Casagrande se diz bastante envolvido com esta final da Libertadores e revela: “Aprendi a torcer para o Flamengo”

FOTO: BRUNO POLETTI / FOLHAPRESS

O Flamengo entra em campo contra o River Plate, da Argentina, neste sábado (23), em partida válida pela finalíssima da Copa Conmebol Libertadores. O duelo acontece no estádio Monumental U, em Lima, no Peru, às 17h (horário de Brasília). O Rubro-Negro vai contar com a torcida do ex-jogador Walter Casagrande Júnior, que é ídolo da torcida do Corinthians e chegou a atuar com a camisa do Fla em 1993.


Como cuidar do seu dinheiro e ajudar o Flamengo ao mesmo tempo? Isso é fácil, ative sua conta no Banco BS2!


Durante o programa Troca de Passes, do canal Sportv, o comentarista entrou no meio do programa diretamente do Peru e falou em relação à final entre Flamengo e River Plate. Torcedor declarado do Corinthians, Casagrande revelou estar mais envolvido com esta partida do Rubro-Negro carioca do que ficou quando o seu clube de coração disputou a finalíssima, em 2012, com o Boca, e também no Mundial do mesmo ano, contra o Chelsea. Além disso, ele contou que aprendeu a torcer para o Fla ainda pequeno, quando assistia aos jogos da equipe carioca pela televisão.

Tem que ter um controle emocional para não cair nessa guerra… Eu já fiz diversas finais importantes como comentarista. A final de 2002, da Copa do Mundo, mexeu muito comigo. As finais do Corinthians, contra o Boca e lá contra o Chelsea, eu me emocionei, porque foi o primeiro título mundial do Corinthians nesse molde. Me peguei muito envolvido. Mas essa final, o envolvimento que está comigo é diferente, é uma coisa maior. Não é porque torço para o Flamengo ou torço para o Corinthians, ou a Seleção Brasileira não tem importância… Não é por ser melhor e nem pior. É uma questão da energia que envolve essa partida. Da importância que tem esse jogo -, disse o ex-jogador.

Está chegando com um time espetacular, com uma nova geração de torcedores, que só viram pela internet o que aconteceu em 81. Eles querem presenciar, os torcedores do Flamengo jovem querem ter o mesmo gosto que aquele torcedor da década de 80 teve. Isso me emociona. Quando eu falo com antigos torcedores, quando eu vejo novos torcedores. Eu sei tudo que envolve esse tipo de final para a torcida do Flamengo. Eu fui torcedor em 81, assistindo ao jogo pela televisão. Eu já declarei diversas vezes que sou corintiano de garoto, mas aprendi a torcer para o Flamengo quando assistia ao Campeonato Carioca, que passava pela antiga TV Tupi lá em São Paulo, e eu via o Zico correr para a geral e a geral descer… Aquilo não tem como não mexer com um garoto como eu, de 12/13 anos -, encerrou o agora comentarista.

Assista ao depoimento na íntegra:

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *