Leia na íntegra o bate-papo exclusivo com Rodrigo Caetano

Fomos ao CT George Helal, o Ninho do Urubu, para um bate-papo exclusivo e super descontraído com Rodrigo Caetano, diretor executivo de futebol do Flamengo. Confira, na íntegra, a conversa, na qual falamos de elenco, contratações e muito mais!

TV Coluna: Rodrigo, a gestão Bandeira de Mello sempre teve o sonho de contar com seu trabalho, com sua figura dentro do Clube. Você chegou no final de 2014 e nós queremos saber de você é o que você imaginava que encontraria no Clube e o que, de fato, você encontrou ao chegar aqui?

Rodrigo: Não era só um desejo do Clube, foi um desejo pessoal meu também. Isso não resta nenhuma dúvida. Você trabalhar no Clube com maior torcida no Brasil tem seus ônus e seus bônus. Era um desafio que, para minha carreira ficar completa, tinha que acontecer. Eu só não espero que ela seja uma passagem breve, que a gente possa ter continuidade, possa ter resultados esportivos além de todos os resultados administrativos e de gestão que a gente vem obtendo. Naquela época, já em dezembro de 2014 para início de 2015, o Flamengo ainda seguia na necessidade de diminuir custos, despesas, elenco para que depois pudesse dar este salto de qualidade e esse investimento que vem acontecendo agora. Meus colegas que aqui passaram, meus antecessores, como também os técnicos tiverem esse sofrimento por conta daquele período que o Flamengo precisava cumprir. Tiverem todos eles um trabalho fundamental na preparação do Flamengo. O clube que encontra numa situação bem mais sólida de quando eu cheguei, a nível de estrutura física. A nível de recuperação no mercado. Hoje os atletas tem orgulho de virem ao Flamengo. E também na consolidação nas práticas de gestão. O Flamengo é modelo para outros clubes do Brasil.

TV Coluna: Você falou um pouco sobre o início complicado no Flamengo. A tal da engenharia financeira que precisava ser feita. Até hoje, tirando a atual temporada, qual foi a contratação mais complicada?

Rodrigo: A maioria das contratações foram de atletas no final do vínculo ou alguma forma de pagamento que permitisse que o Flamengo cumprisse o acordo. Nós ainda não temos condições de chegar em um time e pagar a vista o que o outro Clube deseja. Através dessa credibilidade, foi permitido ao Flamengo alguns investimentos. Nesses dois anos e pouco que estou aqui, acredito que, sem sombra de dúvidas, o jogador que mais exigiu criatividade foi o Paolo Guerrero, que estava encerrando o contrato com o Corinthians. Não era fácil competir com eles. O Diego também exigiu isso.

TV Coluna: O Rodrigo citou a contratação de Guerrero e Diego, dois craques deste atual elenco, e o Flamengo não pagou nenhum centavo na aquisição destes jogadores. Hoje o Flamengo tem um time muito bom, talvez esteja acima do time do Palmeiras. Você conseguiu montar um time melhor que o do atual campeão sem gastar nenhum centavo. O Rômulo veio gratuitamente, o Conca o Flamengo só vai pagar uma parte do salário…

Rodrigo: O Trauco também veio com um tempo término de contrato, do Universitário. E claro, a aquisição que fizemos do Berrío, mas foi uma situação na qual a condição de pagamento que viabilizou. Quando citamos o Paolo Guerrero e o Diego, você não tem que fazer aquisição direto com um Clube. A necessidade de você fazer um investimento acaba que você consegue ao longo do contrato diluir esse custo dele, e isso viabiliza. Nós não gostamos de comparar, mas o Flamengo tá fazendo através do seu modelo. A gente tem um orçamento e somos rigorosamente fiscalizados e a gente vem cumprindo justamento para que o Flamengo, em momento nenhum, tenha um gargalo de ter que atrasar salários e seus fornecedores. Isso não é a pratica da atual gestão e temos que seguir isso à risca. Muitas vezes somos mal interpretados. As vezes dizem que acabamos demorando uma negociação ou outro, mas isso também faz parte da estratégia.

