Apesar da queda de receita pela pandemia, dirigente do Fla tranquiliza: “O clube não vai quebrar”

FOTO: TOMAZ SILVA / AGÊNCIA BRASIL

Desde do mês de maio o Flamengo renegociou o salário dos funcionários por conta da pandemia do novo coronavírus. Inicialmente o reajuste era de apenas dois meses, porém, de acordo com o Globoesporte.com, o Rubro-Negro decidiu manter por mais um mês o corte de 25%. No entanto, a negociação com o elenco é separada e o grupo concordou em ser feita somente após o Campeonato Carioca. Mas a tendência é que os atletas também sejam afetados por mais um mês.

Em entrevista às redes sociais do canal Fox Sports, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do Flamengo, projetou as receitas do clube em virtude da pandemia e comentou sobre a renegociação com os atletas.

– O Flamengo também teve que postergar alguns pagamentos, conseguimos reduções importantes. Eu acho que a médio prazo consigo falar melhor sobre isso. Hoje ainda é difícil prever. Mas o Flamengo vai conseguir sair satisfatoriamente desse período. Todos perderam na pandemia. A partir de outubro teremos um horizonte melhor definido. Patrocinadores pediram para pagar futuramente… a torcida rubro-negra pode ficar tranquila que o clube não vai quebrar.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


A diretoria resolveu adiar a conversa com o elenco, para evitar o desvio do foco em uma reta final de campeonato. O Mais Querido está classificado para a semifinal da Taça Rio e, caso vença a competição, será declarado campeão Carioca, visto que a vitória contra o Boavista, garantiu o primeiro lugar geral na competição e o clube foi o vencedor da Taça Guanabara.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *