Tempestade em copo d’água

O Flamengo é mesmo um gigante.

Gerou grande reboliço, na última semana, a presença do presidente Eduardo Bandeira de Mello entre o técnico Dunga e Gilmar Rinaldi durante a convocação da seleção brasileira para a disputa da Copa América. A convite da CBF, Bandeira lá se fez presente pois atuará como chefe da delegação nacional na competição, a ser realizada nos Estados Unidos durante o mês de junho.

Pois bem, o que era pra ser uma relação política se tornou um inferno para o blue. Logo, a mídia e a torcida explodiram em contestações. Afinal, era o próprio Bandeira um dos principais expoentes do novo momento vivido pelo futebol brasileiro, inclusive sendo elemento fundamental da Primeira Liga, além de atuar firmemente contra os desmandos da federação carioca, aliada da CBF.

Falou-se, inclusive, em traição. Blogs renomados afirmaram que os demais membros da Primeira Liga haviam perdido a confiança no dirigente rubro-negro, que cartolas flamenguistas questionavam o presidente pelos corredores da Gávea e que, após anos de posicionamento firme, o Flamengo enfim havia se vendido à corja que comanda a Confederação Brasileira de Futebol.

Tudo balela.

Aí que eu pergunto, qual é o problema, de fato?

Acredito que poucos dos que questionaram e problematizaram a postura de nosso presidente se lembraram de que o Flamengo é maior e mais poderoso do que um simples convite. Aceitá-lo não significa em momento algum se curvar à CBF, mas sim estreitar, inteligentemente, um laço político.

Não estamos rompidos com a CBF, e nem podemos estar. Se a minúscula FERJ já consegue nos causar imensos problemas, imaginem a CBF? Precisamos dela, e ela precisa de nós.

O Flamengo tem tanto poder financeiro, carismático e midiático que podemos nos permitir a posição de questionamento e diálogo com a CBF ao mesmo tempo. Diferentemente de pequenos clubes, que necessitam de estardalhaço, nosso status nos permite dialogar com todos, criticar a todos e, ao mesmo tempo, manter boas relações com todos. Isso é política.

Não devemos pressionar por pressionar. Manter uma relação saudável com a CBF é mostrar para eles que o diálogo é possível, que estamos abertos à conversas e mudanças e que não queremos a radicalização que nunca irá acontecer da maneira que se espera. Não com o imediatismo utópico.

Nós não precisamos de pressão midiática, como os outros clubes. Nossa simples postura representa um grande divisor de águas. Ser o inimigo natural e ideológico, como pregam outros clubes de menor representatividade, não nos é nem um pouco interessante.

O Flamengo deve ser, antes de tudo, o aliado em potencial. Aquele que angariará os esforços de todos os lados para ter nosso apoio, e que mostra à CBF que vale a pena batalhar para ter nosso apoio. Se posicionar como contrário a tudo é muito simples, mas também muito pouco produtivo. O que queremos é uma melhora completa, mas, na sua impossibilidade, temos que martelar os pequenos avanços.

A postura de nosso presidente foi bastante inteligente, politicamente. E ganhamos ainda mais poder de barganha. Dirigir um clube deste porte envolve isto: o saber ser grande e o saber exercer a sua grandeza. Deixem as decisões simples para os clubes simples.

SRN!

Rodrigo Coli

rodrigo.coli@colunadoflamengo.com

 

Veja também

  • É exatamente isso. Mudar a CBF à distância não seria possível. ..

  • Bom, vamos lá: Primeiro, não existe mudança sem ruptura com o status quo. Para mudar a estrutura de um futebol falido, que parou no tempo e que vive do passado é preciso SIM romper com quem manda na estrutura de hoje. Ainda mais se quem manda é notoriamente corrupto ( ou vocês acham que um presidente de uma Confederação importante como a brasileira não viajar para representar essa mesma Confederação que ele preside esta tudo certo? ) O CARA NÃO SAI DO BRASIL PORQUE SABE QUE IRÁ PRESO!!!

    Segundo, chefe de delegação, um elogio? Reconhecimento ao trabalho do Flamengo? OI? OI? Alguém aí sabe o que é a bancada da bola no Congresso? Sabe quem lidera essa bancada? Sabe qual a posição do Flamengo sobre essa bancada da bola?

    Todo mundo sabe que chefe de delegação não significa nada. Que é um cargo ilustrativo, sem relevância alguma. Dentro desse raciocínio, mesmo que a CBF fosse um pilar de idoneidade, o presidente do Flamengo deixar seu clube de lado por um mês para ir passear nos EUA com a seleção Brasileira seria um disparate, no mínimo.