TV Coluna: Rodrigo, hoje você é o grande responsável por montar o melhor time do Flamengo nos últimos 30 anos, 25 anos. Durante muito tempo o Flamengo não tinha um time tão bom. O Fla tem hoje no elenco seis ou sete grandes potenciais a ídolos. Podemos citar Guerrero, Diego, Mancuello, Conca… É uma lista muito grande. O Flamengo conseguiu reunir um grande número de jogadores com esse potencial no mesmo elenco. Dá um frio na barriga pensar que você pode ser um dos grandes responsáveis por montar um time que pode ser campeão da Libertadores?

Rodrigo: Te agradeço pelas palavras e agradeço todos os torcedores que conhecem. Eu não me vejo como protagonista e não vejo nem no bônus e nem no ônus. Em futebol, muitas vezes, se caracteriza por personalizar determinadas coisas. Jogam em cima do técnico, do diretor de futebol, muitas vezes, o mérito e o demérito. Aqui fazemos um trabalho em equipe, acima de mim e todos os dirigentes e VPs que passaram pelo departamento de futebol. As demais áreas fazem parte desses conceitos e do sucesso e também quando tiver o insucesso. Nossa expectativa, é de fazer o Flamengo crescer ano a ano, mês a mês, dentro e fora de campo. Essa é nosso molde em relação a isso. Ao se projetar isso, só vai ter sucesso se for uma equipe. Não existe um responsável nessa montagem de elenco. Eu apenas sigo as diretrizes do Clube. Acato o que temos de recurso e dentro tentamos fazer o melhor possível. Tanto pra trazer, quando pra tirar determinados atletas.

TV Coluna: Em relação ao planejamento de 2017, tem muita gente falando que é erro de planejamento do Flamengo ter contratado um número de estrangeiro acima do limite que você pode realizar em competições nacionais. O que você tem a dizer sobre isso?

Rodrigo: É muita pretensão da minha parte imaginar que não teria crítica. Sempre vai ser assim, não tenho a menor dúvida. Talvez se não tivéssemos trazidos, diriam que tínhamos perdido boas oportunidades. Pretendo agradar a maioria. A maioria representa toda a Nação rubro-negra. O que aconteceu foi que nas posições que precisávamos, a falta de boas opções no mercado nacional, nos fez migrar pro mercado Sul-Americano. Costumo dizer que, dos sete jogadores que temos aqui, somente o Donatti, em algum momento, não passou pela seleção do seu país. Será que nós conseguiríamos contratar jogadores que passaram pela seleção brasileira? Todos estes jogadores tem mercado suficiente para, no caso que entendermos que isso possa trazer prejuízo, nós possamos colocar no mercado novamente. A intensão é buscar um jogador mais qualificado possível para sua posição.

TV Coluna: Dentro do tema das questão dos estrangeiros, se fala do Conca. Quando ele estava no Fluminense, falavam que ele iria tirar a nacionalização, assim como o Guerrero. Assim deixariam de contar como estrangeiro. Isso realmente existe?

Rodrigo: Não é simples. Não adianta criarmos uma expectativa neste sentido. É pouco provável que isso ocorra. Talvez no caso do Conca até fosse um pouco mais viável. No caso do Paolo e dos demais, eles atuam na Seleção do seu país. Não que isso vá implicar em algo, mas, querendo ou não eles tem uma identificação muito grande com seu país. É uma coisa que nós, Flamengo, não podemos impor. Não podemos entrar nesse mérito pois é uma questão muito pessoal. Nós queremos contar com todos eles. O Zé Ricardo vai fazer as melhores escolhas.

TV Coluna: Rodrigo, sobre o Réver. É um jogador que chegou e assumiu a braçadeira. É um líder nato e já conquistou grande parte da torcida e a tendência é que conquiste ainda mais. Vocês tem o objetivo de renovar com ele? Dentro deste mesmo esquema tem o Leandro Damião.

