Onde estão os nossos campeões?

Amigos! Ontem pela manhã vimos mais uma vez o Flamengo ser Flamengo! Vitória na casa do adversário, com estádio lotado e a presença da nossa torcida, sempre guerreira fora de casa, nos poucos assentos destinados aos rubro-negros.

Tudo caminhava para o cenário de desastre, além da pressão fora de campo, nosso time saiu atrás no placar, 2 a 0. Em busca da improvável reação no segundo tempo, ainda fomos prejudicados pela arbitragem. No final, 2 a 2 e vitória nos pênaltis. No aniversário de São Paulo, com a festa toda armada para o adversário, sagrou-se campeão o Flamengo.

Creio que, com ou sem o título, a missão da Copa São Paulo de Futebol Junior e de todos os profissionais que trabalham com o futebol de base do Flamengo foi cumprida. Revelamos talentos que poderão e deverão ser utilizados no time principal. Claro que não há um jogador para ser tirado da copinha e entrar como titular do elenco principal, devemos ter calma, pois esta transição é complicada de ser feita.

Para termos uma ideia de como é difícil essa transição, analisei os time titular campeão da Copa SP de 2011. Time também promissor, com destaque para alguns nomes como Negueba e Adryan, o Flamengo ganhou o título na final contra o Bahia por 2 a 1.

O time tinha o goleiro César, considerado o melhor goleiro da Copa São Paulo de 2011, se mostrou determinante para o título rubro-negro com defesas espetaculares. Logo foi promovido para treinar com os profissionais, mas não atuou muito pela equipe principal. Em 2013 e 2014 fez apenas um jogo e com a contusão de Paulo Victor ano passado fez 23 jogos, sem passar muita confiança aos torcedores. Com a chegada de Alex Muralha, hoje é o terceiro goleiro no elenco.

Alex, o lateral direito, teve problemas para renovação de seu contrato em 2011. Sem um acordo para ter seu vinculo prorrogado com o Flamengo, foi vendido ao Vitesse da Holanda onde não obteve sucesso. Em 2014 veio por empréstimo ao Botafogo, sem brilho algum e desde 2015 está no Tombense.

Anderson, lateral esquerdo e irmão de Alex teve carreira semelhante, foi vendido junto com o irmão para o Vitesse, também foi emprestado ao Botafogo junto com Alex e faz parte do elenco do Tombense. A única diferença é que foi emprestado ao Sampaio Correia durante o ano de 2015.

Marllon, zagueiro veio do Cruzeiro em 2008 e logo ganhou projeção no Flamengo. Após a Copinha subiu para os profissionais, mas voltou ao time de base depois da compra de Gustavo Geladeira (lembra dele?). Fez alguns jogos no profissional, mas nada que chamasse atenção e depois disso rodou por Duque de Caxias, Boavista, Rio Claro (SP), Santa Cruz (PE), Capivariano e Atlético Goianiense.

Frauches era o outro zagueiro do time campeão e subiu aos profissionais em 2012. Desde então faz parte do elenco mas joga muito pouco, neste período de 3 anos realizou 27 jogos. Ano passado foi emprestado ao Macaé para disputa da série B do Brasileiro.

Muralha foi destaque na Copa São Paulo, subiu imediatamente aos profissionais e chegou a ser titular em vários jogos com Luxemburgo mas oscilou bastante. Fez 37 jogos entre 2011 e 2012, foi emprestado à Portuguesa, voltou em 2014 e realizou mais 27 jogos com a camisa do Flamengo, em 2015 foi emprestado ao Bragantino e hoje se encontra no Luverdense.

Lorran foi outro que subiu para os profissionais após a conquista, e fez sua estreia em 27 de março de 2011, como titular no lugar de Renato Abreu, em um empate por 3 a 3 contra o Madureira. Porém também não teve muita sequencia e seguiu a carreira no Audax (SP) e Madureira.

