Provável titular na Copa do Brasil, Rossi carrega ‘título’ de maior pegador de pênaltis do mundo no currículo

Compartilhe com os amigos

No Boca Juniors (ARG), Rossi se destacou com as defesas de pênalti


Caso o Flamengo vença o São Paulo por um gol de diferença no domingo (24), no Morumbi, a Copa do Brasil será decidida nos pênaltis. Para a partida, o Rubro-Negro deve ter um especialista no assunto sob as metas: o goleiro Agustín Rossi. Antes de vestir o Manto Sagrado, o argentino obteve a marca de maior pegador de pênaltis do mundo.

Nos últimos dois anos em que vestiu a camisa do Boca Juniors (ARG), Rossi fez 84 jogos, sofreu 56 gols, passou 50% das partidas sem ter as metas vazadas e pegou 13 pênaltis. De acordo com a plataforma de estatísticas esportivas SofaScore, o argentino foi o primeiro lugar no mundo no período em número de defesas de penalidades máximas.

Depois da saída do Boca Juniors, em janeiro deste ano, Rossi foi emprestado por seis meses ao Al Nassr, da Arábia Saudita. No time de Cristiano Ronaldo, o argentino fez apenas oito jogos e sofreu nove gols. Já no Mengão, a estreia aconteceu na quarta-feira (20), no empate em 0 a 0 com o Goiás, pela 24a rodada do Campeonato Brasileiro.

PROVÁVEL TITULAR

Com Matheus Cunha no alvo de críticas de parte da torcida, após o gol sofrido no primeiro jogo da final contra o São Paulo, Rossi deve ganhar mais uma oportunidade no domingo (24). Jorge Sampaoli deve escalar os seguintes atletas, além do goleiro argentino: Wesley, Fabrício Bruno, Léo Pereira, Ayrton Lucas, Pulgar, Victor Hugo, Gerson e Arrascaeta, Bruno Henrique e Pedro.

O Flamengo precisa vencer por dois gols de diferença para ficar com o pentacampeonato da Copa do Brasil no tempo normal. Caso o Mengo ganhe por um, precisará apostar no poder de Rossi para defender os pênaltis. O Coluna do Fla transmite a decisão, ao vivo, no YouTube, com narração de Rafa Penido. Além do ‘brabo’, Tulio Rodrigues e Leo José trazem todas as informações enquanto a bola rola, a partir das 16h (horário de Brasília).

Compartilhe com os amigos

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Se ele tivesse como titular não teríamos tomado dois dos três gols contra o Olímpia, estaríamos ainda na Libertadores..