Nova comissão quer mudar sorteio e permitirá retirar árbitro das escalas

Sem pressão, com trabalho em equipe e sem descartar o que foi feito até agora. Marcos Cabral Marinho de Moura, o Coronel Marinho, assumiu a Comissão Nacional de Arbitragem da CBF com um discurso político, mas pretende implantar mudanças. A primeira e mais imediata deve atingir o sorteio de árbitros. Seu antecessor, Sérgio Corrêa da Silva, implantou neste ano um rodízio na escala das competições nacionais com o intuito de dar mais experiências a árbitros novos e foi criticado por dirigentes e jogadores. Para o Coronel Marinho, isso deve ser modificado.

– (Processo do sorteio) Vai ser reavaliado, estamos estudando, discutindo. Não é fácil montar escala de sorteio, existe série de fatores que estamos discutindo. Estamos estudando melhor forma de atender árbitros, interesses da competição. Agora temos que ter muito cuidado de escolher árbitros que vão para sorteio. Temos bons árbitros, pelo menos 20 árbitros que podem ir para qualquer jogo. Temos que ser receptivos a isso, se insistirmos com algo que não está dando certo, não é bom – avaliou Marinho.

O novo comandante da arbitragem nacional é Tenente-Coronel da Reserva da Polícia Militar de São Paulo e comandou o quadro dos árbitros da Federação Paulista de Futebol entre outubro de 2005 e janeiro deste ano e lá ganhou a confiança de Marco Polo del Nero, atual presidente da CBF e ex-mandatário da FPF. Ele deixou a entidade após um erro em uma escala da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Junto com ele, chegam também à comissão os ex-árbitros Alício Pena Júnior, que será vice-presidente, Cláudio Cerdeira e Ana Paula Oliveira. Todos concordam com as mudanças no processo do sorteio.

– Era complicado. Fatalmente a gente vai mudar essa questão do sorteio, não adianta ficar como está. Não vai melhorar, não vai resolver nada. O objetivo maior é fazer com que arbitragem não cometa erros que influam no vencedor da partida – opinou Cláudio Cerdeira.

O sorteio é previsto pelo Estatuto do Torcedor e é utilizado desde 2003, primeiro ano de vigência da lei. Para Marinho, o modelo não é o ideal. No entanto, não há previsão de alteração na legislação. Outra novidade será a possibilidade de mudança na escala do árbitro um dia antes das partida

Fonte: Globo Esporte

  • Ana Paula Oliveira??? Continua gata. Procurem no google pela playboy dela! 🙂

Comentários não são permitidos.