Vitor Belfort compara luta com Hendo a Flamengo x Vasco: “Cada vez é diferente”

Brasileiro defende que, apesar de encarar o adversário pela terceira vez na carreira, cada combate tem suas particulariades, portanto, é uma nova história a ser escrita

Na infância, Vitor Belfort integrou o Nova Geração, clube à época comandado por Zico. E, ao que parece, o futebol ainda está vivo em sua cabeça. O lutador participou do “Media Day”, nesta quinta-feira, em São Paulo, para promover a luta contra Dan Henderson, programada para sábado, no Ginásio do Ibirapuera, e comparou o duelo a um jogo entre Flamengo e Vasco. O “Fenômeno”, apesar de enfrentar o americano pela terceira vez na carreira, afirma que cada combate reserva uma história única, assim como no “Clássico dos Milhões”.

– É uma luta diferente. Para mim, é a primeira, por mais que seja revanche, uma trilogia. Flamengo e Vasco aconteceram várias e cada vez é diferente. Estou encarando como se fosse a primeira vez que vou enfrentá-lo. Na arte marcial, tem que ler o momento, não pode ir para a luta com um padrão. É dessa maneira que eu luto. Vou lá colocar meu jogo em prática e me divertir – declarou o ex-atleta da academia Blackzilians, sempre afeito a metáforas.

rib5391[1]O polêmico exame antidoping, no qual Vitor Belfort teria testado positivo, em 2012, antes da luta contra Jon Jones, no UFC 152, também foi abordado pela imprensa. O carioca não se negou a responder aos questionamentos e afirma que o episódio não mancha sua imagem.

– Não arranha de maneira alguma. Quando você é verdadeiro, não tem o que esconder, as pessoas gostam. Eu não tenho nada a esconder de ninguém, dividi todos os meus exames. As pessoas não entendem e nem vão entender. É uma coisa médica. Continuo necessitando do tratamento, mas abri mão. Sigo me dedicando, treinando. Na vida, tudo tem dois lados, um negativo e um positivo. O negativo é o que você precisa para colocar em uma chamada. Poucos repórteres conseguem valorizar o outro lado, falar dos 20 anos de carreira. É o que você aprendeu na escola, na faculdade – explicou Vitor Belfort, que protagonizou encarada morna com Dan Henderson.

Confira a entrevista na íntegra:

Polêmicas

Toda luta minha sempre tem (polêmica). As pessoas trazem coisas para me desfocar. Quando estive com o (Ben) Carson, candidato à presidência dos Estados Unidos, ele falou: “Vitor, a coisa mais difícil de se lidar é com situações que você não controla”. O importante é saber como lidar com isso. O que é bom, eu pego, o que é ruim, deixo do lado de fora.

Críticas de Dan Henderson

Vindo dele, meu amigo, não tem nem o que comentar. Qualquer coisa que venha do meu adversário está cancelada em nome de Jesus. Ele cuida do corpo dele, eu cuido do meu. Ele cuida da vida dele, eu cuido da minha.

Tratamento injusto

De 14 atletas que faziam TRT, 12 eram americanos. Nenhum deles revelava seus testes pessoais, eu revelei todos. É uma pergunta que vocês, a mídia, têm que responder. É uma pergunta interessante.

UFC e o doping

Eu sempre dividi todos os meus exames privados com o UFC. Sempre lutei aprovado pelo UFC, pelas comissões, nunca teve nada por debaixo dos panos.

Credibilidade do evento

Era um repórter que estava ameaçando a mim e ao UFC, dizendo que tinha o email. Eu falei: “Você pode divulgar isso a hora que quiser”. Foi um email passado a vários lutadores, todo mundo sabia dessa notícia, não tinha novidade. As pessoas não entendem muito o que é o TRT, isso de ter banido, de ninguém poder fazer, sempre cumpri todas as regras.

Imagem arranhada

De maneira alguma. Quando você é verdadeiro, não tem o que esconder, as pessoas gostam. Eu não tenho nada a esconder de ninguém, dividi todos os meus exames. As pessoas não entendem e nem vão entender. É uma coisa médica. Continuo necessitando do tratamento, mas abri mão. Sigo me dedicando, treinando. Na vida, tudo tem dois lados, um negativo e um positivo. O negativo é o que você precisa para colocar em uma chamada. Poucos repórteres conseguem valorizar o outro lado, falar dos 20 anos de carreira. É o que você aprendeu na escola, na faculdade.

Alternativa ao TRT

Está aqui, o Café Belfort, orgânico, feito no interior de São Paulo. Top de linha. É muito café todo dia.

Pena para atletas dopados 

Ah, não sei… Está perguntando para a pessoa errada. Não sou juiz, não trabalho na comissão. A maneira como aconteceu o caso do Nick Diaz foi muito estranha. Infelizmente, o controle não é meu. Claro que, pessoalmente, não tem lógica um (Anderson) levar um ano de suspensão e o outro, na mesma luta, levar cinco anos. Fica difícil de compreendermos, mas não sou pago para julgar o que é certo ou errado.

Treinos para a luta

Foi muito bom, estou muito feliz com esse camp, agradeço a todo o Time Belfort, que se colocou à disposição, a todos que fizeram parte desta jornada.

Mudança de academia

Eu sempre tive uma equipe dentro de uma equipe. Eu sempre trouxe esse pessoal que trabalha comigo mesmo nas equipes grandes das quais eu participava. Sempre tive um pessoal que ficava à minha disposição. A OTB, que cuida da minha imagem, junto com a Joana, criou uma equipe para mim. Foi um presente. Hoje tenho um octógono, uma academia montada só para mim. Era o momento de fazer o time assim. Sou amigo de todos na Blackzilians, não saí com nenhum problema. É bom dar um passo adiante.

Dillashaw em nova equipe

Vai ser o primeiro cara a ganhar para treinar. Esse é o futuro do esporte: ser pago para treinar. Está quebrando paradigmas, dou os parabéns a ele. Cada um busca o que é melhor para si, não podemos obrigar ninguém a ficar junto. Estamos em uma mudança grande no esporte. O MMA para estar nas Olimpíadas precisará de novas regras, paradigmas estão sendo quebrados.

UFC: Belfort x Henderson 3
7 de novembro, em São Paulo (SP)
CARD PRINCIPAL – a partir de 1h (horário de Brasília):
Peso-médio: Vitor Belfort x Dan Henderson
Peso-meio-pesado: Glover Teixeira x Patrick Cummins
Peso-galo: Thomas Almeida x Anthony Birchak
Peso-leve: Alex Cowboy x Piotr Hallmann
Peso-leve: Gilbert Durinho x Rashid Magomedov
Peso-meio-pesado: Fábio Maldonado x Corey Anderson
CARD PRELIMINAR – a partir de 21h30 (horário de Brasília)
Peso-leve: Gleison Tibau x Abel Trujillo
Peso-leve: Yan Cabral x Johnny Case
Peso-pena:Clay Guida x Thiago Tavares
Peso-pena: Kevin Souza x Chas Skelly
Peso-meio-médio: Viscardi Andrade x Gasan Umalatov
Peso-galo: Pedro Munhoz x Jimmie Rivera
Peso-galo: Bruno Korea x Matheus Nicolau

Fonte: GE

Veja também