A fórmula do sucesso!

Saudações Rubro Negras! Muito se discute sobre escalação, formação tática, elenco e comando da equipe. Nos últimos anos tivemos os melhores treinadores do país tentando achar, sem sucesso, um esquema efetivo para levar o Flamengo ao lugar que a torcida merece! Pois bem, vamos tomar como base os últimos 10 anos do Flamengo e ver como era formado o time nos melhores momentos, na minha opinião:

_Campeão da Copa do Brasil 2006;

_Arrancada no Brasileiro e classificação para a Libertadores em 2007;

_Libertadores 2008 até a eliminação trágica para o América – MEX;

_Campeão Brasileiro em 2009;

_Classificação para a Libertadores no Brasileiro de 2011;

_Campeão da Copa do Brasil em 2013.

Não vou citar os estaduais pois a base era a praticamente a mesma.

Vamos analisar:

2006

2006

2007

2007

2008

2008

2009

2009

2011

2011

2013

2013

Não vou comparar a qualidade técnica dos jogadores, para deixar bem claro, e sim a formação tática das equipes. Irei focar somente nestes últimos 10 anos. Os lados do Flamengo fizeram  papel fundamental nestes times que foram campeões, ou de alguma forma, fizeram sucesso durante um período. E pra que isso funcione, qual é a fórmula do sucesso do time? Analise em todos os exemplos, é a forte marcação no meio campo. Em 2006, Toró, Jônatas e Renato Abreu davam sustentação para que Léo Moura e Juan tivessem liberdade para atacar protegendo suas costas. Em 2007, tínhamos Jaílton, Rômulo, Ibson e Cristian fazendo a meia, fortalecendo e muito a marcação do time, levando o Flamengo da lanterna à uma vaga na Libertadores. Em 2008, seguiu a base do time de 2007, jogando muita bola na Libertadores mas, por um vacilo, sofremos um dos maiores vexames da história do Fla. Repito, não estou comparando a qualidade dos jogadores. Em 2009, o Fla se acertou após a chegada de Maldonado e Álvaro, tendo um meio campo com uma marcação fortíssima com Airton, Willians e Maldonado, dando liberdade para o Petkovic armar as jogadas e para as subidas constantes de laterais. Em 2011, o meio formado por Willians, Luiz Antonio, Renato Abreu e Thiago Neves era homogêneo em marcação e criativade, mas nunca esquecendo que todos marcavam. Se alguém tiver a memória boa, o Luxa pediu que o Thiago Neves corresse menos na época porque ele se desgastava demais nas partidas.  Em 2013, Amaral, Luiz Antonio e Elias faziam a estrutura de marcação. Era um time muito compacto, vou me arriscar que era o time onde mais participavam de todos os setores do campo. Os atacantes voltavam para marcar, os volantes chegavam sempre no ataque e os laterais idem, um time operário.

Nessas comparações, mais uma vez deixar claro que não estou comparando um time com o outro individualmente, o Flamengo precisa de uma forte marcação no meio campo. Um exemplo clássico de fraqueza tática é escalar o time com Cuellar, Arão, Mancuello, Sheik, Cirino e Guerrero. No papel, nada mal né? Mas na prática não é assim que funciona, o 4-3-3 tem que ser muito bem treinado e exige um comprometimento muito grande do time. O que acontece nesse esquema é que o Fla perde o meio campo sobrecarregando o Cuellar a se virar sozinho. E pode estar se perguntando, qual seria sua escalação? Com o momento de hoje dos jogadores, dia 02/06/2016, minha escalação com todos à disposição seria Muralha, Jorge, César, Léo Duarte e Rodinei. Márcio Araújo, Cuellar, Mancuello, Alan Patrick, Cirino e Vizeu. Ainda faltam dois zagueiros para entrar nesse time, gostaria também de ver o Ronaldo em campo e o Arão no lugar do Mancuello em jogos fora de casa. No ataque, temos muitas opções, acho o Everton mais comprometido que o Cirino e Sheik, o Ederson quando entrar tem que ser no lugar de Alan Patrick ou Mancuello, ele não é atacante. Guerrero acho que da Copa América deve tomar seu rumo para China. Vamos lá Zé, ajeita esse time para dar um pouco de alegria para nós que estamos sofrendo muito desde o ano passado. A fórmula do sucesso tático desse time do Flamengo é reforçar a marcação no meio campo! Flamengo 2×1 Vitória hoje! Rumo ao G4!

Saudações Rubro Negras!

