‘Perder para o Flamengo é normal’: rubro-negros ironizam Abel Braga após triunfo sobre o Vasco

O Flamengo encarou o Vasco na noite desta quarta-feira (22), pela segunda rodada da Taça Guanabara. No Maracanã, o Rubro-Negro bateu a equipe adversária pelo placar de 1 a 0, com gol marcado pelo atacante Lucas Silva. Com os três pontos conquistados pelo Fla, a internautas não perderam a oportunidade de ironizar Abel Braga, atual técnico da equipe da Colina.

Através de redes sociais, os torcedores do Flamengo relembraram fala de Abel no ano passado, quando ainda estava no clube da Gávea. Na ocasião, o treinador afirmou que “perder para o Internacional é normal”, após o Rubro-Negro ser derrotado por 2 a 1 para a equipe gaúcha no Brasileirão. Agora, foi a vez de ‘adaptarem’ a frase, com ‘perder para o Flamengo é normal’.

CONFIRA REAÇÕES:

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • .DESBLOQUEAMOS OS CANAIS PREMIERE, TELECINE, COMBATE E CANAIS ADULTTOS PARA ASSINANTES DE TV POR ASSINATURA DE QUALQUER LUGAR DO BRASIL E TAMBÉM REDUZIMOS O VALOR DA FATURA. SÓ PAGA DEPOIS QUE O SERVIÇO FOR FEITO. WHATSAPP 11957540287

  • Concordo com tudo que o Darcy falou, acho até que já está mais que na hora dos quatro Presidentes dos clubes se aproximarem mais, precisa encontrar uma forma de Fluminense, Botafogo e Vasco fazerem o dever de casa, como o Flamengo fez e que assim mesmo atualmente estou com “um pé atrás” com essa “gastança” toda, como se tivesse sempre dinheiro, acertar suas dívidas, pagar a quem deve, enxugar a máquina administrativa, gastar menos que recebe, o Flamengo está sim em outro patamar como diz o Bruno Henrique mas será necessário “pés no chão” para que tudo isso continue como está, é possível ganhar tudo de novo? sim, mas continuar levando a sério, sem humilhar, jogar bola. SRN

  • Bom homor, a gozação, fazem parte da cultura do futebol. Entretanto, o coluna não deveria ter replicado o twitter que se refere aos vascaínos como “imundos”. Todos nós temos amigos, vizinhos, colegas de trabalhos, até mesmo parentes torcedores de outro (s) clube (s). Não são “imundos”. Não me associo a essa forma doentia de manifestação de ódio, que nada tem a ver com a brincadeira quase lúdica, com a zoação sadia que integram a cultura do futebol. Essa brincadeira aproxima os indivíduos, e coloria, no passado, os estádios de futebol com as cores das camisas e bandeiras rivais em ambiente de festa. Da mesma forma que jamais permitirei que a rivalidade, a brincadeira se convertam em ódio imbecil, tampouco permitirei que indivíduos asquerosos, oportunistas, populistas vigaristas, usem as cores da minha paixão rubro negra com propósitos manipulatórios.