Advogado de Jorge Jesus sai em defesa do técnico após vazamento de declarações polêmicas no Brasil

Luís Miguel aproveitou o espaço da coluna que escreve no jornal ‘Record’ e se pronunciou sobre o caso

Na última semana, a torcida do Flamengo foi surpreendida por declarações fortíssimas de Jorge Jesus, depois do ex-treinador do Clube da Gávea revelar que tem o desejo de retornar ao Mais Querido. Advogado do português, Luís Miguel aproveitou o espaço de sua coluna no jornal local ‘Record’ para sair em defesa do técnico após o vazamento das falas polêmicas durante a passagem pelo Brasil.

O advogado fez questão de ressaltar que o Mister “deve ter aprendido mais uma lição da vida e a ter mais cuidado com quem partilha os seus pensamentos”, fazendo referência à conversa informal de Jorge Jesus com o jornalista Renato Maurício Prado, do Uol, responsável por divulgar as declarações do português. Foi RMP quem ‘explanou’ o desejo de Mister em retornar ao Mais Querido.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!


 

CONFIRA A PUBLICAÇÃO NA ÍNTEGRA:

“Declaração de interesses: Sou advogado de JJ. Isto porque o tema de hoje está relacionado com a sua recente ida ao Brasil e respectivas declarações. Divido o impacto das mesmas nas palavras públicas, no programa “Bem Amigos” e nas privadas, que alegadamente fez na casa do Sr. Kleber (Leite).

Sobre as primeiras, convido todos aqueles que gostam de pensar pela sua própria cabeça a ver o programa acima referido na íntegra, para que possam de forma fundamentada e imparcial, fazer o seu juízo de valor, sem precipitações.

Sobre aquelas que JJ terá produzido num círculo íntimo, atire a primeira pedra quem nunca, em PRIVADO, tenha proferido um comentário mais corrosivo tenha proferido um comentário mais corrosivo a um camarada de profissão.

Eu, desde já faço aqui “mea culpa”! Estou fartinho de ver Colegas meus, Advogados e/ou Comentadores na TV e/ou em jornais a quem tenho criticado em ambiente íntimo ou confidente, pois entendo que se tratam de profissionais “fracos, incompetentes, mentirosos, vendidos, moralmente corruptos, vendedores de banha da cobra que não justificam o que ganham…” e sei lá mais o quê que já possa ter dito. Obviamente, publicamente e por respeito tal questão nunca se colocou ou colocará, a não ser que seja necessária a minha defesa ou de alguém a quem me caiba tal função.

Ao longo de destes anos tenho assistido a conversas privadas, de jogadores, treinadores, jornalistas e/ou comentadores que se as partilhasse publicamente, metade dos respectivos colegas não falaria com a outra metade e vice-versa. Às vezes incluindo dentro do próprio clube, jornal e/ou TV. Empresários de futebol a falar mal uns dos outros, em privado e ao telefone com dirigentes ou jornalistas “é mato”.

Contudo, nas críticas que li de forma totalmente desmensurada ou de quem não tem legitimidade moral para as fazer, tenho a destacar três personagens: Hugo Cajuda, seu pai Manuel Cajuda e José Mourinho.

Sobre este último, falar de falta de ética é brincadeira. Estamos a falar da mesma pessoa que em 2020 falou com meio mundo, por forma a tentar evitar que JJ fosse contratado pelo Benfica. Apesar da total ausência de ética e porque foi numa conversa privada que teve o azar de ser captada em escuta telefónica, nunca me pronunciei ou ajuizei.

Já quanto ao Hugo Cajuda e seu pai, a coisa é mais delicada, porque os conheço e sempre fui bem tratado. Contudo, tenho o dever de relembrar que quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras ao seu vizinho, cabendo-lhes fazer uma análise introspectiva e autocrítica na perspectiva ética e comportamental.

A única intervenção pública do Jorge menos conseguida e sujeita a correcção é aquela que decorreu da explicação mal conseguida sobre a sua saída do Benfica e os termos em que o acordo de rescisão foi alcançado, mas sobre isso estamos conversados.

Em suma, ninguém fica bem na fotografia. Acredito que JJ (e todos nós) deve ter aprendido mais uma lição da vida e a ter mais cuidado com quem partilha os seus pensamentos”.


Vale ressaltar que o vazamento das declarações de Jorge Jesus não foram bem recebidas por dirigentes do Flamengo. Rodolfo Landim, presidente do Rubro-Negro, nem quis se pronunciar sobre o assunto, mas fez questão de relembrar a época em que o treinador trocou o Clube da Gávea pelo Benfica, de Portugal.

Dando respaldo ao técnico Paulo Sousa, o Flamengo se prepara para entrar em campo nesta quinta-feira (11), quando o Mais Querido enfrenta o Altos-PI, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O confronto acontecerá a partir das 19h30 (horário de Brasília), no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • O FDP do Renato Mauricio Prado não é flor que se cheire. Não é de hoje que está tentando derrubar o PS. Ele é um mau caráter, e JJ caiu na dele. Um papo informal e sincero, que virou uma “pseudo-entrevista bombástica”, um “furo de reportagem”. Na verdade foi uma trairagem dele, RMP. Passou da hora de gente como ele e Mauro Cesar serem proibidos nas dependências do Flamengo. Vivem trabalhando para manter suas próprias regalias, inflar crises e gerar audiência em benefício próprio, enquanto se dizem flamenguistas.