Vice que vai assumir o Fla descarta mudanças radicais e diz que ‘não quer ser estrela’

LANCE! conversa com o vice-presidente geral, Maurício Gomes de Mattos, que vai assumir o clube interinamente, por cerca de um mês, enquanto Bandeira estará com a Seleção

O Flamengo terá um “novo” presidente a partir do dia 22. Com Eduardo Bandeira de Mello na chefia da delegação da Seleção Brasileira na Copa América, o vice-presidente geral do clube, Maurício Gomes de Mattos, vai assumir interinamente por cerca de um mês. Caso o Brasil avance à decisão do torneio, o advogado de 54 anos ficará à frente do clube até o dia 26 de junho. O LANCE! conversou com o futuro mandatário por telefone e ouviu garantias de que não haverá qualquer tipo de ruptura com o modelo da gestão atual ou mudanças radicais.

Pelo contrário, Mattos afirma que será apenas o representante de Bandeira, sem pretensões políticas.

– Não quero ser a estrela da companhia em um mês. Mas é claro que tenho minha personalidade. Serei um representante do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Será um período de dedicação e amor integral ao Flamengo. Viverei o clube 24 horas por dia, como Eduardo Bandeira de Mello faz – garante.

Esta será a segunda vez que Mattos assume interinamente o Rubro-Negro. Neste ano, ele esteve no comando do clube por uma semana, mas agora terá mais tempo à frente do Flamengo. O vice geral se descreve como um amigo de Bandeira de Mello. Mesmo com autonomia para fazer mudanças, num momento muito importante para o clube, ele não pretende agir dessa forma.

Em meio à crise enfrentada pelo futebol do clube, Mattos afirma que estará presente quase que diariamente no Ninho do Urubu e onde mais for necessário, durante a ausência de Bandeira.

– Não posso deixar ausência, estarei presente em todas as áreas do clube. Tenho que reportar tudo ao presidente Eduardo. Sou representante do presidente. Serei o presidente em exercício. Tenho que estar junto. Vou estar lá, estarei todos os dias que necessário – afirma.

Mattos virou vice-presidente geral do Flamengo neste segundo mandato de Bandeira de Mello. Ele é membro do grupo político Flamengo Acima de Tudo (FAT), que apoiou a reeleição do atual mandatário.

Bem visto, Mattos diz que não é candidato

Mauricio Gomes de Mattos é uma figura muito conhecida entre os sócios do Flamengo. Perguntado se poderia vir a ser o substituto de Bandeira de Mello, ao fim desta gestão, em dezembro de 2018, o vice geral deu uma declaração conciliadora.

– A presidência do Flamengo é sonho de qualquer rubro-negro. Porém, não sou candidato. Há grupos políticos no clube. Desses grupos, sairá o candidato (para o fim de 2018) – disse o vice-presidente, referindo-se aos Sócios pelo Flamengo (SóFla), Flamengo Acima de Tudo (FAT) e Sinergia Rubro-Negra.

Mattos tem experiência em cargos de gestão no Flamengo. Ele é sócio-proprietário do clube desde 2002 e já foi vice-presidente do Fla-Gávea e também presidente do Conselho de Administração do clube.

– Tenho vasta relação com associados e lideranças. Conquistei o respeito das pessoas, elas me conhecem. Estarei completamente à disposição do Flamengo. Gosto de pessoas e cultivo amigos. A polícia do Flamengo acaba no dia da eleição. Todos estão ali para o bem do clube – diz Mattos, explicando sua facilidade para lidar com diferentes pessoas.

Vice evita polêmica

O presidente Eduardo Bandeira de Mello vem sendo criticado no clube por aceitar chefiar a delegação da Seleção Brasileira na Copa América. Questionado se agiria da mesma forma, o vice-presidente geral rubro-negro evitou criar ainda mais polêmica sobre o caso.

– É uma questão pessoal, não vou responder algo que não foi direcionado para mim. Respeito totalmente a posição do presidente Eduardo Bandeira de Mello, respeito também as cartas dos presidentes dos conselhos (Administração e Deliberativo) – disse o dirigente.

Fonte: Lance!

  • O despreparo da diretoria de acatar algumas preferências do técnico Muricy Ramalho é um absurdo lamentável,o bom profissional pensa sempre em valorizar o patrimônio do clube ,vejamos os erros ,a preferência por César Martin que estava em baixo nível técnico e a dispensa de Antônio Carlos que se quer teve chances de atuar pelo clube da Gávea ,são coisas lamentável e que me fez quer constantemente a saída do técnico Muricy Ramalho,profissional que não tem a capacidade de se reinventar e de valorizar o patrimônio do clube está totalmente fora de qualquer qualificação de uma empresa ou clube ,O Técnico do Audax Fernando Diniz consegui com jogadores rejeitados chegar a um final do campeonato paulista, incrível sua capacidade de dar auto estima aos jogadores,o que não é o caso do técnico Muricy Ramalho lastimável, lamentável, despreparo injustiças e preferências coisas que não deveriam existir em um clube como o Flamengo,joga quem estiver melhor o clube tem uma torcida a quem se deve o respeito ,ainda tem a a injustiçada base do Flamengo que não teve chances algumas as foram Promessas da diretoria e os injustiçados Muralha,Artur Henrique e o dispensado Antônio Carlos que se tiveram chance de atuar pelo clube da Gávea
    Término meu revoltado comentário é muita incompetência dentro de campo …

    • Concordo com tudo, amigo… lamentável! Esse velho gagá não passa da 3ª rodada!!!

    • Tá “serto”, Guilherme, então vamos começar agora uma forte campanha pela volta da Patricia Amorim ( ou do Kleber Leite ? ) e também do técnico Vanderlei Luxemburgo ( Ou talvez o Andrade, que acha ? ) e mais um monte de coisas erradas que o clube acumulava a uns 4 anos atrás.
      Continue firme aqui que eu vou lá do Twiter e no Facebook..blz ? Fui ..

Comentários não são permitidos.