“Para efetivar Zé Ricardo, falta apenas coragem”

Que bom seria se os dirigentes do Flamengo tivessem coragem para efetivar Zé Ricardo, acabando com essa situação angustiante de ir “deixando rolar enquanto está indo bem”. É, inclusive, uma postura covarde da cartolagem rubro-negra, que fica ali com seu “trunfo” mesquinho guardado na manga: a eventual substituição do novato por um medalhão, uma saída para amenizar críticas por eventuais maus resultados que possam surgir logo mais. “Não vai nem fica, vai ficando”, como definiu brilhantemente Gian Oddi, ícone do comentarismo ítalo-brasileiro, ao meu lado no sofá do Bate-Bola.

“Técnico o Flamengo faz em casa”. Um clube com a identidade do Rubro-Negro deveria estender o mantra tão propalado da formação de seus craques a quem tem a responsabilidade de comandá-los.

Para quem não sabe, Zé Ricardo tem uma trajetória muito bonita no futebol. Embora tenha jogado futebol de campo apenas no Olaria e no São Cristóvão, foi no futsal que se profissionalizou como atleta. Jogou até os 25 anos, depois iniciou sua formação de treinador, primeiro nas quadras e depois no campo. Professor da Rede Municipal de Ensino, construiu os fundamentos de seu ofício na base flamenguista. Fez um trabalho notável no sub-15, quando chegou a recusar um convite para dirigir a Seleção Brasileira da categoria para seguir na Gávea. Repetiu o sucesso no Sub-20, ganhando a Copa São Paulo de Juniores deste ano, o mais importante torneio de base do país. Após a saída inesperada de Muricy Ramalho, foi alçado à condição de interino.

Neste momento, o Flamengo ocupa a quinta posição do Campeonato Brasileiro, com o mesmo número de pontos do Internacional, mas com um saldo de gols menor. É uma boa colocação, isso tem peso, mas não é o que mais importa. Sua efetivação seria uma indicação de um pensamento mais moderno por parte dos dirigentes.

Zé Ricardo, além de treinador, é um educador. Formou-se para tal, não apenas parou de jogar e arrumou um bico na base de um clube, como reza a escola tradicional de treinadores brasileiros. Aprendeu a lidar com gente a partir das crianças, subindo aos poucos a idade dos seus comandados. Carrega consigo os pilares mais sublimes da Gávea: o futebol bem jogado, a formação de atletas responsáveis, a combinação entre eficiência e arte.

Aos 45 anos, mostra estar pronto para receber essa confiança do clube. Para que retroceder a Abel Braga, Joel Santana, Vanderlei Luxemburgo e afins? Com todo o respeito, essa geração de treinadores boleirões já deu sua contribuição e precisa ser substituída por gente como Zé Ricardo, Fernando Diniz, Tarcísio Pugliese (Ituano), Roger e Maurício Barbieri (Red Bull), entre outros, que podem trazer novo frescor a esse enfadonho futebol brasileiro.

Fonte: ESPN (Maurício Barros)

Veja também

  • Meu Deus tudo é motivo para crise e críticas dessa torcida. A frescuragem com mancuello e cuelar perde força quando o time ganha, então tem que inventar outra coisa para os modinhas soltarem o tradicional “não entendem nada de futebol”.

  • fla já está acertado com o Abel,só sendo isso.

  • Não sou a favor do Zé, ainda continuo achando que ele é promissor mais precisa de rodagem, não gosto de suas preferências, nem da influência que terceiros parecem ter sobre ele(jayme) porém ele tem conseguindo resultados e ontem principalmente foi o único 1×0 convincente dele. Se conseguir manter o nível apesar de não gostar, não vou ter argumentos contra fatos, e todos nós sabemos que fatos superam argumentos, vamos torcer e esperar pra ele conseguir uma estabilidade. Crítico muito as mazelas da diretoria, mas acho que sua não enfetivacao seja um fato positivo, a partir do momento que for efetivado terá uma cobrança igual ele nunca teve na vida, da mídia, torcedores e interna, será que ele está apto para segurar? Uma sequência de episódios negativos e muito mais fácil segurar a onda como um interino do que como um técnico.
    Vamos ver se o Zé Ricardo me cala a boca ( espero que sim kkk) mas não creio que ele ou qualquer outro técnico promissor ( aqui entram Diniz, Eduardo, etc) aguente o turbilhão que se tornará o Flamengo em uma sequência negativa, infelizmente, porém é a realidade, os que apoiam hj vão se cansar.
    Um exercício de reflexão pra terminar: teríamos a paciência que tivemos com o Murici, dps de derrotas, eliminações, etc se ele não fosse o muricy?