    O último chefe de delegação do Brasil foi o João Dória Jr. Será que vocês não conseguem ver a gravidade dessa “aliança” com a CBF. Um presidente que há pouco mais de 03 meses abriu uma guerra pública contra a CBF vem agora falar em “reconhecimento ao seu trabalho”. Ele é presidente do Flamengo, não existe essa de “seu trabalho”. Ele só existe como presidente do FLAMENGO. Bandeira é um bom presidente, e embora não seja o FLAMENGO, representa o clube com a maior torcida do Brasil. Se vc, caro leitor ou caro colunista, não consegue ver a diferença disso, deveria reavaliar suas posições políticas.

    E ele, o senhor Bandeira já deu algumas demonstrações públicas à frente do Flamengo de ser um homem ingênuo para o meio do futebol. Ser ingênuo não é defeito, via de regra, mas para se adminsitar um clube de futebol é preciso estar mais atento do que ele demonstra estar. Ótimo administrador, ponto.

    Caro colunista, sua coluna demonstra bem a flexibilidade e “imparcialidade” que você deveria ter ( ah, blogueiro não é jornalista, né?… tá certo ). Ou você não tem bom senso ou vive distante da realidade na qual o Flamengo se encontra com essa atitude equivocada, para não dizer burra do excelentíssimo presidente Bandeira. E qualquer que seja a opção sobre você, caro colunista, é um erro.

    Tudo bem que esse site é de torcedores, que não apuram nada, apenas replicam matérias de outros sites ( pois quando decidem emitir uma opinião própria, são capazes de vergonhas como essa coluna tendenciosa e marron ). Em tempo, se vc não sabe oque significa “marron” no meio jornalístico esportivo, vá saber.

    A união entre o outrora acima de qualquer suspeita Eduardo Bandeira de Mello com a bandidagem liderada por Marco Polo Del Nero só deixa claro que ele não sabe o real tamanho do FLA. Se existe um clube capaz de derrubar essa oligarquia da CBF essse clube ERA/SERIA o Clube de Regatas Flamengo. Mas ninguém nunca disse que isso seria fácil, muito pelo contrário. Nenhuma batalha contra um sistema viciado e enraizado até seu cerne, é de fácil ruptura. Portanto, não esmorecer era preciso. E não fazer o que o senhor Bandeira fez.

    Sua carta aberta explicando os motivos que o levaram a aceitar a tal “homenagem” só deixam ainda mais claro o erro que foi ter aceito tal convite.

    Ah, mas não precisamos nos preocupar, certo? Estamos nadando em dinheiro, não temos onde colocar tantos patrocínios em nossa camisa e principalmente, temos um time que esta jogando o fino da bola, não é mesmo?

    Somos tão incríveis que podemos nos dar o direito de servirmos de escudo para uma instituição corrupta num torneio caça niquel sem vergonha qualquer.

    Li aqui que um leitor postou que “não existe vida sem política”. Realmente não existe. Mas existe a maneira integra e a maneira escusa de se fazer política. E se você, caro leitor, caro colunista, não consegue ver a diferença entre essas maneiras tão díspares, sugiro que reavalie seus conceitos éticos e morais. Pois esse mesmo raciocínio se aplica ao nosso tão famoso “jeitinho brasileiro”. FAZER POLÍTICA não significa se aliar à bandidos. Mas é claro, tudo é apenas tempestade num copo d’água.

    Perdemos uma oportunidade única de enfraquecermos ainda mais uma entidade que pena para manter-se em pé. NUNCA teremos uma liga forte, com os clubes organizando e mandando no futebol quando o grande expoente dessa mudança se alia à bandidos em nome do “reconhecimento do trabalho”.

    E se vc acha que tudo isso é apenas “Tempestade num copo d’água”, ah, meu caro, fico feliz que você seja apenas um torcedor que infelizmente pode escrever num blog.

    Ser torcedor não precisa significar ser burro ou corruptivo apenas para defender seu clube.

    Alguém aí já ouviu a frase “Me diga com quem tu andas, que eu te direi quem és”?

    E a frase “O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente”?

    Mas é tudo tempestade num copo d’água, não é mesmo. Clap clap clap.