Rafinha chegou as categorias de base por meio de uma parceria do Flamengo com o CFZ do Rio de Janeiro. Subiu aos profissionais em 2013 e em uma vitória sobre o Vasco teve uma atuação de gala. Realizou 44 jogos em 2013 e teve seu contrato renovado até 31 de janeiro de 2018. Porém, em 2014 foi emprestado ao Bahia, onde realizou 40 jogos e ano passado esteve no Atlético Goianiense e Daejeon Citzen. Este ano foi emprestado ao Metropolitano (SC).

Adryan mesmo sendo dois anos mais novo que a maioria dos garotos da Copa São Paulo foi o camisa 10 e grande destaque da campanha do título. Tratado como pérola na base rubro-negra, ganhou espaço no elenco principal após a saída de Ronaldinho e entre 2012 e 2013 realizou 47 jogos. Na temporada 2013/2014 foi emprestado ao Calliari e em 2014/2015 foi emprestado ao Leeds. Hoje esta no Nantes da França e tem contrato com o Flamengo até março/2018.

Negueba foi o único campeão da Copa São Paulo que já tinha experiência no elenco profissional – subiu em 2010. Jogador da base que mais se firmou com Luxemburgo, ele foi o autor do gol do título do Flamengo na final contra o Bahia. Emprestado ao São Paulo em 2013, fez somente 5 jogos e sofreu com uma lesão no joelho. Em 2014 voltou ao Flamengo e de 2010 a 2014 fez 80 jogos pelo Flamengo. Hoje é titular do time do Coritiba.

O centroavante Lucas também teve ótima participação na Copa São Paulo, principalmente nas quartas de final, quando marcou três vezes na goleada por 6 a 2 sobre o Coritiba, fez apenas 6 jogos entre 2012 e 2013 sem marcar gols. Foi emprestado ao modesto Santa Clara de Portugal e deu sequencia na sua carreira no Atlético Goianiense, Nacional (PR), Bangu e Cabofriense.

Esses foram os 11 titulares campeões em 2011. Na época tínhamos grandes esperanças de voltar a formar um time principal com vários “pratas da casa” e, claramente, não conseguimos fazer a transição entre a base e o profissional de forma correta. Falhamos na tentativa de fazer com que esses jogadores rendessem tecnicamente em campo ou então que rendessem financeiramente com uma boa venda. Espero que o Flamengo tenha aprendido a realizar essa transição e que não percamos mais uma boa safra de jogadores.

VAMOS FLAMENGO!

Marcos Vinicius Beton Amorim

marcos.amorim@colunadoflamengo.com.br

Veja também

  • Período negro no Flamengo. Presidente Patrícia Amorim e seus diri8gentes não souberam fazer a transição. Adryan é de 94 e poderia jogado a copinha mais 3 edições (até 2014).não estava preparado pra subir, foi queimado.

    em 2013, quando EBM assumiu e fez uma limpa geral no elenco, Rafinha era uma das primeiras opções de Dorival jr. Mandar o treinador embora e trazer Gabriel peladeiro diminuiu o espaço do jovem que foi emprestado e interrompeu o crescimento que estava tendo na equipe.

    Pra mim, Rafinha e Adryan eram os mais talentosos. Ainda torço pra que eles tenham sucesso. Se não no Flamengo onde não tiveram chance, onde eles estiverem.

    Quem sabe um dia, assim como Kayke, eles voltem em um nível bom.

  • Dessa safra ai sempre acreditei que os que teriam futuro era o Cesar e Adryan, e mantenho minhas palavras, venho acompanhando os jogos do Adryan no Nantes sempre q tem transmissão, e ele vem jogando bem, quando nao joga de Meia, joga de ponta esquerda, mas geralmente vem jogando de meia depois que conquistou a vaga de titular, vem dando assistências frequentemente e no penúltimo jogo foi Homem da Partida.

    E a torcida do Nantes é um show a parte, cantam jogo todo, espero que recupere o bom futebol

Comentários não são permitidos.