Rodrigo: O Réver é o mais próximo. O contrato termina no final de junho. Damião em agosto. Do mesmo jeito que o Everton era até final do ano, assim como o Gabriel. Renovamos dos dois. A manutenção daquele que aqui estão é o nosso desejo. O Réver não é diferente. Trouxemos numa condição espetacular. Realmente foi uma ótima oportunidade e hoje ele é totalmente identificado pelo Clube. Não passa pela cabeça do Réver não permanecer no Flamengo. A gente vem conversando com o Internacional. Não é uma operação simples, mas não é muito complexa. Temos uma relação muito boa com o Internacional e a gente tem uma expectativa grande. O Damião vai ser um pouco mais a frente porque e volve grupos de investidores. Há interesse do Flamengo em permanecer com todos aqueles que aqui estão.

TV Coluna: Como você enxerga o grupo do Flamengo? É um grupo que vemos toda hora nas redes sociais que estão juntos. Eles brincam juntos sempre. Você que vive isso diariamente, como enxerga isso?

Rodrigo: Hoje isso é, talvez, o motivo de maior orgulho para todos nós. Nem atleta, nem profissional, nem o treinador, nem ninguém quer sair daqui. Todos se sentem num clube que hoje valoriza o profissional e o ser humano. Nós conseguimos construir atletas de muito bom nível cognitivo. Os grupos gostam de estar juntos. Viajamos o ano inteiro e só tivemos um problema de indisciplina no elenco. Aqueles que chegam, já chegam sabendo como funciona aqui dentro. Há aqueles que não tem esse mesmo perfil. Ou não permanecem, ou nem chega ao Flamengo. Conseguimos mapear tudo isso. Hoje há um prazer entre os funcionários de estarmos juntos, todos os dias. Temos uma boa ferramenta de trabalho.

TV Coluna: Temos uma brincadeira para propor à você: Numa escala de zero à Zico, sendo Zico o máximo, que nota você daria para o Eduardo Bandeira de Mello?

Rodrigo: Não podia ser diferente. É o líder de todos nós. É óbvio que a camisa do Zico, número 10, é a nota que ele merece. Não é fácil um presidente ser alvo de tantas críticas em relação ao futebol, falando que no futebol o resultado não veio e talvez eu tenha sido mal interpretado quando eu disse que, a pesar de não ter ganhado títulos em campo, se orgulha de ver seu Clube de forma consistente na disputa de todas as competições. Ser respeitado no mercado. O torcedor se orgulha em usar a camisa, porque, por trás de toda história, hoje ele se orgulha de dizer ‘Meu Clube é um Clube sério. É um Clube que honra.”

TV Coluna: Rodrigo, e qual nota você dá pro Mozer? Se der, explica pra gente como funciona o trabalho dele. Qual a função dele dentro do Flamengo?

Rodrigo: O Mozer foi uma grata surpresa que pra mim, realmente eu não conhecia. Conhecia como atleta e ídolo de todos nós. A figura humana dele agregou muito. Ele faz algumas funções como gerente de futebol, mas muito também como coordenador técnico, auxiliando a comissão técnica. Consegue dar um pouco mais de tempo, justamente para focar nas questões que são mais relevantes. É uma figura humana que agrega muito. Uma surpresa muito positiva com uma identificação enorme com o Clube. Acho que todos aqui, hoje, tem ele em alta conta porque não é apenas um ídolo do Clube. Ele tem conteúdo. Foi técnico lá em Portugal e conhece das questões táticas e colabora demais com o Zé e com o Jayme. Tem colaborado demais com todos nós.

TV Coluna: Zé Ricardo. O que ele representa pro Flamengo. Como é o Zé na visão do Rodrigo Caetano?

