Pablo Marí comenta relação com Jorge Jesus e relembra primeiro contato com a torcida do Flamengo

FOTO: ALEXANDRE VIDAL E MARCELO CORTES / FLAMENGO

O Flamengo investiu pesado no elenco para a temporada 2019. O intuito dos dirigentes cariocas é de vencer as competições que estão disputando, como o Campeonato Brasileiro e a Copa Conmebol Libertadores. Para isso, o Rubro-Negro contratou o zagueiro espanhol Pablo Marí, que pertencia ao Manchester City, da Inglaterra, mas teve grande destaque atuando pelo Deportivo La Coruña, da segunda divisão da Espanha.

Recém-chegado ao Brasil, Pablo Marí teve o seu primeiro contato com a torcida do Flamengo na vitória em cima do Goiás, que terminou 6 a 1 para a equipe carioca. Em entrevista ao quadro Fala, da FlaTV, o zagueiro lembrou daquela partida e frisou que foi neste duelo que começou a ter noção do que a Nação era capaz. Afinal, o Maracanã estava lotado. Mais de 65 mil pessoas foram ao estádio ver aquele confronto.

Foi uma coisa muito bonita. O time jogou uma partida de alto nível e conseguimos ganhar de 6 a 1 do Goiás. O time jogou muito bem, e desde aquele jogo já tive vontade de poder jogar com meus companheiros, poder treinar e começar a rotina diária. No dia da partida, eu estava no Brasil há apenas dois dias, mas a torcida já começava a me mostrar o que era ser Flamengo -, disse o zagueiro.

Pablo Marí não é o único europeu no Flamengo. O clube contratou o treinador português Jorge Jesus em junho deste ano. Pouco antes do defensor acertar com o Rubro-Negro. A dupla europeia, aliás, tem recebido bastantes elogios de parte da imprensa e também da torcida. O zagueiro comentou sua relação com o comandante e ponderou que o Mister tem buscado tirar o melhor desempenho possível do atleta.

— Muito boa, a cada dia tenta me ensinar coisas e descobrir potencialidades que eu mesmo não sabia que tinha. Tem uma visão diferente do futebol e está me ajudando muito. E o mais importante é que está tirando o melhor de mim -, finalizou o espanhol Pablo Marí.

Veja também

  • Parabéns Uriel. Bela reflexão e muito bem escrita.

  • Até o momento, tem mostrado ser um bom zagueiro. As vezes, da chutão pra frente, o que eu não aprovo. Se entrosou muito bem com Rodrigo Caio. Que continue assim. O grande responsável pelo bom momento do Flamengo é, sem a menor dúvida, o Mister. Sério, trabalhador, humilde, estudioso, inteligente… Mesmo que não tenhamos sucesso na libertadores, ele deve continuar o trabalho. Lindo gesto levando o time ao centro do campo para agradecer o apoio da torcida na desclassificação para o Athlético na Copa do Brasil. O que foi criticado por alguns, digamos, insensíveis. Pra cima do Avaí daqui a pouco. Avante FLAMENGO.

  • A torcida, por mais ignorante que seja, tem o direito do desligamento formal: é o senso comum em sua manifestação coletiva mais saudável, ávido pela paixão, esquivo de quaisquer relação dogmática. Quer frieza, retidão intelectual? Continue o acúmulo inútil de intelecção, dê um nó apertado no cabresto, como manda a “razão”. Ou desfrute de um xadrez com cacadêmicos, barganhe a ração que tem como moeda de troca a razão “pura”, repleta de vaidade e preciosismo. Futebol produz arte. A ciência… bem, faça você mesmo os cálculos (sem cabresto, ok?). Saudações rubro-negras a todos! OBS: Removam o hífen quando puderem, o inferno literário sempre tem espaço pra mais um!

  • Mister significa treinador em Portugal.

  • Anota aí, Pablo Marí será convocado para seleção espanhola. Muito bom jogador, canhoto clássico, não se apavora, saí jogando com tranquilidade e sabe fazer muito bem essa função, além de cometer poucas faltas. Um belo achado do centro de inteligencia do clube, parabéns !!!

  • Bom jogador! Atua com seriedade e quando, bisonhamente, falhou, não comprometeu. Ps.: Esse papo de Mister qie vocês insistentemente apregoam e a torcida, ignorante do que seja, manipulada repete, é uma das maiores babaquices já sugeridas. Desnecessária bajulação do lamentável complexo de vira-latas.

Comentários não são permitidos.