fbpx

Fabio Monken: “Tomamos um vareio de bola. Vem, Jesus!”

Salve, Salve, Nação Mais Linda do Mundo!

Sim, amigos, fomos totalmente dominados pelo mistão florido. Foi uma doutrinação há muito tempo não vista e, para piorar, num Maracanã muito mais rubro-negro do que alviverde grená.

Tirando uma pequena parte do primeiro tempo, quando Diego Ribas ainda estava em campo, o Fluminense dominou a partida de cabo a rabo. Não que eu seja um defensor do Diego, muito longe disso, mas analisando pontualmente o jogo, percebemos que o Flamengo perdeu o pouco equilíbrio que tinha no meio de campo com a saída do dono da camisa dez.

A constatação é clara, cristalina: somos terra arrasada taticamente. Isso fica evidenciado por alguns fatores preponderantes. Podemos fazer uma longa relação das coisas erradas que aconteceram na partida de ontem à noite no Maraca.

Rodrigo Caio e Diego Alves foram os dois melhores jogadores do Flamengo em campo, não havia aproximação das linhas (o que é aproximação?), não tínhamos saída de bola, abusamos das ligações diretas e, pra piorar, nosso último passe foi abaixo do mínimo aceitável.

Estes são apenas alguns poucos fatores que permeiam o futebol jogado pelo Flamengo nos últimos cinco meses. Entendo ser este o legado que o clube do vinho deixou, aumentado ainda pela “passação” de pano contumaz em defesa do dinossauro tático que nos comandava futebolisticamente. Ele nem deveria ter sido cogitado como treinador do Mengão.

Fico imaginando como é que o Jorge Jesus enxergou o jogo. O lusitano deve ter pensado que o trabalho em arrumar a equipe será muito maior do que ele esperava, pois, apesar de termos excelentes valores individuais, nosso time é lastimável taticamente falando.

Falta tudo, menos raça. Apesar de alguns acharem que falta raça à equipe, eu discordo disso. Os caras até tentam alguma coisa, mas como o time não tem nenhum padrão de jogo, não conseguimos realizar qualquer arremedo de jogada perigosa aos adversários.

As duas últimas vitórias, no comando do “Fera”, foram absolutamente por qualidade individual. Simples assim. Digo mais, só não fomos vazados nas três oportunidades devido à má pontaria dos adversários e a atuações inspiradas de Diego Alves.

Essa é a verdade inconteste, demos sorte, muita sorte. Ontem ficou muito claro, na minha concepção, de que o Marcelo Salles não tem a mínima condição de ser treinador. Quando o Diego Ribas se machucou, ele simplesmente não soube o que fazer.

Colocou o “papa-léguas” Berrio, mas o colombiano foi mal no jogo. Também, como podem os atacantes produzirem algo de útil se não conseguem receber boas bolas em condições de fazerem os arremates?

Fomos um pouco perigosos nos contra-ataques, mas como parecemos um estouro de boiada, não aproveitamos as chances nem para levar perigo ao poderoso Agenor. Percebi também a falta de recomposição nos contra-ataques adversários. Por diversas vezes os flores tiveram superioridade numérica pela falta de vontade dos atacantes marcarem após a perda da pelota. Isso é um dos graves defeitos que deverão ser corrigidos pelo novo treinador.

Enfim, é esperar o JJ dar jeito (se é que ele conseguirá) no time. Temos que ser um time organizado, com aproximação das linhas, marcação alta e transição rápida após a retomada da bola.

Esse cenário é absolutamente possível. Embora eu tenha bem definido em minha mente que o ano já foi pro ralo. Explico: estamos a 8 pontos de um Palmeiras que não perde pontos desnecessários.

Sim, tenho consciência de que ainda teremos vinte e nove rodadas a serem disputadas após a parada pra a Copa América e que enquanto houver chances matemáticas deve haver luta, mas temos um árduo caminho a trilhar. São oitenta e sete pontos em disputa para tirarmos uma vantagem de dez por cento deles. Consequentemente acho pouco provável que isso aconteça, mas vou torcer absurdamente pela virada.

O bom é que temos ainda os dois confrontos diretos com praticamente todos os adversários que estão à nossa frente, inclusive as “peppas”. Mas o trabalho será iniciado agora e, a não ser que Jesus opere um milagre, deveremos figurar, apenas, numa das posições do G4 ao final da temporada.

Vamos ver o que acontece. Agora o foco é no jogo contra o CSA, onde devemos ir com tudo para trazermos mais três pontos fundamentais para a escalada rumo ao topo. A caminhada é longa, mas quem disse que as coisas são fáceis para o Flamengo? Nunca foram e nunca serão.

