Flamengo quer assumir custo para voltar ao Maracanã

O contrato da Rio 2016 para administrar o Maracanã vai até o dia 30 de outubro. O comitê, em nota nesta tarde, avisou que não pretende entregar antes o estádio, mas o Flamengo não perde a esperança de jogar antes deste prazo. O presidente Eduardo Bandeira de Mello disse que o clube pode até assumir os custos de operação do jogo para fazer ao menos a partida contra o Corinthians (23 de outubro) no Maracanã. O Fla-Flu do dia 12 pode ser inviável pela plantação de novo gramado, que pode levar 24 dias para ficar pronto.

– Estamos trabalhando discretamente para antecipar nossa volta ao Maracanã. Não queremos brigar com ninguém. Se queremos ser o gestor do estádio nos próximos 35 anos, temos totais condições de assumir os custos e a operação para usarmos o estádio antes do dia 30 (de outubro) – disse Eduardo Bandeira de Mello.

Apesar da disposição do Flamengo, o comitê não quer alimentar expectativa. O diretor da Rio 2016, Rodrigo Tostes, lembrou que não se trata simplesmente de antecipar o retorno das atividades normais do estádio. Há todo um rito que é preciso obedecer – que vai desde laudo de vistoria de entrega, com diversos itens, até a desmontagem de equipamentos e prestação de contas para devolvê-lo à concessionária Odebrecht e ao estado do Rio, poder concedente do Maracanã. Ex-vice-presidente de finanças do Flamengo na primeira gestão de Bandeira, Tostes, que apoiou o candidato Wallim Vasconcellos na última eleição, diz que não há como falar em negociação agora. Mas diz que se for possível antecipar a entrega o fará.

– Hoje, não temos negociação nenhuma. Temos prazo de desmobilização para obedecer, temos que fazer auditoria. Se lá na frente entendermos que é possível antecipar isso, podemos entregar antes. Não queremos ficar com o estádio sem ter necessidade – afirmou Tostes.

O executivo da Rio 2016 explicou que o gramado que será plantado é bem diferente daquele que atendeu os jogos de futebol na olimpíada. Era um tipo de grama com prazo de curta duração. Por isso foi possível a realização de jogos de futebol no estádio poucos dias depois da cerimônia de abertura. A grama que será plantada após a paralimpíada é a que já existia no Maracanã antes dos Jogos – de durabilidade de anos. Esse e outros detalhes podem inviabilizar o retorno do equipamento esportivo antes do tempo previsto em contrato.

– Não é questão de assumir os custos. E se ficar um buraco na arquibancada, quem vai arcar? O Flamengo também? Então, não é simples assim. Queremos e vamos entregar o Maracanã da mesma forma que recebemos. Para que depois da entrega não tenhamos qualquer tipo de ônus, qualquer sanção. Não dá para avaliar agora – afirmou.

Durante o estadual, a Ferj negociou com a prefeitura, o governo do estado e com a Rio 2016 para que as finais fossem realizadas no Maracanã. O custo de operação caiu de quase R$ 900 mil para R$ 543 mil, de acordo com o borderô divulgado no site da Ferj.

Ao lado do Fluminense, o Flamengo já manifestou interesse em assumir administração do Maracanã caso a devolução da Odebrecht se confirme – e haja novo edital de licitação. Os clubes divergem na gestão compartilhada. O clube da Gávea acenou com exploração comercial de 65% do estádio fora das partidas, com o restante nas mãos tricolores, que não gostou das primeiras conversas.

