Flamengo tem histórico de vencer títulos com técnicos contestados

No final do mês de novembro o Flamengo encarará mais uma final de Libertadores em sua história, a segunda em três anos e na busca pelo mesmo resultado final que em 2019, quando venceu o River Plate com dois gols de Gabigol nos minutos finais. Entretanto, se naquela vez Jorge Jesus era rei absoluto no Rio de Janeiro, dessa vez Renato Gaúcho não goza da mesma credibilidade.

A Betway, site de apostas esportivas, trouxe um infográfico importante sobre a dominância do futebol brasileiro na competição e a relação com as receitas. Junto com o Palmeiras, o Flamengo é o campeão de receitas do futebol brasileiro e o rubro-negro deve se consolidar como o primeiro com a volta da torcida aos estádios e toda a renda decorrente disso e do aumento do sócio-torcedor. Não à toa os dois são os finalistas da Libertadores de 2021 e segundo a Betway há um grande equilíbrio nas probabilidades de vitória.

Só que se o Verdão tem Abel Ferreira, treinador campeão da Libertadores em 2020 e um ídolo do clube, o Fla está com Renato Gaúcho, que foi campeão continental em 2017, mas não parece saber tirar o maior potencial de seus jogadores. Isso seria preocupante para todos os torcedores do time da Gávea. Mas curiosamente sabemos como ganhar títulos com treinadores desacreditados, seja porque a torcida não bota muita fé em seu trabalho ou porque suas continuações de carreira não foram de destaque. Vamos a alguns exemplos?

Andrade foi campeão brasileiro em 2009

A campanha do Flamengo em 2009 foi uma das histórias mais inacreditáveis da história do futebol brasileiro. Cuca foi campeão carioca, mas foi demitido logo depois e Andrade, que já tinha sido interino em algumas ocasiões, terminou efetivado. Adriano começou a fazer gols, Petkovic, que estava no fim de sua carreira, tornou-se titular e maestro e o time empilhou vitórias, cortando a pontuação que tinha de diferença para o Grêmio e superando Palmeiras e São Paulo nas rodadas finais.

O mérito de Andrade parece ter sido apaziguar os ânimos no vestiário, definir seu time titular e dar as chaves do carro para Pet e Adriano comandarem o ataque com seus talentos. Um trabalho excelente coroado com o título brasileiro, mas que em 2010 não teve o mesmo efeito, causando sua demissão. Andrade nunca mais dirigiu uma equipe na Série A e teve passagens sem brilho por Brasiliense, Paysandu e Boavista.

Jayme de Almeida foi campeão da Copa do Brasil em 2013

Membro da comissão técnica permanente, Jayme de Almeida teve trajetória similar à de Andrade, sendo efetivado após o time desempenhar bem com seu comando no banco e a difícil saída de Mano Menezes do clube. E assim como com Andrade, o time começou a somar vitórias e chegou na final da Copa do Brasil para enfrentar o Atlético-PR.

Depois de um empate por 1 a 1 na ida, o Fla ganhou de 2 a 0 no Maracanã para vencer a Copa do Brasil pela terceira vez (e última desde lá). O feito do Flamengo foi ter conquistado um título logo no começo de sua reestruturação financeira bem-sucedida, com um elenco modestíssimo para seus padrões atuais, tanto que quase caiu no Campeonato Brasileiro de 2013.

Para 2014 o time venceu o Campeonato Carioca, mas após um começo ruim no Brasileirão, Jayme foi demitido. Depois ele voltou a fazer parte da comissão técnica do clube.

Rogério Ceni foi campeão brasileiro em 2020

Em fevereiro de 2021, quando terminou o Campeonato Brasileiro de 2020, Rogério Ceni tinha mais prestígio que nos seus dias finais de Flamengo, quando a relação com elenco e diretoria estava claramente fraturada.

Mas mesmo levantando o caneco, o caldo já estava azedo, com seguidas substituições gerando revoltas dos jogadores e a derrota no jogo do título para o São Paulo, que só não foi punida com o vice porque o Internacional não conseguiu vencer o Corinthians no jogo final.

Ceni nunca teve metade da moral que Jorge Jesus conquistou e sua situação é similar a de Renato Gaúcho: mesmo com um título de expressão, sua passagem parece ter os dias contados. Mas poder tirar um título pesado dessa situação não muito legal com certeza é algo que o torcedor do Mais Querido não irá recusar.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ciro, se existe uma coisa que aprendi é que os jornalistas e comentaristas são manipuladores e a maioria dos torcedores são manipuláveis. Com o time todo mutilado e sofrendo pressão de tudo quanto é canto, estamos ainda entre os três do brasileirão e finalista da Libertadores e ainda tem gente que acha que está ruim…

  • Enquanto vivermos a sombra do Mister Jorge Jesus jamais nenhum treinador dará certo.
    2019 foi um ponto fora da curva e o Mister foi uma cartada de sorte da diretoria e para mim o trabalho do Renigth está longe de ser tão ruim ou péssimo como muitos apregoam dadas as circunstancias em que ele pegou o time todo arrebentado, altamente desgastado e com jogos de dois em dois dias.