    • Bom texto porem esqueceu de pequenos detalhes, flamengo é filiado a ferj é esta a CBF, e a entidade que gere os campeonatos nacionais e estabelece as datas, a lei concede o direito dos clubes a criarem uma liga mais nao obriga a ninguém a ceder datas para a mesma, quando tiverem que brigar eles brigaram para a primeira liga nao ser abortada em 2016 ou esqueceu que Rubens Lopes, Walter Feldman e Kalil apos sair da mesma foram categóricos a PRIMEIRA LIGA nao ira acontecer?
      E a mesma aconteceu depois de uma briga ferrenha onde o “ingenuo” EBM estava na linha de frente.
      Não esqueça que mesmo com a primeira liga oficializada pela CBF, a FERJ disse que nao iria ocorrer a terceira rodada a semi final e a final, e novamente o “ingenuo” EBM modificou isto, e elas ocorreram.
      Ah e não vamos esquecer que a FERJ e a CBF falaram que para jogar no Mane garrincha teria que ser jogo a jogo, e novamente o “ingenuo” EBM conseguiu reverter isto.
      Alias Rubens Lopes estrategicamente deixou a ferj estes meses, e ja anuncia que o campeonato carioca de 2017 sera com os grandes com apenas 12 clubes (lembrando que o flamengo esta pleiteando que seja apenas 10), alem do contrato da TV que o flamengo quer que o dinheiro caia na conta do clube e nao mais direto na FERJ como no contrato assinado pela Patricia Amorin.
      No mundo ideal bastava os clubes se unirem criarem a Liga Nacional e deixar a CBF e Ferj a ver navios, porém caro flamenguista o mundo ideal não existe, o mundo real exige as vezes vc fazer alianças que não são as melhores para um bem maior. ate porque os clubes do brasil são superunidos, ou esqueceu que colocaram Kalil como CEO da primeira liga? e ele tentou colocar o presidente do Atletico pr como vice da primeira liga para diminuir o poder do presidente do cruzeiro? sera que vc esqueceu que a reação do presidente do cruzeiro foi tirar o time da primeira liga? ou que Kalil saiu falando cobra e largatos dos dirigentes da primeira liga dizendo que foi “traido” por 6 clubes quando o seu pleito de colocar o presidente do Atletico pr foi abortado? e logo em seguida a volta do presidente do cruzeiro? entao se a CBF não e um poço de honestidade os dirigentes de outros clubes não ficam muito atras, ou no minimo quando o interçãoesse do seu clube for maior que a primeira liga vai haver desertores ou esqueceu do Clube dos 13 e a copa união onde o eurico acabou traindo o clube dos treze ao assinar um confronto sem noção ou o sao paulo não reconhecer o flamengo como o primeiro penta e começar a briga pela Taça de Bolinhas?
      Se ate o final do ano ele nao conseguir fazer a primeira liga crescer gradualmente em detrimento aos estaduais, e conseguir um patrocinio para este torneio de maneira que seja vantajoso a todos, ai sim posso dizer que tudo que escrevi foi balela ou de alguem nao atenada ao que passa no mundo, mais se a mesma tiver mais datas e gradualmente ir substitindo os estaduais vc acha que foi porque? Bondade da CBF?Bondade da FERJ? ou porque esta aproximação resultou nisto? ate porque ele é agora o responsável em negociar a primeira liga em 2017.
      Fora que o blogueiro colocou uma opinião baseada no que acha e com lógica ele pode esta errado sim? como vc pode esta?
      Em tempo caso vc nao tenha lido recomendo ler O principe de Maquiavel para vc ter uma noção de politica e como ela é necessaria

  • Estava desacreditado nesta coluna, havia somente post de repúdio, de contradição e nada de apoio. Avante blues, acredito que o trabalho trará resultados, com ou sem muricy o time em breve será rico e consequentemente potencia no futebol, no basquete e em que disputar !

  • Finalmente alguém escreve algo inteligente sobre este assunto.
    Parabéns Rodrigo Coli.
    SRN

  • Uma boa analise! Concordo plenamente!

  • Primeiro post sensato! Parabéns!!… flamengo hj tem autonomia e pode ficar sem presidente para q ele possa trabalhar objetivos maiores que fogem à alçada interna e isso assusta o povo.

  • Essa foi a melhor coluna que li aqui, sem emocionalismo e imediatismo, com argumentos sólidos, análises sensatas, e sem querer jogar pra torcida mostrou como as coisas realmente são. Parabens colunista.

  • Ufa!!!!! Finalmente uma análise sensata sobre esse episódio!!! Parabéns!!! Concordo plenamente!!!

  • Aceito a opinião, mas não concordo. Ficar de figura decorativa na delegação não ajudará em nada… apenas queima o filme do presidente e do Flamengo. Não se esqueçam que os escândalos da CBF e FIFA só afastam os patrocinadores sérios.
    Na minha opinião, uma gigante bola fora.

  • Sensatez, torcida do Flamengo e mídia anti-flamenguista não combinam! Qualquer marola vira uma tempestade…

    Parabéns pela análise!

  • Balela é os bandeirettes tentarem defender o indefensável, ainda mais quando o maior argumento apresentado é um ufanismo rubro-negro despropositado.

