Ex-presidente do Flamengo, Bandeira de Mello fica em oitavo na disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro

FOTO: DIVULGAÇÃO

Em sua segunda experiência na política, Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo por dois mandatos (2013-2015 e 2016-2018), amargou mais uma derrota nas urnas. Concorrendo a prefeitura do Rio de Janeiro, obteve 65.290 votos, 2,48% dos votos válidos. Em oitavo lugar, o ex-dirigente não emplaca nem um segundo turno, que será disputado entre Eduardo Paes, com 974.726 votos e Marcelo Crivella, com 576.814 votos.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


Em 2018, no último ano do seu mandato no Mais Querido, Bandeira concorreu ao cargo de Deputado Federal e também ficou longe de se eleger. Obteve na ocasião somente 38.500 votos. A sua candidatura foi cheia de polêmicas, pois chegou a ser acusado de usar o nome do clube em sua campanha. O que lhe rendeu alguns inquéritos internos, arquivados posteriormente.

Outro dirigente ligado ao Mais Querido que também concorreu ao mesmo cargo neste ano, foi o ex-CEO do clube, Fred Luz. Com 46.236 votos, ficou em nono. Ubirajara Alcântara, ex-goleiro do Fla nos anos 60 e 70, também concorreu ao pleito municipal. Almejando uma vaga a vereador, obteve somente 43 votos, longe de ser eleito.

Quem saiu vencendo na eleição foi o vice de futebol, Marcos Braz. Com 99,99% das urnas apuradas, o dirigente obteve 40,938 votos, 1,55% dos válidos e foi eleito vereador. O roupeiro do departamento de futebol, Clebinho Reis, também foi eleito ao mesmo cargo na cidade de Bom Jesus do Itabapoana, situado no Norte do Estado do Rio, com 616 votos.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Quer encontrar uma mulher para uma noite? Bem – vindo ao — S︆︆e︆︆xc︆︆o︆︆n︆︆t︆︆.︆︆C︆︆o︆︆m

  • Por esses motivos que o Rio está dessa maneira. Mesmas escolhas e esperam resultados diferentes.

  • Concordo com voce. Era a unica opção que confiava da lista.

  • Não sei o que carioca tem dentro da cabeça.
    Deixar de votar no E.B.M. para votar em crivela e paes.