Rodrigo: Vocês me deram só barbadas. Só 10 mesmo. A produção de vocês ajudou. O Zé tem uma percepção mais aguçada. O nível de entendimento dele evoluiu muito. Ele exige que o técnico tenha conteúdo, metodologia e treinamento. A liderança por grito não funciona mais. É importante saber liderar, e isso o Zé sabe fazer do jeito dele. É um cara muito preciso nas suas intervenções. Se posiciona sempre que precisa. Nós temos uma equipe que dá essa sustentação a ele. É um cara que tem muito conhecimento, tem uma metodologia de treinamento que facilita muito nossas semanas de trabalho. É um cara muito preparado, além de ser uma figura humana exemplar. Unimos peças que, juntas, tornam o Flamengo forte. O Zé é uma delas.

TV Coluna: A próxima brincadeira é que você escolha entre uma coisa ou outra. É uma discussão que é pauta em grupos de WhatsApp e redes sociais. Nós queremos ouvir sua opinião em relação a isso. Se você pudesse escolher entre ESTÁDIO PRÓPRIO, ou MARACANÃ, qual você iria?

Rodrigo: É uma escolha difícil. Eu gostaria de contar com os dois. O Maracanã tem um significado muito grande para o Flamengo. Você contar com o Maracanã é um aliado a mais. Ano passado, todos interpretaram que o Maracanã não fez bem ao Flamengo. Isso é um absurdo. Na verdade, nós tivemos condições de jogar no Maracanã numa reta final, onde já existia um nível de desgaste absurdo. As equipes que vieram jogar contra o Flamengo, vieram com o propósito de impedir as vitórias. Se pudéssemos contar com o Maracanã e com um estádio próprio, seria um modelo ideal para o Flamengo. Talvez o nosso estádio próprio possa ser o Maracanã. Acho que daí, eliminaria qualquer discussão.

TV Coluna: Se você pudesse escolher hoje, entre o Bi da Liberta ou o Hepta Brasileiro, qual você escolheria?

Rodrigo: Muito difícil. Queremos os dois. Sempre os dois. São competições distintas, esse ano eles tem uma característica de, sua reta final, serem mais ou menos no mesmo período e, imagina que privilégio, chegando lá, ter que optar por um ou por outro. É uma escolha dificílima. Mas isso ainda está no campo dos sonhos. A Libertadores, na primeira fase, para nós já significa um mata-mata pelos nossos adversários. Cada jogo será uma decisão. Depois são jogos de 180 minutos. Tudo pode acontecer. Vamos tentar se adaptar nas duas competições, mas seria um sonho se pudéssemos chegar no final das duas.

TV Coluna: Rodrigo, deixa seu recado para os torcedores que nos assistem.

Rodrigo: Aproveitando que o torcedor que nos assiste, que nos ouve, tenha nítida noção que, no Flamengo de hoje, existe um comprometimento muito grande em todas as áreas e todos os profissionais. Aquilo que vocês mais cobram, que é comprometimento e entrega, isso não faltará no jogo e no treinamento. E por tudo isso é que a gente também tem a esperança, assim como todos vocês, que teremos dias felizes pela frente. Talvez não na velocidade que desejamos. O caminho que estamos percorrendo é o  melhor possível para atingir isso. Queremos agradecer o carinho daqueles que apoiam nosso trabalho e reconhecem que a gente vem fazendo.

Se inscreva no canal TV Coluna do Flamengo CLICANDO AQUI!

Veja também

  • Faltou uma pergunta ,se realmente iriam aproveitar a base…pq até agora pelo que vejo vai ser pouco provável isso acontecer!!
    Nada do Flamengo..tudo pelo Flamengo
    SRN

  • Chega dá uma vertigem aqui de concordar com o Ednei, mas dessa vez é válido.

    Pra mim, trabalhos beirando o 100% dão títulos. Trabalhos bem feitos fazem você disputá-los de igual pra igual.

