Landim revela legado no Flamengo e faz alerta que “pode destruir o clube rápido”

Compartilhe com os amigos

Rodolfo Landim quer deixar para o clube o ‘processo de governança’


Por: Leo José e Pedro Paulo Catonho

Presidente do Flamengo, Rodolfo Landim se reuniu com o grupo político ‘União Rubro-Negra’ na última segunda-feira (04). No encontro, o mandatário revelou o principal legado que pretende deixar no clube ao fim de 2024, quando deixará a pasta. Além disso, o cartola fez um alerta para o futuro: “Dependendo de quem vocês elegem como presidente, pode destruir o clube rápido, muito rápido”.

Uma das coisas que eu gostaria de deixar, pelo como legado ou para que as pessoas parassem para pensar dentro do Flamengo, é um pouco sobre o processo de governança e de tomada de decisão dentro do clube. Porque, se as pessoas por um lado dizem que o Flamengo está estruturado do jeito que está durante dez anos, que em 20 anos vai ser um clube dominante, é porque tem um entendimento zero de organização — disse Rodolfo Landim, em gravação obtida pela reportagem do Coluna do Fla.

Jornalista pode até entender alguma coisa de futebol, mas de gestão de empresa entende zero. Vai estar na mão de quem vocês elegerem como presidente do clube. Posso dizer para vocês que, dependendo de quem vocês elegem como presidente, pode destruir o clube rápido, muito rápido, mesmo tendo o orçamento que a gente conseguiu crescer para 1,3 bilhão por ano. Essa é uma mensagem importante — acrescentou Rodolfo Landim.

No encontro com o ‘União Rubro-Negra’, Rodolfo Landim falou de diversos temas e apresentou os pontos de vista para o futuro do clube. O grupo político, de aproximadamente 150 pessoas, ainda não tem lado definido para apoiar nas eleições em 2024. Então, o presidente tentou ‘puxar’ as votantes para o lado da situação.

Apesar disso, Rodolfo Landim ainda não definiu quem será o candidato à sucessão. No encontro de segunda-feira (04), o mandatário revelou que fará pesquisas internas para saber se lançaram Rodrigo Dunshee ou Luiz Eduardo Baptista, o BAP.

VEJA CRÍTICA DE LANDIM À ESTRUTURA ATUAL DE GOVERNANÇA DO FLAMENGO

“O Flamengo é uma associação desportiva sem fins lucrativos que tem um processo de governança estabelecido em seu estatuto em 1992. É um processo de governança complexo. Tem um Conselho Diretor, com vários membros, depois temos um Conselho de Administração, com cerca de 100 membros, e temos um Conselho Deliberativo com 2.600 pessoas (risos).

Ainda bem que não vão todos lá (nas reuniões de deliberação), porque senão não teria condição de todo mundo estar lá para deliberar sobre isso. Aí iria depender da decisão, do nível da decisão, do assunto.

É uma governança complexa e acho que muito longe, na minha percepção, da ideal, falando sinceramente para vocês (risos). Não sou dono do Flamengo, nem nada. Flamengo está assim há muito tempo e tal.

Na minha primeira discussão antes de falar de SAF, SAF é uma forma de estruturar e dizer o seguinte: “O Flamengo poderia estruturar todas as suas ações do futebol de uma forma distinta, com um outro tipo de governança, como uma sociedade anônima tem e, dessa forma, gerir o principal esporte do clube.

Historicamente, se a gente for ver, o Flamengo, por ter essa governança complexa, acaba tendo processo que é estranho. Se por um lado ele exige níveis de aprovação em algumas coisas no mais alto nível do Flamengo, que é seu Conselho Deliberativo, em outras, ele deixa, por uma necessidade real de mercado, na mão do presidente do clube.

Vou dar um exemplo típico para você: se amanhã eu quiser contratar o Arrascaeta, como contratei por 18 milhões de euros em contrato, que estava dentro da capacidade do Flamengo naquela época. Mas, se eu quiser contratar o Neymar, por 270 milhões de euros, pagando para ele uns 60 milhões de euros por ano, como é o que ele ganha, eu também contrato. Vou lá, assino contrato e contrato ele.