  • O que Bandeira está fazendo com ele; é sacanagem. Tem que dar tranquilidade para o cara dirigir a equipe e para isso precisa efetivar de vez. Honestamente, desde 2013 que não via o Flamengo jogando consistente. Ele não só resolveu a parte defensiva como injetou animo no Guerrero. Vide o jogo de ontem.

  • Acredito que mereça um aumento de salário pela copa SP,e por fazer parte da comissão atual. Efetivar ou não, não é problema, se tiver satisfeito e sentir valorizado$$.Pode estar técnico, como o Bandeira diz.Sendo realista,no Brasil todo técnico é interino, só não é o que está desempregado. Todos nós sabemos disso.

  • Zé tem q ser efetivado pelo menos até o final da temporada.

  • Efetivem logo o Jayme… ops. Hahahaha.

  • Engraçado… quando o flamengo ganha o pessoal na mídia pede efetivação. Quando perde, criticam a diretoria por indefinição do novo técnico.
    Tenho certeza que se for efetivado agora, em caso de uma má campanha, o profissional será prejudicado e o flamengo também porque perderá um excelente profissional na base.
    Calma gente… eu acredito que a diretoria está certa em esperar. Quanto ao Zé, ele tem que trabalhar na dele porque é profissional do flamengo e por enquanto ele tá no lucro porque está tendo a oportunidade de mostrar seu trabalho e ainda de quebra, tem seu emprego garantido em caso do flamengo optar por outro treinador.
    SRN

  • Concordo… e se eu fosse o Zé, informava que a partir de agora será técnico profissional… Se o flamengo não quiser, tenho certeza q já tem um América-MG, Ponte preta, Figueirense, de olho nessa promessa!!!

  • Não sei se seria covardia da diretoria do clube. Acho que eles não sabem o que querem e estão completamente perdidos. Enquanto o Zé Ricardo apresentar resultados vai continuar, se começar a perder vão contratar qualquer um sem nenhum critério.

  • Pois é, a Diretoria parece querer tomar a decisão certa, mas também quer guardar o dela, não quer correr riscos. Acho péssimo esse tipo de atitude. Eles estão ali para isso, se propuseram a ser o telhado de vidro da coisa toda.

    Eu acho que na prática falta só aquela sequência de vitórias para isso acabar acontecendo.

    Fico feliz que esteja dando resultado porque torço muito pelo Zé, acompanhei pra valer a trajetória dele no sub-20, desde o inicio, e sei o quanto o cara é bom. Pegou um time destruído, sem moral e transformou em um dos melhores times sub-20 do Brasil, se não o melhor.

    Parte da minha torcida agora também é pelo sucesso do Zé Ricardo.

    • Concordo plenamente com sua opinião Edson, também acho o mesmo.

  • Na vdd, convenhamos ele já está “efetivado”, acho q uma vitória sobre o Small vai fatalmente sacramentar. O Zé faz algumas substituições as vezes q ngm entende, mas ele conseguiu dar uma cara pro time, vem repetindo a mesma base o q é extremamente importante e pelo jeito o elenco ta fechado com ele! O JOGO pra dar uma virada, uma levantada master na moral do time e dele é esse de Domingo!

  • “É, inclusive, uma postura covarde da cartolagem rubro-negra, que fica ali com seu ‘trunfo’ mesquinho guardado na manga: a eventual substituição do novato por um medalhão, uma saída para amenizar críticas por eventuais maus resultados que possam surgir logo mais. ‘Não vai nem fica, vai ficando’, como definiu brilhantemente Gian Oddi. (da espn)”

    Perfeita definição!! A diretoria fica guardando seu “trunfo mesquinho”.
    Depois da vitória com autoridade de ontem, não efetivá-lo é mais que falta de coragem: é falta de vergonha na cara dessa diretoria.

    • Verdade!

Comentários não são permitidos.