    Cuca ano passado passou longe de ser perfeito, mas foi um trabalho bem feito. Uma soma de fatores fizeram o Palmeiras campeão: Gabriel Jesus, brilho de jogadores que foram contratados para compor elenco (Tche Tche e Moisés), um bom poder financeiro, sorte (sim, sorte também, sempre é preciso), e etc.

    Então, é sempre preciso planejamento, sempre.

  • Só tenho a lamentar a forma que conduziram a entrevista. Sinceramente, é triste a nova geração de torcedores do Mengão. Não cobramos nada. Esquecem que fomos eliminados vergonhosamente de quase todos as competições em 2016, com exceção do Brasileiro. Ficamos em terceiro lugar e o número de pontos feitos é apenas estatística e não leva em conta a fraqueza técnica dos outros times e do Brasileirão 2016. Apoio a gestão Bandeira de Melo mas, no que concerne ao futebol, acho que erraram muito. E grande parcela de culpa é do Rodrigo Caetano. Elogiosa demais a entrevista. cadê a imparcialidade?

    • Temos um bom time apenas. E temos fragilidades.

    • Vc sabe que tem basicamente 30 anos que nao ganhamos nada né? Ou seja, fracasso esportivo nao é un problema apenas desta gestao.

      • Apesar do campeonato brasileiro de 2009, há tempos o Fla não vai bem nas competições. Nuca foi tão fácil ganhar um título como o de 2016. Com um pouquinho mais de criatividade e arrojo poderíamos ter vencido. No que tange ao futebol, sou bastante cético com a gestão Bandeira de Melo. Erra muito. Há quanto tempo o Rodrigo Caetano não faz um bom trabalho. Não posso aceitar a parcialidade demonstrada pela coluna. Só puxou o saco.

        • E os torcedores falam na base como fosse a solução a curto prazo, o que não é, simplesmente pela falta de qualidade. Estão tentando melhorar a seleção e formação de jogadores, isto é fato, porém leva tempo. Temos o Vizeu e o garoto da sub17 que pode estourar.

        • fracasso esportivo nao é um problema apenas desta gestão.
          Precisamos e carecemos de resultados esportivos,

        • 2016 não era tão fácil. O Palmeiras alcançou um número de pontos que poucos conseguiram em muitos anos. Além disso o técnico assumiu com o campeonato em andamento e tirou leite de pedra, não dava pra exigir mais. Sobre erros todo mundo erra, muito ja é exagero, pois se olhar o que o Fla era antes e o que ele é agora qualquer um fica impressionado. Sim so faltam os títulos, más tb quando começarem a chegar não vão parar mais.

          • Não estou olhando o Balanco Patrimonial do clube. neste aspecto. a gestão foi boa. No futebol, sou descrente. o Fla precisa de um zagueiro e mais um jogador pela beirada. Vou torcer como um louco. Talvez, esteja mal acostumado, por ter visto tantos timaços do Fla. E como era mole detonar os paulistas,

          • E não acho o nosso técnico confiável.
            A atual gestão ensinou aos futuros gestores muita coisa, em especial, como pagar emprestímos com novos emprestímos. Só que com condições de correção, juros e amortização melhores.
            TRocar dívidas antigas por novas em condições mais vantajosas.

  • O Flamengo está no caminho certo. Crescendo com sustentabilidade financeira. Se continuarmos assim em um futuro próximo compraremos todos os melhores jogadores e as revelações da América do Sul e ainda revelaremos jóias na base. Compraremos o Maracanã do Estado e ainda faremos um estádio na Gávea.

  • Eu sou um dos que mais questiona algumas contratações/renovações mas tenho que dar o braço a torcer que, entre acertos e erros, o Caetano teve muito mais acertos. Parabéns pelo trabalho no Flamengo e parabéns à coluna pela entrevista. Isso sim é conteúdo. Espero que tenha mais artigos e entrevistas como essa é menos notícias fakes e/ou atrasadas de sites sem a menor credibilidade.

  • Sem títulos as palavras desse cara parece um barulho de descarga só sai merda!
    O que a torcida quer e vitorIa e título seu merda!