Se eu contratar o Neymar e contratar mais um Cristiano Ronaldo eu quebro o Flamengo, simplesmente quebro o Flamengo. Tenho poder para isso, o estatuto me dá poder para isso. [inaudível por 2 segundos] Se eu fosse ter que me submeter a um Conselho de administração do clube… Conselhos de administração têm sempre as suas. A probabilidade desse troço vazar (negociação por atleta) é 100%, certamente alguém vai vazar, e o processo é um processo concorrencial, com outros clubes participando do processo.

Então, para assumir o processo desse tamanho, o presidente tem total poder para fazer, mas se ele quiser vender um apartamento lá no Morro da Viúva, estimado em uns R$ 3,8 milhões, ele tem que ir para o Conselho Deliberativo”.

Compartilhe com os amigos

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • SABE OQUE ACONTECE, O FLAMENGO NÃO TEM MAIS MEDO DE YOUTUBERS COMO TINHA ANTES, HOJE EM DIA PARA A DIRETORIA TANTO FAZ COMO TANTO FEZ, A TORCIDA DESISTIU DE COBRAR E AS ORGANIZADAS ESTÁ NO BOLSO DO BRÁZ COM EMPREGOS DE CABIDE. O FLAMENGO PODE VIR A CAIR COMO O SANTOS CAIU !!! A CORDA ESTA ESTICANDO PARA O FLAMENGO E SP.

  • Administrador medíocre, que pegou uma Ferrari e fez umas tunagens para ter as conquistas de 2019 a 2022. Porém, poderíamos não só ter muito mais conquistas como também uma administração mais eficiente e não ter passado por tantas oscilações, se tivessemos uma gestão mais séria e profissional. Apoiar o “mordedor de virilhas” foi o cúmulo desta gestão!

  • P/ TAVARES:
    Realmente o Flamengo se utiliza dessa prática de contratar jogadores jovens para as divisões de base e depois vender para o futebol europeu.
    O que acontece é que a torcida do Flamengo não tem paciência com as jovens promessas e quando aparecem já começam a fazerem comparações e a exigirem desses jovens futebol de craques e aí quando não emplaca o clube perde dinheiro pois, a torcida começa a pegar no pé do atleta e rapidinho encerra a carreira dele no clube.
    Foi assim com diversas promessas a exemplos do Nélio, Adryan e tantos outros que se perderam após chegarem aos profissionais.
    Se o Flamengo não tivesse vendido o Vinicius Junior dificilmente ele teria emplacado no clube já que a torcida já estava começando a pegar no pé antes da sua saída.

  • Bem, se com “Bolsonaro” tá ruim , imagina com a competência, honestidade e sinceridade de uma gestão ao modelo LULADRAO.

  • Sai daí Bolsonaro, pior que você somente um Bolsonaro piorado, pois o clube fatura bem e gasta mal , com essa grana qualquer um bom administrador já teria um estádio próprio

  • E precisa de todo esse blá, bla, bla, pra dizer o que todos sabem, ou seja, se tu gastar mais do que ganha, estará fodido !!! Então, Sr. Landim, gaste o dinheiro do clube com inteligência, gastos que trarão retornos convincentes, e etc, e pare de desperdiçar o dinheiro do clube com pernas de pau como ocorreu com o Allan, que custou uma fortuna aos cofres do Flamengo e num joga nada !!!

  • Sabe oq pode afundar o flamengo TB? Presidente q não entende nada de futebol se apaixonar por treinadorzinho da moda.

  • Esses caras se acham o máximo. Esse é o problema. Se o clube chegou onde está é pq nossa torcida é capaz de vender as calças pra comprar um ingresso ou camisa oficial. Ela faz isso na esperança de que os dirigentes façam bom uso desse dinheiro, montem uma equipe vencedora. Aproveitando-se da paixão cega do torcedor, aí o que a diretoria faz? Investe em garotos de 15 anos pra vender com 18. Com valor da venda contrata refugos que ninguém quer mais na Europa. Resultado: O time não ganha nada e o prejuízo é muito maior.
    Se há uma fórmula de destruir o Flamengo, ela já está em prática pelo Sr Landim e a tendencia é não ganharmos nada mais um ano. Que fique clara uma coisa. Futebol se ganha com vigor e preparo físico. Quem não tiver fica pra trás com o nome e tudo.