    • Claro o Rubinho já admitir que o carioca de 2017 vai ter so 12 clubes quando entrar o grande e balela, ele pegar para sim a negociação com a cbf da primeira liga e balela, este argumento pode esta errado e vc certo, que ele errou sim? mais porque nao admitir que isto pode ser possível?

    • “Bandeiretes” é um termo pejorativo, que nunca deve ser utilizado contra a própria torcida de quem quer ver o Mengão cada dia melhor.
      SRN

      • É tão pejorativo quanto é nocivo para o Flamengo essa idolatria a um ser humano que acerta e erra como todos nós.

        A pior coisa que pode acontecer a um país, um clube, a qualquer coisa, é a obediência e o fanatismo cego por um líder salvador. Espero que a torcida do Flamengo não caia nessa e recupere o seu senso crítico para o próprio bem do clube.

        • Senso critico que passou longe em, vcs reclaman quando alguem radical da turma do Bandeira ataca quem fala mal do time etc mais nao se esquiva em chamar alguem de Bandeirete sobre o direito d argumentar sobre uma negociação usando uma logica que se é certa ou nao vamos saber la na frente, ou pimenta nos olhos dos outros sao refrescos.
          Pode falar a vontade que sta uniao nao e benefica quando os benesses sair vamos ver qual vai ser sua fala

  • Parabéns pelo seu posicionamento , que análise bem feita , sempre faltou ao flamengo força política nem uma simples arena de basquete sai do papel por falta de força política, com a aproximação do bandeira o nosso flamengo e o futebol vai ser mais forte não podemos nos curvar nem nos afastar . parabéns bandeira e p vc Rodrigo por enchergar bem o jogo político.

  • Jornalistas da mídia gostam de queimar nossa imagem.
    Pra mim a solução seria acabar com a televisão, assim também não teria mais jornalistas.

  • Até que fim vejo um texto aqui falando a pura verdade. Bandeira fez certo, esse ano batendo de frente só quebramos a cara se não fosse o governp se envolver a liga nem tinha saído do papel, quem sabe com essa aproximação não conquistamos mais coisas. Tudo na vida envolver política e o EBM está certinho. Parabéns pelo texto.

  • Finalmente um comentário adulto e inteligente a respeito do ocorrido! Parabéns, RC!

  • Concordo Rodrigo Coli, bom comentário. SRN

  • O time num momento ruim e esse filho da puta vai pra não fazer nada na cbf? Não tá estreitando porra de laço nenhum, essa função é inútil.

    • nada a ver colega… Bandeira está certinho tudo envolver política nesse país e ele fez certinho. O que ele faz aqui pode fazer por lá tambem.

      • Penso assim também.

    • E o que que o EBM pode fazer para o time melhorar. Ele é o Presidente do clube não o auxiliar técnico do Muricy. O que ele tinha que fazer ele já fez, como dar respaldo para o trabalho do Muricy. E como Presidente a maior função DELE é a Política e é isso que ele está fazendo lá na CBF. SRN

    • Amigo esse comentário e no mínimo tosco , não podemos ficar so na bira com a CBF , temos que entrar la e nos posicionar.

  • Já vejo vida inteligente neste planeta. Belo texto de alguém coerente. SRN

  • A verdade é que ano passado quando batiamos de frente com cbf e ferj fomos prejudicados com erros de arbitragem em vários jogos,quem sabe com o EBM lá na cbf esses erros não ocorrão esse ano!

    • Não viaja.

  • Analise fria e realista afinal até agora não demonstrou nenhum erro em se comunicar com a cbf.

    • Obrigado, Jr. Vinicius! Continue acompanhando!

  • Pena que posts como este nao vao dar muitos comentarios.
    Parabens Rodrigo Coli, e acrescento ai que esta aproximação vai ajudar a primeira liga com mais datas a partir de 2017 e quem sabe nos proximos anos os estaduais sejam reduzios a poucas datas ou sem os grandes e ai quando isto acontecer basta lembrar desta aproximação

    • Boa observação, Jhonny!

      • Alias o Rubinho ja admitiu usar o carioca com os grandes apenas com 12 ao invés de 16 times, porque sera em? deveria ter como matéria obrigatória na escola desde o fundamental Ciências Política para assim daqui 15 a 20 anos começarmos a ter uma geração consciente, sobre o voto, sobre eleições, sobre a diferente entre Politica e Políticos, de Fazer Política e Fazer Politicagem.

  • Custei a acreditar que estava lendo um texto sensato, nesta coluna,sobre o assunto. Eu também sempre perguntei. Qual o motivo de tanto estardalhaço?

    • Obrigado pelo apoio, Milton!

    • Pensei isso também .

Comentários não são permitidos.