    • QUER TITULOS PRIMEIRO MOSTRE O SEU SE ASSOCIE AO ST , E PARE DE RECLAMAR.

      • Da dinheiro voce seu otario.
        Pagar salario de Gabriel, MA, Guerrero essa perebada braba.
        Flamengo é muito mais que esse Banana de Melo.
        Vou continuar me manifestando em relação a minha insatisfação com a f

    • Amigo, como eu disse antes não concordo com tudo do Caetano mas no geral o trabalho dele tá sendo bom. Lembro no início da gestão que eles falaram que queriam fazer um trabalho consistente, de maneira que estivessem sempre disputando nas cabeças todos os anos e com isso os títulos viriam naturalmente. Precisamos confiar. Vc pode não concordar com tudo que tá sendo feito mas vc não acha que o Flamengo tá no caminho certo para os títulos? O time vem amadurendo, comissão técnica tbm e o próprio departamento de futebol idem. Eu acho que devemos dar um voto de confiança. Veja as contratações desse ano, achei as melhores que o Mengão já fez, no quesito necessidade. Já que o Zé não via o Cuellar como 1o volante e o Márcio Araújo tinha suas limitações ele trouxe Rômulo pra torcida. Perdemos Jorge que foi prontamente substituído por Trauco e Renê. Conca numa excelente oportunidade de mercado. E Berrio pois joga do jeito que o Zé gosta. Enfim, acho que no geral ele tá indo bem. Podemos não concordar com tudo mas acho que merece um voto de confiança.

    • titulo sem estrutura e dificil irmão chega de ganhar carioca e se contentar

      • Nem carioca ganha mais. Pelo contrario vem tomando e porrada direto.
        Quero ver se esses merdas vão ganhar do botafogo hoje.
        Ganhar o Carioca é obrigação.
        Em qualquer gestão a eficiencia tem que vir com a eficacia, senão o trabalho não pode ser considerado bom.
        Tem que aumentar a sala de trofeus, do contrario são incompetentes.
        Lembra da Varig morreu tendo o melhor serviço, se não gerar “lucro” (titulos)vai pro sal.

        • Não sei se ganha o carioca e não é obrigação, pois a FERJ vai fazer alguma coisa para prejudicar o Flamengo. Já viu que o Botafogo ta querendo adiar a partida de hoje?
          Se a partida for adiada aposto que vão remarcar para uma data ruim para o Flamengo.

          • Gestão bandeira de Merda! Não ganha porra nenhuma!

        • Obrigaçao de g anhar o carioca é o k7. Ganhamos estas merda a anos e nunca significou ter un bom time. Obrigaçao sao títulos de expressao, que tem que começar agora que nos organizamos financeiramente.

  • O que a diretoria não contava era o fortalecimento financeiro do Palmeiras injetados pelo Paulo Nobre e a Crefisa. Se não fosse o Paulo Nobre e a Crefisa o Flamengo teria atualmente o melhor elenco disparado.
    Nosso crescimento é sustentável e a do Palmeiras não. Quando a Crefisa sair e não tiver mais ajuda do Paulo Nobre acabou o Palmeiras como na época da Parmalat.

  • Realmente o Caetano foi muito objetivo é competente na montagem do elenco , para quem contrata porque renovar com Gabriel e caramujo , fica a dica nosso elenco é o melhor do Brasil sem gastar muito parem de reclamar vcs sempre acham alguma coisa coisa pra ficar enchendo o saco primeiro Walace , depois PV , aí o caramujo e agora o Gabriel vcs deveriam parar de procurar problemas em tudo .

    • “Péla Saquismo” Rubro Negro no último !!!!

      • Vc representa o brasileiro no último grau , não sabe ver competência em nada , imediatismo e o seu lema estilo tampar o sol com peneira . QUER UM TITULO AGORA SE ASSOCIE AS ST E PARE DE RECLAMAR.

