Presidente do Athletico revela proposta de torcida única para todos os jogos no Brasil

Mario Celso Petraglia concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (27), em Curitiba


A coletiva de apresentação do volante Fernandinho, no Athletico-PR, contou com uma revelação inusitada do presidente do clube, Mario Celso Petraglia. Famoso por inúmeras declarações polêmicas, o mandatário roubou a cena nesta segunda-feira (27). Desta vez, o cartola contou sobre o desejo de os estádios brasileiros terem apenas torcida do clube mandante.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!



Petraglia alegou falta de segurança e de controle para organizar os ‘pertencentes’ de cada torcida. O mandatário também falou da dificuldade na identificação de criminosos em episódios de violência, que, segundo ele, ‘é uma coisa interminável’.

— Não há controle das torcidas em relação aos seus pertencentes porque são centenas de pessoas, é impossível ter esse controle. Eu sei que existe a ideia de punir somente os responsáveis, mas como você consegue identificar em meio a todos os outros, como separar o joio do trigo? Você pune meia dúzia e acabam surgindo outros 600, então é uma coisa interminável, então passamos a punir a instituição — explicou Petraglia.

O presidente do Athletico-PR, inclusive, já tentou barrar a presença de torcedores flamenguistas em jogos do Mengão contra a equipe curitibana, na Arena da Baixada. Como dito na entrevista desta segunda-feira (27), o mandatário alegou uma espécie de falta de boa conduta histórica dos cariocas quando vão ao Paraná. Tal medida, automaticamente, incentivou alguns fãs do clube de Curitiba a tratarem com rispidez a presença de torcedores do Flamengo em partidas no estádio da capital paranaense.

Neste Brasileirão, os dois times já se enfrentaram na Arena da Baixada. Em 23 de abril, o clube da casa venceu o Flamengo por 1 a 0, no entanto, fora das quatro linhas, alguns flamenguistas relataram tratamento hostil da polícia local de alguns fãs do Athletico-PR.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Com todo o respeito ao povo aí do sul do Brasil, mas os casos de racismo com nossos jogadres, não só do flamengo, mas das demais agremiações que jogam aí no Sul são frequentes. Acho que este presidente devia olhar primeiro para a sua casa,, para depois condenar a casa dos outros. Perguntem ao goleiro ‘Aranha” como o racismo ocorre aí no sul. Conversem com outros jogadores também. Resolvam esta questão entre os””seus” e verão o quanto a sociedade vai agradecer pois o racismo na sua extenxão pode gerar violência nos tribunais ou mesmo nos arredores dos estádios. Este aí é mais um que destesta o povo carioca, e tenta nos denegrir mesmo numa partida de futebol.