André Barros

 

Veja também

  • O Flamengo com esse folclore que se criou em torno dele que ele sempre jogou com times super ofensivos cheios de atacantes acabou se fodendo porque todo mundo comprou essa falácia até o Muricy, até os grandes treinadores que passaram por lá nos ultimos anos se sentiram na obrigação de agradar imprensa e torcida recorrendo a este esquemas suicidas e se foderam também saíram queimados com a pecha de ultrapassados quando foi ao contrário eles tiveram insucesso porque tentaram jogar de uma maneira que não era a deles que não sabiam e que tinham levado eles a todas suas conquistas.
    Se seguissem suas convicções e prestassem um pouquinho de atenção do que diz o Tite e o Mourinho que não existe time campeão sem sistema defensivo sólidos já ajudava bastante e se observassem como jogam os americanos em todos os esportes coletivos em que eles priorizam e seguem o grito das arquibancadas por defesa, defesa e defesa com certeza jamais teriam caído nesse engodo e saído queimados do Mais Querido.
    É dificil dizer exatamente qual é a formula de um time vencedor mas é muito fácil notar a dos perdedores: Disequlibrio entre os setores e defesas frágeis.

  • Bastante interessante a analise, de todos a que mais me agrada é a formação utilizada em 2011, o Renato Abreu ou Botinelli ficavam próximo a linha da bola do Thiago Neves, o esquema utilizado era o 4-2-3-1 esse é o esquema que mais gosto, já disse isso em diversas ocasiões e comentários.
    Time para hoje.

    Muralha
    Jorge – Rodinei
    Cezar Martins – Leo Duarte
    Ronaldo – Cuellar
    Mancuello – Alan Patrick – Arão
    Felipe Vizeu

    Esquema 4-2-3-1

    • Faltaram o Rodinei e o Centroavante (Viseu ou Cirino) pra completar o seu time, a não ser que esteja escalando o Ronaldo na lateral direita. Mas nesse caso também faltaria outro pra completar.

      • Estava editando o comentário, deve ser por isso que não conseguiu visualizar, mais está ai. SRN.

        • ok! SRN

  • Sobre esquema tático, é inegável que não dá pra jogar com 3 atacantes e 2 meias (embora Arão não o seja, estava jogando muito avançado).
    Pra mim, 4-3-3 só com 3 volantes de muita marcação e laterais-zagueiros, como é feito com o trio MSN. A armação de jogadas é sempre iniciada com um dos atacantes que segura a bola enquanto o time sai do campo de defesa, nesse caso o Messi ou o Neymar prendem a bola. Mas não temos jogadores diferenciados no ataque como eles.
    Em 2013, jogamos no 4-3-1-2 com o Cadu, sendo o maior responsável por segurar a bola enquanto os volantes saíam lá de trás.

    O que o Fla precisa fazer com o time atual é o famoso 4-2-2-2 (2 vol + 2 mei), com volantes Cuéllar e Arão / Mancuello e A. Patrick.

    E digo que esse time não fica exposto, pois Mancuello marca e Cuéllar também. Basta treinar o posicionamento do Arão e A. Patrick.

    E outra: Cirino é ATACANTE! Secretário de lateral é só uma desculpa dos técnicos atrasados brasileiros pra manter o centro-avante isolado. Cirino precisa ficar AO LADO do Vizeu pra ter mais tabelas na frente da área, além do Cirino ser também bom cabeceador.

    Minha escalação: Muralha; Rodinei, Léo Duarte, Juan e Jorge; Cuéllar, Arão, Mancu e A. Patrick; Cirino (Nixon) e Vizeu.

    Caso queira ser variado para o 4-5-1: Muralha; Rodinei, Léo Duarte, Juan e Jorge; Cuéllar; Arão, Mancuello (A. Patrick), Éverton e Éderson; Vizeu.

    Aí sim teremos meio forte (nos 2 casos) e com opção de ataque pelo meio (4-4-2) ou ataque pelas laterais (4-5-1).

    SRN!

  • É isso aí! Pra hoje, se alguém disser alguma coisa diferente está querendo inventar e jogando com o dinheiro dos outros, o que é mole. Quero ver é o cara apostaria o dinheiro do próprio bolso em alguma escalação muito diferente do que foi dito aqui “pra hoje”, com a realidade de hoje.

  • Concordo com muito do que foi dito na coluna. Mas ainda acho fundamental reforço de pelo menos um zagueiro, um meia e um atacante titulares para esse time brigar por título. Além, é claro, do famoso “encaixar”.

    Abraços

Comentários não são permitidos.