem.

    • Todos não! Vai ser a maior mancada ter Diego no time, não pelo Diego em si, mas por ter 3 jogadores leves e baixos no meio campo. Sou a favor da saída do Arão pelo Ronaldo. O time sem Arão se torna muito leve e quando pegarmos um jogo mais difícil vamos tomar pancada. A maioria que é a favor de colocar Diego ali ou é jovem ou é romântico demais. Não dá, tem que ter jogador com características de marcador.

  • Matheus, eu não consigo compreender porque todo texto seu no coluna e criticando o Abel.
    O Flamengo perdeu 2 jogos no ano de 20 disputados, tem cada vez encontrado mais um método de jogo. Inclusive no jogo passado o Abel fez o que ninguém imaginaria ou concordaria, manteve o BH como Centroavante e o cara meteu 2 gols, sendo que já tinha dado 2 assistências no jogo passado.
    Ta na hora de apoiar, futebol não e teatro, o time não tem que dar show todo jogo. Vão ter jogos ruins e isso e natural… O Brasil não e como a europa onde o nivel tecnico e de uma disparidade astronômica , não e.
    Ha alguns anos a torcida do flamengo tem se tornado cada vez mais modinha , sinto falta da torcida que apoiava independente do resultado e sempre sorria por uma vitoria … Agora e só reclamação, perca… Ganhe… Empate no fim e só reclamação.

    • Todo flamenguista sorri na vitórias, mas isso não significa estar satisfeito, não confunda as coisas… Tem que sempre buscar melhorar pra conseguir os títulos, se não ficamos nessa de cheirinho, perdendo pra Ceará no Maracanã, eliminado pra um Corinthians patético na Copa do Brasil e muitos outros vexames.

  • Papo sem fundamento parece que o time perdeu 10 partidas no ano. Não adianta time nem um ganha tudo, vamos dar tempo ao tempo só de ver os jogadores brigando pela bola, buscando sempre o gol independente do placar. Mostra que Abel sabe oque faz.

    • Só jogamos Carioca e o único jogo difícil na libertadores, perdemos com casa cheia… Você quer tempo? Faltam dois jogos pra acabar a fase de grupos, se perder os dois, é tchau

  • vamo que vamo bom dia galera rubro negra..

  • Matheus, o Diego deve ser testado no lugar do Arão. Infelizmente o Abel está de birrinha. Ele pediu a contratação de BH, ligou para o Arão que estava de saída e recebeu (sem pedir) o Arrascaeta. Talvez por isso ele considere Arão e BH intocáveis (olha o orgulho aí). Já o Arrasca, ele ficou de má vontade, e aquele só entrou em campo pelos gritos vindos da arquibancada. O que Abel tinha na cabeça quando tirou o Arão contra o Peñarol? Perdemos o jogo ali, pois ele só deveria ter aberto o time quando tivesse um jogador a mais, e não o contrário. Que nosso Abel tenha toda e semana para realizar os testes necessários, o time deve ser escalado à moda do adversário, ser reativo ou pró ativo. SRN