        • TÁ MALUCO ????????

          ESTOU LHE APOIANDO !!!!!

          O Péla Saquismo é dos que RECLAMAM E VÊEM PROBLEMA EM TUDO !!!!

          Parece que nunca leu um comentário meu aqui…

          Vivo discutindo com esse tipo de pessoas aqui…

          Tá perdoado…

          Saudações.

  • Faltou perguntar o pq de renovar com Gabriel, que ja demonstrou ser fraco físico e tecnicamente, e consequentemente tirar espaço de um jogador da base.

    • Tem visto os jogos da Seleção Sub-20 ???

      • Falou tudo!
        Sem falar que a turma pró-base quando o pobre do garoto fracassa inventa mil argumentos estapafúrdios, agressivos ou… Simplesmente desaparece! he he he…
        Um exemplo máximo foi o Matheus. Não vou bancar o advogado do Cape..EPA! do Luxa, mas aquela substituição foi/seria “aquilo que a torcida queria”. Deu no que deu…

      • Achei o técnico muito fraco tbm. Achei vários jogadores fracos tbm mas talvez um bom técnico pudesse aproveitar eles melhor.

        • Tranquilo…
          Mas HOJE o Flamengo PRECISA URGENTE de ganhar TÍTULOS !!!!
          Precisamos treinar e entrosar novos jogadores que chegaram aos que já estavam e ENSAIAR EXAUSTIVAMENTE novas maneiras de jogar além da já conhecida BASE DE JOGO do ano passado…

          Grande abraço !!!

  • “” Zé Ricardo. O que ele representa pro Flamengo. Como é o Zé na visão do Rodrigo Caetano?

    Rodrigo: Vocês me deram só barbadas. Só 10 mesmo. A produção de vocês ajudou. O Zé tem uma percepção mais aguçada. O nível de entendimento dele evoluiu muito. Ele exige que o técnico tenha conteúdo, metodologia e treinamento. A liderança por grito não funciona mais. É importante saber liderar, e isso o Zé sabe fazer do jeito dele. É um cara muito preciso nas suas intervenções. Se posiciona sempre que precisa. Nós temos uma equipe que dá essa sustentação a ele. É um cara que tem muito conhecimento, tem uma metodologia de treinamento que facilita muito nossas semanas de trabalho. É um cara muito preparado, além de ser uma figura humana exemplar. Unimos peças que, juntas, tornam o Flamengo forte. O Zé é uma delas.””

  • Vim aqui na esperança de ouvir alguma posição com relação ao dilema “maturação da Base vs priorização de Títulos” e saio frustrado.

    • Acredito que num clube do tamanho do Flamengo os títulos sempre tem que ser priorizados e a gestão do Bandeira precisa muito de uma conquista importante no futebol.
      Porém, a base tem que ter espaço. Hoje temos jogadores promissores no elenco e acredito que só de treinarem no elenco profissional jogando contra jogadores do nível do Rever, Rômulo, Diego, Guerrero, entre outros, já vai dar uma bagagem interessante à eles, mas sei que é diferente do que jogar partidas oficiais.
      Acredito que o planejamento feito pra base é à médio e longo prazo, a ideia é que a cada ano o elenco profissional seja formado com uma porcentagem maior de jogadores vindos da base, não trazendo mais jogadores pra serem reservas, mas desde que se tenha um jogador de qualidade para aquela posição formado no clube.
      A minha opinião é que no ano que vem não teremos o MA no elenco e o Ronaldo ocupará esse espaço. O Hugo Moura também é muito bom jogador e deve subir.
      Denner, Kleber, Jean Lucas, Patrick, Vinícius Jr e Lincon também devem integrar o profissional no próximo ano, talvez desses o que demore mais é o Lincon, por ser muito novo e jogar numa posição que exige força.
      Mas acho que o planejamento pra utilização da base está melhorando e pro próximo ano veremos a base sendo utilizada de forma mais efetiva.