Vamos aguardar! Que venham Jesus, Rafinha e outros tantos para que o novo treinador (de fato) possa extrair o melhor futebol desse elenco cada vez mais farto em peças de qualidade. Todos ansiamos pelo protagonismo. Com um trabalho coordenado e cada vez mais profissional, isso acontecerá o mais breve. Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo simplesmente é!
Saudações rubro-negras a todos!

Fabio Monken
Twitter: @fabio_monken

Gostou? Não gostou? Concorda, discorda? Ótimo!
Deixe seus comentários, interaja!
O Debate sempre será salutar!
Pontos de vista divergentes são essenciais à nossa evolução e à formação de nosso caráter.
Mas lembre-se: Somos todos Flamengo!
A intolerância e a falta de argumentos são combustíveis para o fracasso!

14 Comentários

    • Reservas uma ova. Eram juniores que eram melhores do que os titulares, mas, não é desculpa. O melhor Flamengo ainda está por vir. Os reforços o.dedo do técnico e mais.fé em Deus

  • Pegaste pesado com o estagiário/interino. Ele não tem o que fazer.
    Mas se para alguma coisa serviu a passagem do filho mais novo do adão foi abrir os olhos de todos quanto à necessidade de se fazer algo diferente.
    Estivéssemos com o Dorival, poderíamos estar um pouco melhor no brasileiro, mas mais longe do que se afigura com o JJ.
    O brasileiro ainda tem muito a mostrar. Na oitava rodada de 2018, o palmeiras era o 11°, a seis pontos do líder flamengo.
    Mas acho que o foco do mengo deve ser a Libertadores, e cumprir a profecia do português e ganharmos NOVAMENTE do liverpool no mundial.

  • Eu não vi esse vareio vi um time apático mesmo assim teve as melhores chances é pouco sim mas esse vareio eu não vi …

  • Eu não vi vareio… mas vi um time desorganizado, cansado e sem planejamento tático nenhum. Parecia um bando…
    Apesar do time do Flu ser sub-20, os garotos são bons de bola e estão motivados com a possibilidade de serem titulares, pois só sobrou eles. E o time do Flamengo, por causa das diversas disputas: Liberta e Copa do Brasil, e a saída do Abel, deixou o time um pouco preguiçoso.
    Agora, é aguarda o CSA e torcermos pro JJ finalmente dar um padrão mínimo ao time.

  • Rápida análise: nossos laterais são fracos. O Renê é horrível e o Trauco não é lateral, inclusive, é um excelente meia, por vezes, melhor que Diego Ribas que muitas vezes se perde e some… Pará e Ruindinei, sem comentários. Léo Duarte, apesar de promissor, dá chutões desnecessários e faz algumas jogadas bizonhas. O Gabigol vem jogando mal e, cá entre nós, tem suas limitações, sendo dominado algumas vezes com certa facilidade pela zaga adversária. Gosto muito do Everton Ribeiro mas às vezes ele se perde e erra passes de 2 metrinhos que geram contra ataques perigosos. Enfim me inspirei no comentário do Luís Henrique O Mattos de que o time tá cheio de perebas…e é a mais pura verdade.

    • Realmente, nunca deve ter chutado uma bola e fala como um típico gato mestre, dono de todas as soluções táticas e administrativas para o time.

  • Só digo uma coisa: se os garotos do fluminense sub 17 jogam, Reinier também tem condições de jogar, tomara que o Jesus veja isso.

  • SEM SER PESSIMISTA MAS JÁ SENDO NÃO VEJO LUZ NO FINAL DESSE TUNEL, A REALIDADE DO BRASIL É MUITO DIFERENTE DA EUROPA, O JEITINHO BRASILEIRO A LENGA LENGA NÃO É FÁCIL DE MUDAR. SÃO MUITOS DETALHES A SER CORRIGIDO. NÃO ACREDITO QUE VAI TER ESSA PACIÊNCIA E AGUENTAR A PRESSÃO. MAS SER FLAMENGUISTA É ASSIM A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE. VAMOS LÁ MENGÃO.

  • Fábio concordo parcialmente com a sua coluna. Isso porque em se tratando de Flamengo, qualquer desafio é possível. Só para relembrar nosso último título do Brasileirão(leia-se 2009), tiramos uma diferença muito maior, e com quase a metade das rodadas que ainda faltam. Portanto, com a chegada do “Messias”, e mais alguns reforços que chegam para serem titulares, a tendência é que tenhamos uma equipe mais forte, mais qualificada, possibilitando assim, que possamos fazer frente nas 3 competições que estamos disputando.
    Saudações rubro negras,

    Leo Rodrigues

  • Criação de sites e aplicativos para celular