Flamengo e MPT não chegam a acordo e marcam nova reunião para indenizações relacionadas à tragédia no Ninho

Imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil

Exatos seis meses depois da maior tragédia do clube, o Flamengo está longe de virar a página. O incêndio ocorrido em fevereiro no Ninho do Urubu ainda é caso de justiça e o clube negocia com famílias e autoridades para acertar as indenizações. Nesta quinta-feira (8), o portal GloboEsporte.com conversou com a procuradora Danielle Cramer, do Ministério Público do Trabalho. A responsável pelo processo indicou problemas nas tratativas. As partes têm reunião marcada para a próxima segunda-feira (12).

Segundo Cramer, “a coisa esfriou” e ainda existe distância entre clube e Ministério. As autoridades pediram, em fevereiro, o congelamento de cerca de R$ 100 milhões do Flamengo. A justificativa seria o pagamento de indenizações de acordo com o valor proposto pelo MPT. O Rubro-Negro discorda dos valores pedidos.

A procuradora aponta que os valores pedidos em fevereiro não sofreram alteração – mas que o acordo com o clube é difícil neste momento. Ela afirma que o Ministério não pode “mudar de parâmetros mínimos que já foram passados para as famílias”, mas estas podem aceitar menos do que o proposto. Cramer afirma que o Flamengo ofereceu cerca de R$ 150 mil para cada familiar dos envolvidos, enquanto o MPT sugeriu o pagamento de R$ 2 milhões por família, independentemente do número de pessoas.

O Flamengo acertou o pagamento de indenizações a duas famílias – as de Athila e Gedinho. O clube negocia com os familiares de Samuel e acertou pagamento com o pai de Rykelmo. A mãe do jovem, porém, protocolou pedido de anulação do acordo, processando o clube e o ex-cônjuge. De acordo com a defesa, ela não foi envolvida nas negociações e não tomou conhecimento dos valores envolvidos. O clube nega a anulação e afirma que o caminho é acertar uma indenização com a parte – independente do acerto já realizado com o pai do atleta.

Veja também

  • se isso for verdade é uma vergonha, pois oferecer 150k não dá nem pra início de conversa. Não vejo também 2M como algo absurdo pois estamos falando de vidas, mas 30% desses 2M, ficarão nas mãos dos advogados, ou seja, 600k. Restará então para cada família 1.2M.

  • DESBLOQUEAMOS OS CANAIS PREMIERE, TELECINE, HBO, COMBATE E CANAIS ADULTOS PARA ASSINANTES DE TV POR ASSINATURA DE QUALQUER LUGAR DO BRASIL E TAMBÉM REDUZIMOS O VALOR DA FATURA . SÓ PAGA DEPOIS QUE O SERVIÇO FOR FEITO . ZAP 11957454865

  • Não é vergonha. Todas as famílias que decidiram entrar na justiça e contratar advogado agora, infelizmente, vão demorar em receber a indenização. Quem não foi atrás de advogado, já teve o acordo acertado.
    O Flamengo não é trouxa e vai entregar de bandeja tudo aquilo que os advogados requerem. Vai lutar com todas as forças para chegar ao melhor pra si mesmo, assim como qualquer outro clube ou empresa faria.
    Bem vindo a realidade.

  • o Problema , não são as familias, são os dvogados, prometeram o céu para as familias…

  • Isso tá uma vergonha já… faz 6 meses e o Flamengo ainda não acertou com todas as famílias… quanto mais se arrasta mais as famílias ficam sofrendo… resolvam isso de uma vez…

  • O Flamengo tem que pagar, mas não valores extorsivos, arbitrados pelo MPT, quem arbitra valor é juiz, MP não é juiz…, foi uma tragédia, vendaval não é culpa do clube…

  • Se tem DINHEIRO ? para compras de jogadores têm mais é que indenizar as famílias.

Comentários não são permitidos.