Vice-presidente oficializa saída do Flamengo e desabafa: “Somos todos, menos alguns”

Compartilhe com os amigos

Dirigente também diz que “nem sempre conseguiu resultados com todos nas suas zona de conforto”


O Flamengo demitiu o vice-presidente de esportes olímpicos Guilherme Kroll, como o Coluna do Fla havia antecipado. A conversa final aconteceu na última segunda-feira (04), e Rodolfo Landim selou a demissão. No dia seguinte, nesta terça (05), o agora ex-dirigente do Fla usou as redes sociais para publicar uma carta de despedida em um tom de desabafo.

VEJA PUBLICAÇÃO

“SOMOS TODOS, MENOS ALGUNS

Após me dedicar em tempo integral, sem qualquer tipo de remuneração, por 03 anos e meio, chegou ao fim meu ciclo como vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo.

Campeão do Mundo, Champions League Americas, NBB, 02 Super Oito, todos os Estaduais… e a temporada 2023/24 super estruturada no basquete. Campeão brasileiro e líder do ranking nacional no vôlei, na natação, na ginástica, no nado artístico… Campeão brasileiro no judô.

Medalhas olímpicas com Rafaela Silva e Rebeca Andrade. Medalhas Pan-Americanas.

O esporte sendo comandado por um esportista. O centro de tudo sempre foram os atletas. Meu agradecimento eterno é dirigido a eles, que venceram por nós. Tentei ser professoral com todo um universo de pessoas que compõem essa gigante estrutura de um dos maiores clubes poliesportivos do mundo, mas sei que nem sempre consegui resultados com todos nas suas zonas de desconforto.

Enfim, é sempre válido lembrar um dos lemas rubro-negros:

Somos todos, menos alguns”.

A SAÍDA DE KROLL

Durante a passagem pelos esportes olímpicos do Flamengo, Kroll acumulou algumas polêmicas internas e externas, principalmente sobre participação histórica no Botafogo e interferência na saída de Marcelo Vido do cargo de diretor executivo da pasta em que era vice-presidente. Sendo assim, como soube a reportagem do Coluna do Fla, tais questões foram cruciais para a alta cúpula do Flamengo decidir pelo desligamento do agora ex-dirigente.

A última competição em que Kroll esteve envolvido foi a Copa Brasil de Vôlei Feminino. O então vice-presidente estava com o Sesc Flamengo em Santa Catarina, para disputa das semifinais da competição. Entretanto, no sábado (02), as Meninas da Gávea perderam por 3 sets a 0.

REAPROXIMAÇÃO COM PATRICIA AMORIM

Flamengo
Dunshee, Patrícia Amorim e Landim (Foto: Divulgação / Flamengo)

A saída de Guilherme Kroll é uma movimentação do presidente Rodolfo Landim e do vice-presidente geral e jurídico Rodrigo Dunshee para reforçar laço político com Patrícia Amorim. Isso porque, a ex-presidente do clube agora pode indicar um outro nomes para o posto.

Tirar Guilherme Kroll da vice-presidência de esportes olímpicos dá espaço para Patrícia Amorim assumir o cargo. Em contrapartida, a ex-presidente deve indicar algum outro nome do grupo político de sócio em que integra ao invés de ela mesma chefiar a pasta.

Compartilhe com os amigos

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Se essa praga assumir a diretoria do Flamengo vai acontecer igual com o cruzeiro! Se não fosse o Bandeira de melo nos hoje estaria jogando uma série D esse Landim tá desesperado tá atirando pra todos os lados !pra trazer uma inútil dessa mas uma vez pra ocupada um cargo no Flamengo espero que o próximo presidente demita essa vaca

  • É uma politicagem que eu nem consigo imaginar, por mais que eu tente.

    Agora me digam: como pode alguém se dedicar integralmente ao Clube sem remuneração? Esses caras são aposentados, com aposentadorias milionárias? Quem aceita trabalhar integralmente sem remuneração? Todos deveriam ser muito bem remunerados, e cobrados (responsabilizados) na mesma proporção. Isso é fundamental para qualquer processo de profissionalização.

    E essas “pragas”, como disseram abaixo, deveriam ser banidas do Clube. Quem tenta defender é, no mínimo, conivente. E quem é conivente não tem direito de cobrar depois.

  • Desde que ela não seja presidente, ela foi atleta olímpica do Flamengo, as vezes tem outras competências, mas como a matéria falou deve indicar outro profissional. Tranquilo.

    Ela é sócia e tem influência.

  • Patrícia Amorim de novo??/ essas velhas pragas ainda rondam o Flamengo, que tristeza