Fonte: GE

Veja também

  • Bota a Ferjinha para administrar…já provaram que podem diminuir os custos, conforme os números das finais do carioquinha.
    SRN

  • Tomara q fiquemos com o maracanã, esse negócio de fazer estádio próprio é só p ficar igual ao curintians q tem q ficar vendendo todo mundo pra pagar o fiadão com juros e nem bota a mão num real dos ingressos vendidos, vai tudo pro itaquerão(são Januário mais ajeitadinho). Sem falar q o flamengo não pode se apequenar como a palmeiras e etc com porra de 40mil lugares q é pouco demais pro mais querido. #omaraca ehnosso

  • Parceria tricolete é mais falsa que nota de 3 reais. Os caras não cumprem nada do que falam. Maracanã não se sustenta sem o Flamengo. Na vdd, nada no mundo do futebol brasileiro se sustenta sem o Flamengo. Eles vão abrir mão disso e entregarão para o Flamengo mas saber se conseguiremos arcar com os custos todo mês é complicado. Mas daria muita visibilidade e aumentaria a qntd de ST´s. Seria equivalente ao salário pago para um jogador todo mês. E não seria qlqr jogador.

  • Parei no “queremos ser o gestor do estádio nos próximos 35 anos”. Lamentável!

  • Custo da administração do Maraca…se tem como arcar, não vejo problemas. Cabeça fria…se demorar um pouco mais, paciência. Leva para Cariacica, qual o problema? Na questão da gestão sim, tem que jogar duro. O Fluminense sempre vai criar caso quando for grana. O Fla tem que entrar é só nessa, sem precisar de ninguém. O Fluminense já abriu as pernas para a FERJ, alegando necessidade financeira. Não me convenceu muito. Nunca vi com bons olhos essa “aproximação”. Sempre tiveram inveja do Fla, aliás todos tem. De toda forma o Fla tem que ter sua casa, pois, isso é de fundamental importância para o futuro do clube.
    *lembrando que o Fluminense, tem contrato com o consórcio, e vai usar isso para pressionar o Fla, mas com a saída da Odebrecht, o Fluminense que se entenda com eles. Acho que é isso…o Fla tem que ficar esperto nessa.

    • O contrato só tem q ser cumprido (por parte do Flamengo) se o Flamengo assumir no lugar da Odebrecht, mas com a Odebrecht ainda sendo a empresa administradora (no papel)… Se ela entrega e o Flamengo assume n tem mais nada em relação ao Flor…

      Acho que essa diretoria tem condições de assumir o Maracanã sozinha… n sei as próximas se tb terão…

      Estar sozinho pode n ser bom… é menos um pra dividir os gastos e pode passar de aliado politico para inimigo o q n é bom…

      Mas espero que o Flamengo pegue… e que seja um bom negocio…

  • Bom, se é o Tostes o cara responsável por isso, então tô tranquilo, porque não imagino ele agindo de outro modo do que agilizando ao máximo, em nome do Flamengo, a volta do time ao maraca.

  • O custo do Maracanã é altíssimo, mas como eles tem credibilidade não vou ficar preocupado. Por enquanto.

    • Ainda assim, NÃO abriria mão de um estádio particular, de preferência de pequeno porte (25 ~ 30mil). Para jogos de menor expressão, CERTAMENTE o Maracanã não será viável financeiramente… &;-D

  • Inadmissível fazer o jogo contra os gambás fedorentos de Itaquera sem ser no maracanã! Inaceitável! Os outros jogos eu até aceito fazer em outras praças e se possível Cariacica, mas contra os matadores de crianças bolivianas eu quero quebra-los em pleno maracanã, devolvendo não só os 4×0 dando um olé e um show de bola!

  • Tomara que seja sozinho, sem esse de parceiro tricolete

  • Agora vamos ver…..não serão 6 dias que irão atrapalhar e sim a vontade política…

  • Tostes meu fi, olha o Lema: TUDO PELO FLAMENGO, NADA DO FLAMENGO!!

    SRN

    • Ele está na condição de funcionário executivo da Rio 2016. Não deve ser fácil mas ele precisa separar as coisas. Provavelmente ele vai ajudar mas se imprensa ficar notificando o próprio comitê ou governo vai chamar atenção dele. O que profissionalmente será muito ruim para carreira dele.

      • Realmente, acho q comentei com o fígado! Vlws Adriano. SRN

Comentários não são permitidos.