    • Exatamente

    • Maturação da base sempre!
      Os títulos tem que vir a partir disso, só assim seremos imbatíveis para sempre.

    • Tem visto os jogos da Seleção Sub-20 ??

  • Na minha visão o Flamengo montou um conjunto pra ser campeão de tudo. Mas não estou falando do elenco somente, mas presidente, diretor de futebol, gerente de futebol, técnico e elenco. Você realmente vê alegria no convívio deles, não tem estrelismo como na época do Romário. O Diego está sempre rindo, sempre envolvido nas brincadeiras. Até o Guerrero se soltou.
    E normalmente isso traz bons resultados, principalmente quando isso vem aliado à qualidade, que é o nosso caso. SRN

    • Mostra-se que o entrosamento só tende a evoluir e a vaidade e estrelismo foram deixadas de lado.Nem o Sheik (por exemplo) quando esteve nesse período no Fla, coisa bem mencionada pelo Caetano na entrevista, nunca se rebelou contra a diretoria e nunca agiu como um “delegado” (e quando cogitava tinha que baixar a bola). É bom ver no Flamengo o profissionalismo falando mais alto que o ego de alguns.

    • Concordo. Bom comentario.

  • Flamengo só não caiu para segunda divisão pq a força da camisa é gigante…essa diretoria salvou a dignidade do clube…rumo aos títulos

  • Agora só falta um babaca aparecer aqui e dizer que isso tudo não vale nada se não ganharem títulos… &;-D

    • Os titulos serão consequencia mais cedo ou mais tarde vão começar a aparecer, EBM mereceria ganhar ao menos um título de expressão por tudo que fez ao clube. Quem sabe o bi da Libertadores, seria um sonho.

      • Seria espetacular e ele merece. Libertadores e mundial pra ele entrar de vez pra história do clube como o melhor presidente que já tivemos. Nas finanças já é. SRN

      • Tri da Libertadores! Não se esqueça do ano que vem… &;-D

    • Sempre tem.

    • Infelizmente não faltam esses tipos Dinei…

    • Trabalho bem feito leva a títulos, se não conquistar título quer dizer que falharam em alguma coisa.

      • Chega dá uma vertigem aqui de concordar com o Ednei, mas dessa vez é válido.

        Pra mim, trabalhos beirando o 100% dão títulos. Trabalhos bem feitos fazem você disputá-los de igual pra igual.

        Cuca ano passado passou longe de ser perfeito, mas foi um trabalho bem feito. Uma soma de fatores fizeram o Palmeiras campeão: Gabriel Jesus, brilho de jogadores que foram contratados para compor elenco (Tche Tche e Moisés), um bom poder financeiro, sorte (sim, sorte também, sempre é preciso), e etc..

        • No campeonato brasileiro, fazer um bom trabalho ja te traz títulos, uma prova foi o são Paulo tricampeão, aquele time era perfeito ? Não, tinha muitos erros, afinal errar é humano e perfeição nunca vai existir, porém temos o segundo elenco mais caro do país, temos uma estrutura ótima, tudo que é preciso, se os titulos não vierem como consequência algo está errado, o mundo não é injusto, ele te da o que vc planta, no futebol não é diferente.

        • Nossa cara positivei o Edinei. Meu cérebro quase bugou. Kkkk

    • Títulos mais cedo ou mais tarde, devem chegar, quem trabalha almeja isto, é quase uma consequência natural das coisas. Esta administração merece isto por tudo que tem feito e por nós fazer orgulhosos por bater no peito e dizer com convicção que nosso clube é sério e desenvolve um trabalho extraordinário e sensacional, saindo de praticamente uma situação de insolvência para ser um dos times mais estruturados e sólidos do ponto de vista financeiro e administrativo.
      Falta a cereja do bolo, títulos mas acho que isto está bem perto de acontecer…

      • “é quase uma consequência natural das coisas” — Falou Tudo! &;-D

Comentários não são permitidos.