Grupo político do Flamengo entra com ação contra Landim e quer afastamento do presidente

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

O Grupo Político “Fla Tradição e Juventude”, entrou com uma ação contra Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e solicitou o afastamento preventivo de suas funções no clube, após o mandatário rubro-negro ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal na Operação Greenfield, por gestão fraudulenta e uso indevido de recursos.

Para solicitar o afastamento de Landim, o grupo alegou que há uma brecha no estatuto do clube para que isso ocorra. Siro Darlan, representante do ‘Fla Tradição e Juventude’, informou que o documento do Rubro-Negro prevê punições para o mandatário e, de quebra, disse que “se na condição de administrador da coisa pública, está sendo acusado de agir de forma fraudulenta, seria uma temeridade deixá-lo continuar gerindo a administração do Clube de Regatas do Flamengo”. A informação foi divulgada pelo UOL.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Segundo consta no capítulo V, artigo 37 do estatuto do Clube de Regatas do Flamengo, ficam sujeitos à perda de mandato e, mesmo após seu encerramento, à inelegibilidade de cinco a quinze anos, conforme a conduta em seguintes casos – parágrafo VIII: “adotar prática sistemática e deliberada de sonegação de tributos ou de associação indébita previdenciária, bem como de condutas tipificadas como crimes contra a ordem tributária, na forma da lei penal vigente, sem prejuízo de serem acionados judicialmente para reparação dos prejuízos causados, inclusive com a sujeição de bens particulares“.

Rodolfo Landim já manifestou o desejo de tentar a reeleição no Flamengo, no entanto, sua candidatura pode ser prejudicada pela denúncia feita pelo MPF. Isso porque, segundo o estatuto do clube, o candidato não pode ter sofrido sanções disciplinares nos três anos que antecedem a eleição. Ou seja, caso na época do pleito, o presidente esteja respondendo judicialmente, pode ser enquadrado e, em último caso, impedido de concorrer.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Isso é bom. Assim, sabemos quem é a favor do Flamengo e quem joga contra na surdina. O próprio trecho do Estatuto fala de ilícito “realizado” e não “acusado”. Esse grupo “Fla Tradição e Juventude” representado pelo Siro Darlan, já sabemos que NÃO é Flamengo.

  • Esses são os mesmos que protegiam aquela corja nociva do passado. Estão doidos pra sentar na cadeira presidencial.

  • Se o Kléber Leite foi absolvido com tudo que ele roubou como este grupo quer condenar o Landim por indiciamento vamos pensar no Fla na nação e não em interesses próprios respeitem o FLAMENGO

  • Palhaçada. Será que querem voltar a roubar e a se locupletar do Flamengo? Ou será que o fato da cogitação do Landim a Vice do Bolsonaro já começou a incomodar? À Globo, parece que sim.

  • Matéria tendenciosa que justifica a atitude do grupo político ao invés de dar somente a notícia.
    Além disso, esse artigo do estatuto só pode ser usado a alguém que tenha sido condenado e Landim não foi.
    Essa atitude do grupo político só faz mal ao futebol do Flamengo.

  • Essa matéria é tendenciosa. Ele não foi condenado nem em primeira instância. Para que caiba a aplicação desse artigo do estatuto do clube é necessária a condenação.
    Não tenho procuração para defender Landim. Sou contra a uma luta fratricida que só faz mal ao desempenho do futebol do Flamengo.