Zé Mureta: “Festa na favela, no apê e onde a gente quiser”

FOTO: RATÃO DINIZ / BrazilPhotos

Coé, irmão! É sério que resolveram implicar com a frase #FestaNaFavela, usada a todo momento pela nossa linda e gigantesca nação?

O Flamengo não tem lugar, não tem bairro, não tem endereço. A sede, lá na Gávea, pode até ter um número para o carteiro entregar carta, para o presida sentar na mesa dele, para os sócios darem aquele mergulhinho de piscina e para rolar aquela Confraria Coluna do Fla maravilhosa todo ano, mas o FLAMENGO é muito mais que isso, o Flamengo é o povo. Somos nós, a nação rubro-negra! No condomínio da grana ou na comunidade.

Negar a favela, é negar grande parte da nossa massa. Daquilo que nos diferencia dos empoeirados de arroz! É negar a origem dos nossos mitos Vini Jr, Adílio, Didico e tantos outros que dela vieram. É nos tirar o direito de usar a expressão que os antis criaram para tentar nos afetar, mas que virou uma de nossas marcas! Porque isso é Flamengo! A gente pega o que era pra ser ruim, usa em nosso favor e mostra quem é grande de verdade!

Adriano Imperador favela drogas
Adriano faz a barba em uma rua da Vila Cruzeiro. ARQUIVO PESSOAL

 

Como diria o mestre, “que Deus perdoe essas pessoas ruins”.

Usem o que quiserem, falem o que achar melhor, mas nada vai atrapalhar a nossa comemoração nesse domingo em cima dos bacalhaus! Afinal, pra quem não come carne, vai ser a oportunidade ideal de fazer um na brasa!

O Carioqueta não vale muito, mas ganhar dos Vices em final é mais uma marca que precisamos preservar! Vai pra cima deles, Mengoooo! Menos de 5, nem comemoro. #DidicoFeelings

Canto do dia: “Com meu manto sagrado, minha bandeira na mão, o Maraca é nosso. Vai começar a festa!”

Veja também