Alan Patrick se despede do Fla: ”Quem sabe não volte um dia”

A vontade era a de permanecer mais tempo no Flamengo. Mas apenas querer não adiantou. Depois de um ano e meio defendendo a camisa rubro-negra, Alan Patrick agora se prepara para a reapresentação no Shaktar, da Ucrânia, clube com quem tem contrato por dois anos. Com 76 jogos disputados pelo clube desde junho de 2015, quando veio por empréstimo, ele faz um balanço positivo da trajetória. Mesmo sem ter conseguido um título, celebra o carinho e a boa adaptação que teve. E não descarta um retorno para, quem sabe, ganhar o esperado caneco pela equipe.

Antes de embarcar, no entanto, ele vai se despedindo do Rio e dos amigos que fez. Além disso, o meia teve que passar por uma cirurgia de desvio de septo e amígdalas. O procedimento ocorreu nesta semana e se trata de algo simples, que não atrapalha seus planos de descansar até o retorno ao time ucraniano. Veja a entrevista com Alan Patrick antes de viajar para a Europa:

Um balanço do período no Flamengo
Acho que é um balanço positivo. Me adaptei com rapidez, conquistei o carinho dessa torcida incrível, fiz gols importantes, enfim, acho que foi uma boa passagem. Dei meu máximo para que fosse o melhor possível durante todo o tempo.

Melhor e pior momento
Difícil escolher momentos específicos, são muitos. Mas acho que o gol contra o Cruzeiro de voleio e o contra o Palmeiras este ano, na casa deles, pelo peso do jogo, foram dois momentos especiais. O pior talvez tenha sido a eliminação no Carioca, no primeiro semestre.

Despedida sem título
Apesar de ter tido bons momentos, o título é o que marca né? Mas quem sabe eu não volte um dia…

Como foi se despedir dos colegas e não poder ficar para a Libertadores
Fiz muitos amigos aqui. Caras que levarei para sempre na minha vida. Como em qualquer ocasião, a despedida não foi fácil. Eu sou um cara tranquilo com relação a esse tipo de coisa, mas confesso que foi dolorido. Vou sentir muitas saudades.

Adaptação nova na Ucrânia
É complicado, mas eu já sei como funciona. Além disso, volto muito mais experiente do que na primeira vez. Como eu disse, não é fácil, mas eu já conheço o ambiente e tenho certeza que me adaptarei bem novamente.

Fonte: GE

Veja também

  • Tchau, cachaça!! Vá e não volte nunca mais!!

  • Jogador preguiçoso, sem espírito de vencedor, lento, chupa sangue, sem raça, sem compromisso e é menos um em campo! Foi um meião de treino que o Flamengo se livrou, pense num pereba ruim de bola esse Alan Preguiça, desde sua chegada o time parece que tem 2 jogadores a menos quando ele entrava em campo!

  • Será bem-vindo, se um dia voltar (à despeito de alguns comentários negativos e degradantes feitos e a serem feitos aqui, por torcedores típicamente frustrados e com idéias medíocres acerca da honra, boa vontade e gratidão)… &;-D

    • Deve ser o espírito natalino. Único ponto que eu concordo contigo.

  • Coma alcoólico?

    • Pensei o mesmo quando vi a foto.

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Deitadão, sem precisar levantar pra nada… ele deve estar bem feliz nessa foto.

    • Claro, ganhava assim, sem esforço e compromisso 0!

  • Pensei q estava tomando glicose kkkkkkk

    Valeu por tudo Allambique

    • kkkkkkkkkkkkkkk

  • 25 anos com aspecto de 38, só se acabando na cachaça.

    Precisa voltar não.

Comentários não são permitidos.