Árbitro da final da Libertadores, Pitana recebe críticas de TV argentina

Argentino foi questionado após péssima atuação no campeonato local e respondeu de forma ríspida à imprensa


Desde que foi escalado para a final da Libertadores, Néstor Pitana tem recebido duras críticas da imprensa argentina. Os tons de soberba e arrogância do juiz do quadro da FIFA tem irritado jogadores, torcedores e jornalistas locais. No último sábado (06), por exemplo, o mediador das regras do jogo apitou a partida entre Colón e Platense, que terminou 3 a 0 para a equipe rubro-negra. O cotejo não foi nada tranquilo quando, ao fim do primeiro tempo, Pitana chamou um atleta para a briga e, logo depois, o expulsou.

Os ânimos da partida estavam exaltados exatamente por conta de Néstor Pitana. O árbitro havia concedido dois minutos de acréscimos e, após o tempo ter se esgotado, o Colón marcou pela primeira vez. Indignado com a situação, um zagueiro do Platense foi argumentar com o juiz, mas a crítica não foi recebida: “Em nenhum momento houve excesso verbal da minha parte, fiquei cego de raiva”, contou Iribarren, que precisou ser contido para não agredir o árbitro.


Veja também: Cirurgia no olho faz Téo José cancelar ida ao Rio para promover final da Libertadores


Logo após a partida, Pitana foi entrevistado pela emissora TyC Sports, conceituada em futebol argentino. Ao ser perguntado sobre o episódio, no entanto, o árbitro respondeu de maneira ríspida e irritou os integrantes da bancada esportiva: “Não aconteceu nada, falem de futebol que é mais importante”. Incomodados com a fala do juiz, os jornalistas não se seguraram e ‘cutucaram’ a grosseria: “Se você pretende que falemos só de futebol, Pitana, primeiro você precisa rever a forma como trata as pessoas”.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Pitana, inclusive, já esteve envolvido em episódios polêmicos com o Flamengo. Na campanha vitoriosa da Copa Libertadores de 2019, por exemplo, o árbitro foi escalado para o jogo de ida da semifinal, entre o Mais Querido e o Grêmio, de Renato Portaluppi. Na ocasião, o Rubro-Negro teve quatro gols anulados e dois de maneira bastante polêmica, em impedimentos milimétricos. A atuação do argentino, contudo, não alterou o resultado final da série e o Mengo se classificou para a final.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *