Na assinatura do contrato do Maracanã, Wilson Witzel afirma: “Vasco não participou porque não quis”

Nesta sexta-feira (12), o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, junto ao presidente do Fluminense, Pedro Abad, foram ao Palácio da Guanabara para assinar o contrato do Maracanã. O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, estava ao lado dos representantes do clube e revelou que o Rubro-Negro mora em seu coração, ao lado do Corinthians. Ele caracterizou o dia como ‘importante’ e ainda afirmou que, mesmo diante de todas as polêmicas, o Vasco não participou do processo porque, segundo o governador, não quis.

— Eu parabenizo pela realização deste ato de extrema importância para o nosso futebol. Hoje é um dia importante. Quando eu vou ao Maracanã com a camisa do Flamengo é uma preferência do cidadão Wilson. Flamengo e Corinthians moram no meu coração. Mas nosso time é time do estado do Rio de Janeiro. São todos os times da primeira, segunda e terceira divisão. Nós estamos aqui para elevar o esporte no Estado – afirmou.

O governador deu detalhes sobre a decisão tomada em tirar a administração do estádio das mãos do consórcio. Para ele, a gestão contava com problemas. Ele também explicou como serão os próximos passos.

— Entendemos que aquela concessão anterior tinha problemas. A empresa concordou com a decisão em relação à decadência. Através da Casa Civil, tivemos um trabalho de 30 dias para chegar a esse modelo. Estamos também anunciando a ida das secretarias de turismo e de esporte para o complexo do Maracanã. Isso a algo em torno de 3 milhões por ano que o Estado estará economizando. E o Maracanã vai ser operado de forma mais justa para que aqueles clubes mandantes ficarem com bilheteria e mais arrecadação de alimentação e bebidas – detalhou.

Witzel afirmou que, daqui pra frente, a nova gestão do Maracanã irá beneficiar todos os clubes que jogarem no estádio. Ele afirmou que nenhum clube foi excluído do processo de decisão do Estado. O governador disse ter certeza que isso será importante para o futebol no Rio.

 — Isso é bom para todos os clubes, que estarão ali jogando e serão beneficiados. Foi pensado para o futebol espetáculo. Nenhum clube foi excluído. Todos tiveram oportunidade de participar deste processo. E o processo foi transparente, ético, mas tem que ter um vencedor. E o Flamengo com Fluminense foram o vencedor nesta gestão. Tenho certeza que será excepcional para o futebol carioca. Será provisória e queremos montar um definitivo. Será pensado se sera junto ouo separado. Nesse prazo de 180, 360 dias concluído, pensaremos nesse definitivo e concessão. Seria de 35 ou 50 anos. Fico muito feliz com a solução que foi dada. Certeza que teremos pela frente a satisfação de todos. Agradeço a participação dos clubes e do envolvimento de todos – finalizou.

Ele também aproveitou para falar da polêmica envolvendo as declarações do presidente do Vasco, Alexandre Campello, e a rejeição do clube à dupla Fla-Flu na administração do Maraca.

— Lamentável, Vasco não participou porque não quis. Não participou, não esteve na lead, teve reflexo negativo e agora está esperneando, isso não é papel que se espera de presidente de clube. O gestor é o Flamengo, já foi decidido, mas eles têm possibilidade de participar. Postura absolutamente lamentável. Só pra deixar claro para a torcida do Vasco que eles não serão prejudicados, só se o presidente tomar esse tipo de atitude, aí é o próprio presidente que está prejudicando o Vasco – falou.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Os petralhas fizeram de tudo para ferrar o Flamengo. Chegaram a entregar o Maraca para uma empresa amiga do crime organizado para explorar o Flamengo. Agora a história é outra, os criminosos estão na cadeia, o Andres Sanches será o próximo e o Mengão voltará a dominar o futebol no Brasil.

  • tchau odebrech agora e bolsonaro